STM notifica Move SP para retomar obras em até 30 dias

A STM – Secretaria de Transportes Metropolitanos, do Governo do Estado de São Paulo, informou no final da tarde desta sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018, que notificou hoje o Consórcio Move São Paulo, formado pelas empresas Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC, que terá a partir de segunda-feira, 5 de fevereiro, 30 dias para retomar as obras de construção da linha 6-Laranja do Metrô (Brasilândia – São Joaquim). Se o prazo não for atendido, segundo a STM, “será dado início ao processo de caducidade do contrato por descumprimento das cláusulas estabelecidas e terá início uma nova licitação.”

Em nota, a STM diz que a razão do procedimento é que não foram para a frente as negociações entre empresas asiáticas e o Grupo RuasInvest, ligado a empresas de ônibus da Capital, que iam formar um consórcio para assumir a linha.

Isso porque não houve êxito na transação comercial entre as empreiteiras e o grupo China Railway Engineering Corporation Ltd. (CREC), que se associaria à japonesa Mitsui e à brasileira RUASInvest para adquirir a concessão da linha. Segundo informações da Move São Paulo, a negociação não atendeu às expectativas internas do conselho de administração do grupo chinês.

Na mesma nota, o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, diz lamentar que a compra da concessão do Move São Paulo pelos asiáticos e pelo Grupo Ruas não tenha se concretizado.

“Acompanhávamos de perto essa transação entre as empresas privadas pois era de interesse público. Lamentamos que a compra da concessão não tenha se concretizado pois declarar a caducidade e dar início a um novo processo licitatório vai fazer com que as obras demorem mais tempo para serem retomadas e concluídas”, afirma o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni.

 

Fonte: Adamo Bazani – Diario do Transporte


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

13 Comentários deste post

  1. No mínimo mais um ano paralisada

    Renato /
  2. Tudo que vem desse Alckmin/PSDB é enrolado e não sai do papel. Deus me livre!

    Gapre /
  3. Uma droga! Pensei que ia dar certo!

    Josh /
  4. Tava torcendo pra dar certo os asiáticos assumirem as obras. Uma pena. Agora, acho que já podiam até iniciar o processo de caducidade porque tá na cara que a Move não vai retomar as obras.

    Rodrigo Branquinho /
  5. A CCR não quer pegar essa linha para ela terminar e operar. Sabem porque? porque esses babacas só querem moleza! Querem é investir pouco e ter um lucro absurdo! Nas rodovias que operam a CCR é o estado que faz as obras de recapeamento, coisa mais básica em uma rodovia!! è você contribuinte que paga impostos para os gestores do grupo CCR se esbaldarem em luxo. Agora quanto as obras, que fique aí a linha 6, quem sabe inaugure em 2035.

    Rafael de Souza /
  6. Tb do viatrolebus.com.br, 15 pessoas enganadas….

    https://viatrolebus.com.br/2016/03/obras-da-linha-6-laranja-terao-20-frentes-de-trabalho-este-ano/

    Pra mim nenhuma novidade, depois vem falar de colheita, na época o felix usava o nome jardel

    Alexandre i /
    • kkkk, é engraçado ver a ilusão do povo já naquela época, me criticavam horrores e até hoje continuam me criticando. Não aprendem nunca!

      • Essa mania de grandeza, temos 20 obras paralelas, a maior quantidade de obras paralelas da América Latina, de todas elas nenhuma entregue no prazo,… Temos a maior ponte que faz a curva em s, seguida de um l na América Latina…. Grande porcaria…

        Alexandre i / (em resposta a Gapre)
  7. Essa obra e uma piada eterna, a demora e algo NORMAL pro governador, que sempre adia suas entregas, tirando esse ano que tem eleição, da um jeitinho.

  8. obra pra ser entregue daqui há 10 anos no minimo, pode anotar

    Rafael /
  9. Bolsonaro 2018

    Wagner /
  10. Em um país onde os funcionários públicos se esbaldam e mamam nas tetas dos contribuintes é óbvio que o empreendorismo não consegue se desenvolver.

Deixe uma resposta para Gapre Cancelar resposta