CPTM

Falhas técnicas diminuem na CPTM. Interrupções aumentam

O número de paralisações na malha de trens metropolitanos da CPTM aumentou cerca de 16% entre janeiro de 2015 e janeiro de 2016, de 38 para 44, segundo apuração do site “Fiquem Sabendo” que cruza dados divulgados pela Companhia e de informações obtidas pela Lei Federal de acesso à informação.

O texto ainda levantou que em 2015, o sistema registou um pico de 39 ocorrências, na comparação com dados desde 2012. Os problemas, no entanto, foram atribuídos a agentes externos, como alagamentos, por exemplo, e o número de falhas registradas em componentes da ferrovia, como pane em trem, sinalização ou trilhos, caiu 9% (de 22 para 20) entre 2014 e 2015.

CPTM apresenta dados diferentes

A Assessoria da CPTM informou ao site número um pouco diferentes da levantada pela reportagem do Fiquem Sabendo. “Em 2014, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) registrou 36 ocorrências, sendo 13 provocadas por agentes externos e 23 por falhas técnicas no sistema. Já em 2015, foram 19 ocorrências provocadas por fatores externos e 21 por falhas no sistema. Portanto, na verdade, houve uma queda de 8% nas ocorrências em 2015, comparadas ao ano de 2014, se consideradas apenas as panes causadas por falha técnica”, diz a nota.

A CPTM afirma ainda que seu sistema é a céu aberto, e sujeito a tais problemas.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios