Prefeitura de SP lança PMI para implantação de Rapidão da Radial Leste

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias e com apoio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, publicou neste sábado (12), no Diário Oficial do Município, um edital de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para receber da iniciativa privada estudos para a implantação, manutenção e operação da infraestrutura do BRT (Bus Rapid Transit) e paradas de embarque na Radial Leste.

“O BRT significa melhoria de qualidade no sistema de transporte e diminuição do tempo de trajeto das pessoas entre suas casas e locais de trabalho. Essa linha vai ajudar a desafogar a linha vermelha do Metrô. Será uma grande conquista para a cidade de São Paulo”, afirmou o prefeito Bruno Covas, durante entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (11).

Com o PMI, a gestão poderá receber estudos para a concessão do sistema viário que deverá ter 28,8 km e ligará o Terminal de Ônibus Parque Dom Pedro II à Estação CPTM Guaianases. O circuito, que terá 29 paradas de embarque, será dividido em três trechos: trecho 1 com 12 km de extensão, trecho 2 com 7,4 km de extensão e trecho 3 com 9,4 km de extensão. O investimento estimado para a implantação do sistema, que inclui a requalificação das vias asfálticas e calçadas, construção de viadutos, túneis e passarelas, é de aproximadamente R$ 550 milhões.

Para o secretário municipal de Desestatização e Parcerias, Wilson Poit, a implantação do sistema BRT na Radial Leste pode melhorar muito a mobilidade em São Paulo. “O sistema BRT tem modelos de sucesso em algumas cidades brasileiras, em São Paulo existe o Expresso Tiradentes, mas temos bons exemplos também no México, China e Estados Unidos. Ele traz rapidez no deslocamento e é mais barato se comparado à implantação de metrô, por exemplo. A cada 1 km de metrô, é possível implementar mais de 16 km de BRT”, afirmou Poit.

“O sistema de transporte BRT é uma excelente opção de mobilidade para a população de São Paulo. É uma solução sustentável e que apresenta custo menor de execução. Com a via segregada, o BRT permite uma fluidez melhor para os ônibus”, destacou o secretário Municipal de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto.

Sobre o PMI

O objetivo é receber estudos para a implantação, manutenção e operação da infraestrutura do BRT e paradas de embarque. Poderão participar deste PMI pessoas físicas e jurídicas, nacionais ou estrangeiras, individualmente ou em consórcio, que preencham os requisitos de participação previstos no edital. Os interessados em participar do procedimento devem realizar o credenciamento em até 20 dias após a publicação do edital.

Deverão ser apresentados estudos de modelagem físico-operacional, econômico financeira e jurídica, que poderão ser ressarcidos futuramente pelo vencedor da concessão em caso de aproveitamento.

Entre as diretrizes e premissas que devem ser seguidas pelos habilitados estão:

– Não envolve a concessão de ônibus: os estudos não deverão considerar qualquer receita proveniente da concessão dos ônibus (tarifas).

– Unificação de contratos administrativos: contratos de realização de obras e manutenção das paradas (incluindo segurança, limpeza, etc.).

As vedações:
– Cobrança de tarifa na utilização do sistema do BRT pelo concessionário que fará a infraestrutura para o sistema;
– Exploração de painéis luminosos ou publicidade nos abrigos e pontos de parada;
– Concessão de incentivos fiscais não previstos na legislação;

Depois do credenciamento, os autorizados terão cerca de 60 dias para apresentar os estudos. Uma Comissão Especial de Avaliação analisará os projetos enviados para planejar o modelo ideal de concessão, que deverá ser lançado para consulta pública no início de 2019.

 

Fonte: Assessoria Prefeitura de SP.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

16 Comentários deste post

  1. “… “O sistema de transporte BRT é uma excelente opção de mobilidade para a população de São Paulo. É uma solução sustentável e que apresenta custo menor de execução. Com a via segregada,…”

    ——–
    Mas se deixarem entrar Taxi e essas tranqueiras ai, o BRT não terá nenhuma eficiencia e não irá desafogar a linha vermelha.

    Alias, apenas dará um folego extra. Para desafogar a linha do metrô, só com uma NOVA LINHA.

    Renato / Responder
    • O Haddad que tinha autorizado os pulhas dos taxistas a usarem o corredor. Foi fraco e cedeu à pressão dos carrocratas. Agora com o PSDB, que não é nada voltado pra mobilidade urbana, é que vão continuar deixando taxista usar corredor de ônibus mesmo!

      Gapre / (em resposta a Renato) Responder
    • Se seguir o sistema de segregação do BRT do Rio, será IMPOSSÍVEL os taxis utilizarem as faixas, por não existir acesso algum…

      Francis / (em resposta a Renato) Responder
  2. Não, taxi é sacanagem, não pode, na nove de jukho já é uma sacanagem tremenda, temos que nos unir e não deixar taxi na nove de julho, ta difícil

    Rafael / Responder
  3. Continuar a expansão da linha 2 parada desde 2016, isso sim desafogaria a linha 3

    Renato / Responder
    • Expansão da linha 2, da 15, criação da linha 6, tudo isso desafogaria a linha 3, fora os corredores de ônibus da Radial Leste, da avenida Itaquera e da Avenida Aricanduva… mas sonha, criança, sonha!

      Gapre / (em resposta a Renato) Responder
      • Na avenida Aricanduva ,nem corretor de ônibus nem ciclovia. Os vereadores da região so aparecem nas vésperas das eleições. Lamentável.

        Hernande / (em resposta a Gapre) Responder
  4. O problema é assim, falta 2 anos pra esse prefeito sair, neste tempo não começar a as obras devido um monte de estudos, licenciamentos , impugnações. Aí o novo prefeito muda todas as suas prioridades e o BRT vai pro saco.
    Cidade não tem continuidade em nada.

    Antonio carlos / Responder
  5. Só relançaram o corredor que estava nos planos da gestão Haddad com a marca de BRT. Daí leva uns 2 anos até começarem as obras, elas param porque está no fim do mandato e o próximo prefeito lança um novo corredor ainda mais “moderno”. Daí faz uma nova licitação, o TCM impugna, refazem a licitação, começam as obras novamente, mas daí falta tempo para a gestão concluir. Daí faz uma nova licitação, com um novo nome, e…

    Alex / Responder
  6. O Kassab havia feito um estudo em que foi reprovado a construção, haviam mais de 100, Cem, semáforos no trajeto, não haveria ganho substancial para o investimento que seria feito.

    Felix / Responder
  7. Já tinha visto a noticia no diário do transporte, as esperanças voltaram, de um corredor na via após o fracasso na gestão Haddad por irregularidades, espero que dessa vez de certo, só acho que a demora e grande, pelo mês que ainda estamos, espero que não fique somente no papel.

    Rodrigo Santos / Responder
  8. Antes era fura-Fila. Juntando a linha 15º Prata ate guaianazes.
    Outra linha de onibus de guaianazes até terminal mercado.

    Leandro / Responder

Deixe uma resposta para Francis Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*