Foto: A.Savin
VLT

Metrô de Moscou passa a operar rede de VLT com 208 km de extensão

O governo da cidade de Moscou transferiu o controle da infraestrutura dos veículos leves sobe trilhos – VLT para o metrô da capital Russa.

Segundo autoridades locais, a operadora metroviária tem expertise na operação, e isso poderá ser aplicado aos trens leves. “O metrô de Moscou é um líder entre os metrôs não automatizados no que diz respeito ao avanço”, disse o vice-prefeito de Transporte Maxim Liksutov. “Isso porque nossos padrões de manutenção de infraestrutura são um dos mais rígidos, seguros e melhores do mundo. Portanto, devemos aplicar essas práticas em outros modos de transporte, particularmente no transporte ferroviário urbano que a partir de agora terá exigências mais rígidas.“, afirmou.

A cidade conta com um dos maiores sistemas do mundo. Com 208 km e 44 linhas, a rede de bonde de Moscou é dividida em duas sub-redes, e um elemento-chave do sistema de transporte público em Moscou. Inaugurado em 1872, era então operado desde 1958 pela Mosgortrans , uma empresa estatal.

Espera-se que o gerenciamento centralizado e a modernização aumentem a velocidade do bonde, melhorem a manutenção das vias, reduzam pela metade o número de reparos e reduzam os custos de manutenção.

Já renovamos a maior parte da frota de bondes e, em um a dois anos, todos os carros antigos serão substituídos pelos novos”, acrescentou Liksutov.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A centralização da administração e o planejamento dos transportes urbanos de uma região metropolitana, parece o óbvio a ser feito em qualquer lugar do mundo.

    Menos em SP, em que o governo do Estado encerra a EMTU e ao invés de fundi-la ao Metrô ou CPTM (ou criar uma nova empresa “unitária”), a transfere para uma autarquia da Secretaria de Governo (ou seja, nem da secretaria de transporte ela vai ficar mais ahaha)

Publicidade

Anúncios