Foto: Sergio Mazzi
Monotrilho

Empresa é considerada inidônea, e Linha 17 pode atrasar

Foto: Sergio Mazzi

A Controladoria Geral da União (CGU) declarou como inidônea a empresa Mendes Júnior, que iria assumir as construções da Linha 17-Ouro. As obras do Pátio de Manobras Água Espraiada do Monotrilho, que estavam previstas para serem retomadas no mês de maio, podem atrasar.

O Metrô rescindiu os contratos em janeiro com a antiga empresa que havia ganhado licitação, quando foram abandonados os canteiros. As empresas alegam dificuldades em obter projetos das construções por parte do Metrô.

Pela determinação da CGU, a empresa está proibida de firmar novos contratos com a administração pública. A Mendes Junior é investigada pela operação Lava Jato, da Polícia Federal.

De acordo com o portal G1, o Metrô diz que avalia formas de continuar com os trechos das obras, não descartando a procura de outras empresas classificadas na licitação.

A linha 17-Ouro, em sua primeira fase, deve ligar o Aeroporto de Congonhas com a Estação Morumbi da CPTM, passando pela futura Estação Campo Belo, da Linha 5-Lilás. Até então antes do problema, a operação era prevista para 2017.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios