CPTM Metrô SP

Promessas do começo da década previam rede de Metrô dos sonhos em 2020

Você já imaginou poder ir de Guarulhos até o Campo Belo de Metrô, e sem baldeações? Ou então da Rodovia dos Bandeirantes até a Cidade Líder em um mesmo trem?

Estas conexões e outras estavam previstos em um mapa bastante compartilhado no começo da década, quando era previsto que a partir de 2020, a cidade teria uma rede metroviária de mais de 400 km de extensão, sem contar os trilhos da CPTM.

Uma das projeções era a extensão da linha 2-Verde, a oeste rumo a estação Cerro Cora, e a leste, rumo a Dutra, em Guarulhos. Atualmente o governo do estado trabalha coma extensão até a Penha, com obras previstas para 2020, e previsão de entrega a partir de 2025.

Outra previsão que não se concretizou é a extensão da linha 4-Amarela rumo a Taboão da Serra. Para 2020 mesmo ficará a entrega da estação Vila Sonia. Uma previsão curiosa era a Linha 4 rumo ao Pari.

No mapa dos sonhos aparece também a linha 6-Laranja, que na época em que a projeção foi divulgada, previa operações em 2019 do trecho entre Brasilândia e São Joaquim. O Governo do estado espera retomar esta expansão ainda neste ano. E a porção leste da linha 6-laranja rumo a Cidade Líder, foi substituída pela linha 16-Violeta.

Outra projeção era a Linha 15-Prata ligando o Ipiranga até a Cidade Tiradentes. Passado este tempo, no ano que vem o monotrilho deve ligar apenas a Vila Prudente até São Mateus.

Ainda sobre monotrilho, era previsto também a ligação da Linha 17-Ouro entre Congonhas e a estação São Paulo Morumbi, ainda como uma extensão até a estação Jabaquara. De concreto é o eixo entre o Aeroporto e a estação Morumbi da CPTM.

Outro projeto que agora está enterrado, é o da Linha 18-Bronze, previsto para chegar até a Estrada dos Alvarengas Mas o governo estadual optou por um corredor de ônibus.

Conta também no mapa dos sonhos a linha 19-Celeste, entre Cecap e o Campo Belo, passando pelas regiões da Vila Maria, centro e parte da Zona Sul. Este, como muitos projetos, sofreu alterações, e atualmente o Metrô trabalha nos estudos entre o Bosque Maia e a Praça 14 Bis.

Outro linha prevista para 2020 era a 20-Rosa, entre Lapa e Moema. Atualmente o governo trabalha nos projetos básicos da linha chegando até o ABC, como contrapartida a escolha de abandonar o projeto da Linha 18, e troca-lo por um BRT.

Sobre os trens, era previsto que na próxima década os trens da Linha 9-Esmeralda operassem em Y, ou seja, um trem seguiria rumo a Osasco e o outro rumo a Lapa. Outro serviço que era previsto, era o expresso oeste sul, entre as estações Pinheiros e Barueri, obedecendo somente algumas paradas.

Pouca coisa mudou

Passado quase 10 anos, pouca coisa saiu do papel. É percebido nestes anos uma certa mudança nos anúncios das novas linhas, onde o Governo do Estado tem sido mais realista e menos fantasioso.

Não existe apenas um único motivo do atrasos das obras. Para cada linha, um problema diferente pode ser observado, como por exemplo, problemas de recursos, falência de empresas, problemas na execução dos projetos e até anuncio feito antes da hora, ou seja, antes de se ter recursos para executar aquela obras.

E o que nos resta? sonhar com uma rede metroferroviária que atenda as necessidades do passageiro, e ter pé no chão e olhos abertos quando escutar promessas e projeções.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios