CPTM

Nós já sabíamos: Expresso ABC só depois de 2014 devido a impasse entre Governo Federal e CPTM

O Governo de São Paulo, enfim admitiu que o Expresso ABC não vai operar antes de 2014. Trata-se de um trem semi-expresso que vai ligar Mauá à Capital em cerca de 24 minutos, sendo que no trem parador tradicional é feito em uma hora. A justificativa para o adiamento é o imbróglio envolvendo a transferência de áreas federais para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O projeto original do Expresso ABC prevê a passagem por cinco estações: Mauá, Prefeito Celso Daniel – Santo André, São Caetano e Tamanduateí, além de uma na região central de São Paulo. Uma das hipóteses cogitadas é para que o ponto final do itinerário seja no terminal que a CPTM pretende construir no bairro do Bom Retiro. O investimento previsto é de cerca de R$ 1,5 bilhão, entre obras e a compra de 11 composições.

O trajeto do Expresso ABC será paralelo ao da Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra). Para que a obra saia do papel, o governo precisa construir uma via permantente ao lado da já existente, nas áreas que hoje pertencem à União e que são usadas para o transporte de cargas pela empresa MRS Logística. Os terrenos são de propriedade de diversos órgãos federais, como ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e SPU (Secretaria do Patrimônio da União).

“O impasse de terras ainda não está resolvido. Está difícil considerar o prazo de 2014, ainda mais se você imaginar que um processo de licitação demora cerca de seis meses”, argumenta o presidente da CPTM, Mário Manuel Bandeira. Ainda que o presidente da companhia tenha admitido o atraso, espera que os documentos para a transferência das áreas sejam assinados “nos próximos dias”. “Toda vez que tem esse tipo de adiamento, acaba, de certa forma, prejudicando o desenvolvimento. Não posso começar a fazer projeto em uma área que não é minha”, acrescenta. Em maio, a companhia já cogitava a possibilidade de não conseguir cumprir o cronograma.

Expresso pode ser incluído em PPP de trens regionais

O secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, também considera a chance de estourar o prazo. No entanto, o titular da Pasta informa que o governo recebeu da iniciativa privada um PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) para a construção de quatro linhas ferroviárias regionais em todo o Estado, sendo que uma ligaria a Capital a Santos. A possibilidade estudada é para que o Expresso ABC seja incluído nesse itinerário. “Pode ser que isso tudo fique dentro de um projetão só”, diz Fernandes.
Segundo o secretário, a morosidade atual pode ser revertida por conta da PMI. “Com a entrada do capital privado, é possível ganhar velocidade na construção.” Não há prazo, no entanto, para que o governo decida se fará a linha para a Baixada Santista ou se manterá a linha rápida da região para a Capital nos planos.

Por Renato Lobo, com as informações de “Diário do Grande ABC” | Imagem de Wesley Souza

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios