Obras do Monotrilho da Linha 17-Ouro | Foto de Sergio Mazzi
Monotrilho

Contrato com construtoras é cancelado e Linha 17 é paralisada

Imagem de Sergio Mazzi

O Metrô decidiu rescindir o contrato com as empreiteiras Andrade Gutierrez e CR Almeida para a construção da linha 17-Ouro, no trecho entre o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi, com a justificativa que as construtoras abandonaram as obras.  Este já o segundo caso de obras do Metrô que acontece a mesma coisa. O primeiro foi na Linha 4 – Amarela, quando o governo rompeu contrato com a espanhola Isolux.

De acordo com reportagem do Valor Econômico, a Andrade Gutierrez e a CR Almeida abandonaram as obras do monotrilho no fim do ano. As companhias eram responsáveis pela construção do pátio de manobras de trens e por três das oito estações. Procurada, a Andrade Gutierrez não quis comentar. Já a CR Almeida retornou os pedidos de entrevista. As duas empresas estão sendo investigadas pela Polícia Federal no âmbito da operação Lava-Jato, que apura desvios em contratos da Petrobras.

O metrô fez vistorias e constatou o abandono. Durante dezembro, as empresas foram notificadas para retomar os trabalhos, o que não ocorreu. Na semana passada, as empresas formalizaram a saída alegando dificuldades para executar as obras dentro do orçamento previsto.

Segundo o jornal, o Metrô irá contatar a segunda colocada na licitação para verificar se há interesse desta tocar as obras. Caso contrário, uma nova licitação terá que ser feita, o que deve adiar mais ainda  a entrega deste trecho.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios