Recordar é viver

No passado, trens da “Linha 8-Diamante” da CPTM partiam da Luz

O passageiro que parte da Luz, e deseja se dirigir a Osasco, Barueri ou Itapevi, precisa atualmente trocar de linha em Palmeiras Barra Funda, entre as linhas 7-Rubi e 8-Diamante.

Mas uma publicação da página SP Sobre Trilhos no Facebook, mostra que existiu uma época onde os trens da antiga Linha Oeste da Fepasa iam até a Estação da Luz. O cenário provavelmente ocorreu na década de 80.

De acordo com a publicação, cerca de um terço dos trens tinham com destino a famosa estação central que faz conexão com o Metrô, e o restante dos trens fazia parada normalmente em Julio Prestes.

Projeto de túnel entre Luz e Júlio Prestes

No mandato do ex-governador Geraldo Alckmin, entre 2010 e 2014, havia sido prometido um túnel entre as duas estações.

Em 2016, foi aprovado pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, a instalação de um túnel de ligação entre as estações Luz e Júlio Prestes. Em meados de 2000, o Governo do Estado lançou o programa “Integração Centro”, onde era previsto um túnel de integração entre as duas paradas centrais.

O projeto, no entanto, não prosperou e atualmente não há prazos para sua execução.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • o interessante dessa foto é notar que o final da plataforma da luz sentido barra funda, era menor e tinha uma linha que ia direto para oficina da luz. hoje é necessario varias manobras e interferencia nas linha comerciais para que um trem da linha 10 entre na oficina luz

  • Esse túnel citado no final da matéria é super importante, Julio Prestes e sub utilizada e a Luz é saturada, com tal túnel, poderiam distribuir a demanda entre as estações, colocando o final da Linha Rubi em Julio Prestes, dai poderiam voltar a Linha 10 a Luz. Claro que para que seja interessante, também deveria haver um túnel ligando Julio Prestes a estação de Metrô da Luz.

    • Felipe;

      A interpenetração na Luz desta composição da série 5500 que fazia a Linha 8-Diamante só foi possível porque ela foi a primeira em bitola de 1,6m após a *PADRONIZAÇÃO da FEPASA ex. Sorocabana (eram métricas) com a RFFSA em um trabalho magnifico e irretocável, pois foi feita sem que afetasse o trafego, e a presença de duas locomotivas na Luz embora sem vagões, confirma que era comum a presença de cargueiros neste local, e ao se visualizar a composição da FEPASA estacionada não se percebe a presença de estribos ou borrachões, isto desmente a versão oficial da CPTM que o vão entre carros e plataforma se deve ao fato de trens cargueiros utilizar esta local.

      O fato das composições da Linha 9-Esmeralda hoje trafegarem na Linha 10-Turquesa se devem a aquele trabalho exemplar daquela época.

      * Um fato curioso ocorreu por ocasião desta uniformização é a de que esta série de trens 5500 hoje só existe na fotografia, enquanto os trens Toshiba sem ar condicionado e em bitola métrica do ano de 1948 da antiga Sorocabana que foram substituídos até o ano passado ainda estavam prestando serviços na Bahia pintados na cor amarela, acredite se quiser.

      Recordar é Viver ViaTrolebus – 14/agosto/2019 “Há 19 anos, atendimento de trem da CPTM era suspenso de Paranapiacaba em dias úteis”, Este outro documento fotográfico da Estação Paranapiacaba em curva com uma composição completa estacionada é mais uma prova irrefutável que os trens desta época e antes da criação da CPTM nunca possuíram estribo e possuem um vão dentro das normas em relação a plataforma na horizontal (menor do que 10cm), pois esta composição elétrica tem ~3,057m, trafegou por mais de trinta anos em Paranapiacaba e as vezes chegava até Campinas.

      Para mim não existe este seccionamento entre as Linha 7-Rubi, e Linha 10- Turquesa (esta divisão foi uma criação da CPTM), e sim estas linhas sempre foram uma só, a construção das Estações Bom Retiro e revitalização da Júlio Prestes esta reversão é perfeitamente viável.

  • Via Trolebus, o serviço denominado Interpenetração RFFSA FEPASA foi inaugurado em 30 / 04 / 1981 e descontinuado em 1985. Em resumo: tudo o que se tinha eram alguns trens da Fepasa percorrendo uma via quase exclusiva entre os baixos do viaduto Pacaembu e a plataforma que aparece na foto. NÃO HAVIA transferência gratuita entre as duas companhias e na época as estações Barra Funda de ambas eram distintas e com um trajeto bastante complicado.

  • Esse túnel Luz-Julio Prestes seria perfeito! Assim as linhas 7 e 8 poderiam terminar na Julio Prestes e a linha 10 poderia ser expandida até a Luz de novo.

    • A Luz não aguenta receber mais uma linha e você propõe levar mais duas para ela (afinal de contas uma integração vai atrair passageiros da linha 8 para a Luz e trazer a Linha 10 para a Luz vai saturar a estação em poucas horas) ?

      Por isso que esse projeto de túnel nunca irá sair do papel.

      A solução para Luz é o projeto Nova Luz, com uma nova estação construída entre Luz e Julio Prestes e integrações independentes entre o metrô e a nova estação.

  • Esse foi o projeto chamado Interpenetração Fepasa/RFFSA. Foi negociado no final dos anos 1970 e implantado aí como o Narciso lembrou. Era para ter integração tarifária mas a Fepasa (mais precisamente suas antecessoras Sorocabana, Araraquara e Mogiana) tinha dívidas com a RFFSA não pagas (desde os anos 1960). A RFFSA exigiu o pagamento, a Fepasa reclamou, ficou sem a integração tarifária e o projeto morreu (também por falta de recursos de ambas).

    Uma das maneiras que a Fepasa arranjou para pagar parte da dívida com a RFFSA foi ceder 40 trens unidade Série 5500 para a empresa federal.

Publicidade

Assuntos

Anúncios