Metrô SP

Pandemia pode atrasar estudos da Linha 19-Celeste do Metrô

O projeto da Linha 19-Celeste do Metrô, em seu primeiro eixo, deve ligar a cidade de Guarulhos até a capital paulista, com estações ligando o Bosque Maia e Anhangabaú. Serão 17,6 quilômetros de extensão, 15 paradas, e 31 trens em operação. A previsão de demanda é de 580 mil passageiros em um cenário previsto no ano de 2029.

O novo eixo metroviário que tem avanços em relações aos demais projetos de linhas novas metroviárias, pode enfrentar problemas por conta da pandemia.

De acordo com o relatório de empreendimentos do Metrô, datado do mês de março, tramites de certidão da cidade de Guarulhos estão parados reflexos da crise sanitária. “Certidão Municipal de Guarulhos – para o encaminhamento da Licença Prévia com EIA/RIMA revisado à CETESB depende dessa certidão cujos tramites encontram-se parcialmente paralisados devido à pandemia da COVID-19. Sem previsão de retorno.” – diz o documento.

Elaboração de projeto da Linha 19-Celeste do Metrô tem interesse de cinco consórcios

O Metrô de São Paulo informou por meio de seu site, na sessão de licitações, que cinco consórcios apresentaram propostas para elaboração do projeto básico da futura Linha 19-Celeste, que vai ligar a cidade de Guarulhos e a capital paulista.

Os seguintes grupos foram habilitados:

  • MNEPIE (Maubertec Tecnologia em Engenharia, Nova Engevix Engenharia e Projetos, Pólux Engenharia, Intertechne Consultores e EGT Engenharia);
  • Linha 19 Celeste (Promon Engenharia, Copem Engenharia, Tekhnites Consultores Associados, SMZ Consultoria em Automação e Controle, JBM Arquitetura e Urbanismo, Tetraarq Arquitetura e Projetos, Themag Engenharia e Gerenciamento e Núcleo Engenharia e Instrumentação)
  • Sener Setepla – Future ATP – EGIS (Sener Setepla Tecnometal Engenharia e Sistemas, Future ATP Serviços de Engenharia Consultiva e EGIS Engenharia e Consultoria);
  • Systra EBEI Fernandes (Systra Engenharia e Consultoria, Empresa Brasileira de Engenharia e Infraestrutura e Fernandes Arquitetos Associados);
  • Linha Celeste (SETEC Hidrobrasileira Obras e Projetos, Quanta Consultoria, Controltec Gerenciamento de Obras, Reconvert Planejamento e Projetos e SMC Serviços Metroviários).

A partir de agora a estatal deve analisar as propostas.

Entrega em partes

Os moradores da segunda cidade mais populosa do Estado terão que esperar um pouco mais para usufruir da Linha 19-Celeste, quando o eixo metroviário for entregue.

Informação publicada no Diário Oficial do Estado em fevereiro de 2021, com um balanço e plano de ação do Governo do Estado, mostra um panorama do projeto e algumas diretrizes sobre implantação da Linha celeste. Não há ainda previsão de obras. Não se sabe também como será a modelagem econômica do ramal.

Bosque Maia em Guarulhos |
Foto: Fabio Nunes Teixeira

Metas de Conclusão

O governo prevê entregar primeiro o trecho Pari – Jardim Julieta no ano de 2028. Uma das hipóteses é por conta da localização do pátio, que será na Vila Medeiros. Já a previsão de entrega do Trecho Anhangabaú – Bosque Maia – Guarulhos, é para 2029.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios