Monotrilho

Baldy promete “trabalhadores em ação” nas obras da Linha 17-Ouro nesta sexta

O Governo de São Paulo emitiu nesta quinta-feira, 17 de dezembro de 2020, a Ordem de Serviço para que a Coesa Engenharia inicie as atividades para o acabamento da via e de sete estações da Linha 17-Ouro do monotrilho, que vai ligar a estação Morumbi, o Aeroporto de Congonhas e a estação Jardim Aeroporto.

De acordo com o secretário dos transportes metropolitanos, Alexandre Baldy, e de um comunicado da pasta, “se não houver nenhum impedimento judicial, as obras serão entregues à população em 2022”.

A cautela na promessa não é atoa. A Linha 17 teve seus trabalhos iniciados em 2012, mas uma sucessão de fatores acabaram arrastando o processo de construção, desde judicialização de resultados, até empreiteiras que não deram conta do recado.

Já Baldy, em um outro comunicado em suas redes sociais, diz que a partir de amanhã já haverá operários nos canteiros centrais:

Material rodante

Em setembro justiça liberou que o Metrô retomasse de imediato a execução do contrato para a fabricação e fornecimento dos trens do monotrilho da Linha 17-Ouro.

A empresa BYD, contratada para o serviço, então iniciou o processo de desenvolvimento dos 14 trens, além da instalação dos sistemas de controle e sinalização, das portas de plataforma e fornecimento de equipamentos auxiliares para manutenção, que também são contemplados no contrato, que havia sido barrado após uma empresa brasileira, que havia vencido a concorrência, e ter sido desclassificada, ter questionado o processo.

O processo de fabricação, necessariamente ainda não começou. De acordo com o presidente da Companhia, Silvani Pereira, em resposta nas redes sociais, o material rodante está na fase de projeto:

Adequações

A fabricante BYD, que vai fornecer 14 trens, está readequando seu projeto original para que o material rodante opere na linha que vai ligar o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi.

A informação foi do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista a sites de mobilidade, onde o Via Trolebus esteve presente virtualmente, em maio desse ano. O motivo das mudanças é por conta das vigas, já instaladas prevendo trens da Scomi, que acabou falindo.

Baldy disse também que conversa com a BYD para que o trem cabeça de série, o primeiro fabricando, seja entregue antes de 18 meses.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios