VLT

Consórcio do VLT de Cuiabá vai ao STJ para retomada das obras

O Consórcio VLT, responsável pelas obras do VLT de Cuiabá, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça – STJ contra uma decisão da Procuradoria Geral do Estado (PGE) que aliou os contratos do meio de transporte.

O grupo de empresas diz que mantém a posição de querer concluir as construções do meio de transporte, e diz haver condições para a retomada dos trabalhos, parados desde dezembro de 2014.

Vistoria em trens

Na última sexta-feira, 28 de junho, uma comitiva que contava com presença dos Presidentes das Câmaras, Misael Galvão e Fabio José Tardin, o vereador Juca do Guaraná Filho e outros parlamentares, além de autoridades de Cuiabá e Várzea Grande, foram as obras e pátio onde estão os 40 trens.

“A obra não pode continuar do jeito que esta, um cemitério de vagões, dinheiro do povo mato-grossense, do povo cuiabano e várzea-grandense, temos que lutar para ter o VLT na nossa cidade.”, disse o Vereador Juca do Guaraná Filho.

“Eu estou vendo uma estrutura totalmente abandonada, parece um cemitério de vagões, isso é um desrespeito com o povo cuiabano e várzea-grandense.”, diz o Presidente da Câmara de Cuiabá.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!