Recordar é viver

Maria-fumaça de 1922 leva passageiros em SP

Renato Lobo | Via Trolebus

O Museu da Imigração fica no complexo histórico da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás. Além de abrigar ítens históricos, o Centro de Preservação, Pesquisa e Referência atende e auxilia diversas famílias e interessados que estão em busca de histórias e documentações. O local preserva a história das pessoas que chegaram ao Brasil.

A Hospedaria de Imigrantes recebeu pessoas de diversas regiões do Brasil e do mundo, ao longo dos mais de 90 anos de funcionamento. O caminho dessas pessoas, entre muitos, era por meio do Porto de Santos, e a subida da serra por trem.

Para quem gosta de trem, há passeios promovidos pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), aos sábados e domingos, partindo da plataforma ferroviária histórica do Museu da Imigração. A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária é uma associação que faz ações para preservar a memória das ferrovias do Brasil. Está por trás de diversos projetos que buscam resgatar a memória do sistema de transporte.

Monitores a bordo da composição contam um pouco da história da locomotiva e simulam algumas práticas típicas das antigas viagens de trem. Os passageiros viajam por meio de um trajeto de três quilômetros entre as estações Mooca e Brás, que dura aproximadamente 30 minutos.

Até a próxima segunda ocorre a festa do Imigrantes, e o carro da década de 70 foi cedida pelo serviço de trem turístico de Guararema:

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.