Metrô SP

Atrasos em obras do Metrô estão atreladas a corrupção, diz ex-diretor da estatal

De acordo com a Rede Globo, o ex-diretor do Metrô, Sérgio Côrrea Brasil, disse a procuradores da Lava Jato, em delação premiada, como funcionava o esquema de propina dentro da estatal referente principalmente às obras de expansão com os consórcios contratados.

Sérgio diz que as propinas duraram de 2004 a  2014 e que começou com as obras da linha 2 – verde, depois da linha 5 – lilás e até a licitação da linha 6 – laranja, esta última com obras paralisadas a 3 anos.

De acordo com o ex-diretor,  o esquema fazia com que as obras ficassem mais caras e mais lentas.

Em todas as obras do Metrô houveram atrasos no cronograma de entrega.

Sérgio ainda diz que as empreiteiras pagavam propinas a deputados estaduais para que os contratos antigos não fossem questionados na Assembleia Legislativa.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!