Aviação

Após mais de 50 anos de operação, Boeing confirma o fim da produção do jumbo 747

A Boeing confirmou o fim da produção de jumbo 747 em 2022, e ainda deve reduzir a taxa de produção do 787 para 6 por mês em 2021. Também deve reduzir a produção máxima do 737 para 31/mês em 2022 e do 777/777X para 2 por mês em 2021.

A informação foi divulgada por veículos internacionais de imprensa do setor, e por jornalistas, como o Editor-chefe da The Air Current, Jon Ostrower:

A fabricante de aviões continua sendo afetada pelo impacto da COVID-19 e pelo aterramento do 737 MAX. O CEO David Calhoun também sugeriu novos cortes de empregos, seguindo um plano anterior de reduzir equipes de trabalho em cerca de 4.000 vagas.

Rainha dos céus

Fabricada pela Boeing nos Estados Unidos, a versão original do 747 tinha duas vezes e meia mais capacidade de passageiros que o Boeing 707, um dos grandes aviões comerciais dos anos 60. Fez seu primeiro voo comercial em 1970, e ostentou o recorde de capacidade de passageiros durante 37 anos.

O -400, a versão do 747 mais vendida e usada comercialmente, tem uma velocidade de cruzeiro subsônica de Mach 0,85 (até 917 km/h) com um alcance intercontinental de 13 450 quilômetros. Pode acomodar 416, 524 ou 660 passageiros, dependendo da configuração interna.

A última versão, o 747-8, recebeu a sua certificação em 2011. A venda da versão cargueiro 747-8F iniciou-se em Outubro de 2011 e a versão de passageiros 747-8I em Maio de 2012.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios