Monotrilho

Metrô altera supervisão de trens do monotrilho da Linha 17-Ouro

O Metrô de São Paulo informou por meio de seu site que trocou a supervisão, auditoria, fiscalização, inspeção, acompanhamento e controle na implantação de sistemas elétricos, e dos trens da Linha 17-Ouro do monotrilho.

Segundo a publicação, foi inabilitado consórcio EBEI-SYSTRA SIST L17, e a empresa Intertechne Consultores deve assumir contrato por R$ 20,9 milhões. Por falar em trens, o material rodante está sendo produzido pela chinesa BYD.

Adequações

A fabricante, que vai fornecer 14 trens, teve que readequar seu projeto original para que o material rodante opere na linha que vai ligar o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi.

A informação foi do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista a sites de mobilidade, onde o Via Trolebus esteve presente virtualmente, em maio de 2020. O motivo das mudanças é por conta das vigas, já instaladas prevendo trens da Scomi, que acabou falindo.

A previsão é que a primeiro composição, a chamada cabeça de série, chegue em 2022.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios