TAV

Mesmo sem TAV entre Rio e SP, estatal ainda abriga funcionários

Ne década passada o Brasil discutiu a criação de uma linha de trem de alta velocidade para ligar Campinas, passando por São Paulo, até o Rio de Janeiro. O trem não saiu do papel, mas sua estatal segue empregando funcionários, de acordo com publicação da Revista Época.

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL), criada em 2012, nomeou 82 funcionários com salários entre R$ 5.800 e R$ 29.200 desde 2019. A estatal, que deve ser fundida com a Valec, tem atualmente 143 empregados, todos nomeados para cargos de confiança.

Trem-bala fracassado

A intenção do governo, inicialmente, era de que o “trem-bala” estivesse pronto para a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Porém, atrasos na preparação do edital de licitação apresentados em outubro de 2009 comprometeram o prazo de início das obras.

Novos atrasos adiaram o processo de licitação para abril de 2011 e, depois, para julho de 2011. A possibilidade de apenas um consórcio, o coreano, de entrar na disputa, foi um dos argumentos para o adiamento do leilão, ainda que oito empresas tinha manifestado interesse.

O custo inicialmente previsto pelo governo federal para a conclusão de todo projeto era de 23 bilhões de Reais, dos quais 20,8 bilhões seriam financiados pelo BNDES.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Quais os motivos e justificativas que levam o governo federal a querer privatizar de forma afoita e predatória a Eletrobrás e a Petrobras que são empresas que geram muitos empregos e recolhem muitos impostos e ao mesmo tempo continuar mantendo a estatal Empresa de Planejamento e Logística – EPL, responsável para implantar o projeto de trem-bala, o que se justifica a manutenção desta estatal vinculada ao ministério dos transportes que consome R$ 70 milhões de recursos públicos anuais. A maior parte deste valor sirva para pagar o salário de 143 funcionários?
    Só pode ser por terem inúmeros apaniguados políticos e não cumprir a promessa de se extinguir estatais inúteis.
    Faz onze anos que a EPL foi criada em 2010 com o nome de Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. – ETAV. Já em 2012, foi renomeada para Empresa de Planejamento e Logística S.A – EPL com o objetivo adicional de projetar sistemas de transportes.

Publicidade

Anúncios