Acordo torna trem que corre na velocidade do som próximo da realidade

São Paulo – 20h43

O trem que corre próximo a velocidade do som, ou seja, perto dos 1224 Km/h, está mais próximo de se tornar realidade. A Hyperloop Transportation Technologies, empresa que toca o projeto, acaba de estabelecer um acordo com a China para construir a ferrovia. Está previsto a criação dos primeiros 10 km de via para o Hyperloop em Tongren, na província de Guizhou. Uma parceria público-privada deve financiar o projeto, sendo que 50% dos recursos serão do Tongren Transportation & Tourism Investment Group.

Os planos do trem super veloz preveem o funcionando das composições dentro de até cinco anos. Os veículos viajam dentro de um túnel com vácuo, e os vagões não possuem janelas. No lugar, serão projetados imagens artificiais. O trem usa levitação magnética, evitando o atrito com os trilhos.

Hyperloop no Brasil?

A empresa com sede em Los Angeles, nos Estados Unidos, já estabeleceu 12 acordos com governos ao redor do mundo. No Brasil, existe um centro de pesquisa e desenvolvimento localizado em Contagem, em Minas Gerais. “Brasil agora é um centro muito importante em termos de logística para pesquisa e desenvolvimento. Também falamos com governos, mas nada está assinado ainda. Mas é claro que o Brasil é um dos candidatos a receber o Hyperloop”, afirmou Bibop Gresta, presidente da HyperloopTT, disse em entrevista a Exame.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

3 Comentários deste post

  1. Triste e saber que moramos em um país corrupto, e o dinheiro pro bem do cidadão que paga impostos altos, não e revertido nem pra um transporte descente, e sim roubado pra garantir o futuro das famílias de políticos, uma vergonha, nem um simples trem de alta velocidade tem por aqui, algo ainda simples comparando a países de primeiro mundo, e o povo como sempre zzzz.

  2. Vamos aguardar, torço para que o projeto dê certo por aqui.

    Tiago Gimenes /

Deixe uma resposta