Wellington tenta pela segunda vez dar destino aos extintos trólebus

Quarta-feira – 00h45

Após serem retirados de operação, 50 trólebus de Wellington serão convertidos em veículos movidos a bateria. Os trabalhos devem ser concluídos em janeiro, e devem custar um subsídio do governo de US$ 700.000. Serão instaladas estações de carregamento em garagens e pátio de manutenção.

A cidade tinha 60 veículos, mas a administração pública decidiu por retira-los de operação por considerar a reforma da rede elétrica, cara demais, em cerca de US$ 50 milhões.

Após a extensão dos trólebus, a empresa NZ Bus tentou adaptar os 60 ônibus com motores híbridos Wrightspeed, mas o projeto não prosperou.

1526273097262

Semelhança com São Paulo

Na década passada, na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy, 5 trólebus do modelo Torino GV foram convertidos na tecnologia híbrida, com o acoplamento de um pequeno motor a diesel. Inicialmente eram previstos a conversão de 200 trólebus, mas o projeto não foi para frente. O feito acompanhou uma tentativa de suprimir a rede paulista, mas que também não deu certo. No entanto, cerca de 40% da malha de trólebus foi retirada na época.

b6a62804281903923a062d9aa0d20572


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.