SPTrans

Decreto prevê criação de gerenciamento de projeto para o BRT da Avenida Aricanduva

O projeto de um corredor de ônibus do tipo BRT – Bus Rapid Transit na Avenida Aricanduva, na Zona Leste de São Paulo, deu mais alguns passos, mesmo ainda sem previsão de obras.

Um decreto assinado pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas, prevê a criação da “Unidade de Gerenciamento do Projeto – UGP para o Projeto do Bus Rapid Transit – Corredor Aricanduva, desenvolvido no âmbito do Programa de Melhoria da Mobilidade Urbana Universal”.

O novo eixo de transporte deve ligar o bairro de São Mateus, com conexão com o monotrilho da linha 15-Prata e o Corredor de Ônibus e Trólebus São Mateus-Jabaquara, até a Avenida Radial Leste, onde é previsto um outro BRT. Terá cerca de 14 km de extensão em pavimento rígido, e deve contar com 300 mil passageiros por dia.

O poder público diz que o novo BRT tem “o objetivo de ampliar a capacidade de operação do transporte coletivo para grande parte da população da região Leste da Cidade de São Paulo, notadamente os moradores de baixa renda, melhorando a acessibilidade para os usuários.”.

Empréstimo do banco mundial

Informações do jornal Valor Econômico em abril dava conta de que o Banco Mundial aprovou o empréstimo para a cidade no valor de US$ 97 milhões, que poderão ser usados para o empreendimento.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • renato, desculpe não acreditar neste processo, isso porque em breve troca-se o prefeito, sabemos que em São Paulo não ha continuidade de nada, então o novo prefeito vira com suas prioridades e mais um corredor vai pro saco.
    Por outro lado se vingar este corredor, espero que não seja feito igual o ramal da avenida itaquera. Apesar dele ter sido feito com um piso bom de concreto reforçado, ficou um monte de coisas irreais como : estações fora de interesse da população, em trecho que não existe problemas de transito foi totalmente feito muito bem, em regiões problemáticas não se fez nada, provavelmente onibus enfrentarao congestionamentos, corredor cheio de obstáculos ( lombada ), a dona SABESP já fez uma das suas, destruiu o piso de concreto e trocou por asfalto montando assim um calombo.
    Então torço para que vingue esse projeto, mas com responsabilidade dos técnicos em gerar um bom equipamento publico.

Publicidade

Anúncios