Foto: Diário dos Trilhos
CPTM

Linha 13-Jade da CPTM completa dois anos de operação

A linha mais jovem da CPTM completou dois anos de operação, a 13-Jade, que conectou, ou quase, o maior aeroporto brasileiro até a maior malha metroferroviária do país. A nova ligação trouxe algumas inovações, mas também frustou expectativas de demanda de passageiros.

No dia 31 de março de 2018 era entregue a nova ferrovia, após cinco anos de obras. Desde o início da década de 2000 o governo paulista planejava a construção de uma linha de trens ligando Guarulhos ao restante da malha metropolitana. Foi a primeira linha totalmente implantada e operada pela Companhia.

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, entrega linha 13 Jade da CPTM em Guarulhos. Local: Guarulhos/ SP Data: 31/03/2018 Foto: Governo do Estado de São Paulo

Baixa demanda

No release de entrega da Linha 13, o governo mencionava que seria beneficiada a população que mora, trabalha ou estuda na segunda cidade mais populosa do Estado, além dos turistas de lazer e negócios. A previsão era que seriam atendidos cerca de 120 mil usuários por dia útil.

Mas, de acordo com dados da CPTM datados em novembro de 2019, a média diária era de 15,5 mil​ passageiros, número bem abaixo do projetado.

Em uma entrevista coletiva, o presidente da companhia, Pedro Moro, disse que uma pesquisa feita pela CPTM aponta que os próprios passageiros não conhecem a Linha 13, o que ajuda a explicar o baixo movimento da ligação ferroviária.

Estação Aeroporto Guarulhos da Linha 13-Jade | Foto: Renato Lobo

Serviços inéditos na malha

Com a entrega da ferrovia, dois serviços considerados inéditos passaram a operar na malha da CPTM: um atendimento expresso entre a Luz e o Aeroporto, e outro que opera entre Guarulhos e o Brás, nos horários de pico, e este último é responsável por grande parte dos deslocamentos na Linha 13.

Foto: Renato Lobo | Via Trolebus

Por dentro do trem da série 2500 da CPTM

Futuras expansões

A CPTM tem planos aumentar a Linha 13 nas duas pontas, a primeira, sendo o projeto mais adiantado, rumo a Bonsucesso, em Guarulhos. O projeto básico da extensão poderá ser contratado este ano, de acordo com declarações do presidente da CPTM, Pedro Moro, em visita às obras da estação Mendes Vila Natal no dia 11 de janeiro de 2020. A extensão deve ganhar paradas como no bairro de São João, após a parada no aeroporto.

Já na outra ponta, mais distante de se tornar realidade, e a expansão até a Chácara Klabin. Seriam 13,4 Km entre Engenheiro Goulart até a futura estação Parque da Mooca, conectado com a Linha 10. Turquesa.

O trecho Bonsucesso – Parque da Mooca teve seu projeto funcional elaborado. O trecho adicional de 3,6 km até a estação Chácara Klabin foi revelado em 2018 em uma apresentação, indicando uma intenção da companhia em construir a extensão em uma outra fase:

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Acho essa extensão pra Chácara Klabin, do jeito que está no projeto, meio desnecessária, tendo em vista a a expansão da Linha Verde até a Dutra. Acho que seria mais viável expandir pro Brás em definitivo.

  • Dá a impressão que essa linha se tornou um abacaxi pro governo. Mesmo se estendida até Bonsucesso, a demanda continuará baixa. A extensão até Chacara Klabin é improvavel, já que boa parte do trecho teria que ser por túnel. Já que o propósito principal era conectar o Aeroporto, esse seria um caso onde um monotrilho seria bem aplicado.

Publicidade

Assuntos

Anúncios