Metrô inicia a construção da estação Morumbi da Linha 17-Ouro

O Governador Geraldo Alckmin inicia nesta sexta-feira, 16/02, as obras de construção da estação Morumbi, que fará parte da Linha 17-Ouro, em sistema de monotrilho. Quando pronta, a estação vai atender a 41 mil passageiros por dia.

 

A nova estação será elevada e ficará na Marginal Pinheiros, entre a estação Morumbi da CPTM e a margem do rio Pinheiros, na altura da rua Engenheiro Mesquita Sampaio, permitindo acesso rápido e gratuito à Linha 9-Esmeralda. Os trabalhos também incluem obras de adequações na estação da CPTM, com a construção de um mezanino ao final da plataforma, além do acréscimo de duas escadas rolantes, elevador e uma escada fixa.

 

A nova estação da Linha 17 terá 8.600 m² de área construída, contando com duas plataformas laterais de 60 metros cada, ventilação e iluminação natural, além de captação de água pluvial para limpeza das calçadas e irrigação dos jardins.

 

Planejada para ser totalmente acessível, a estação terá piso tátil, quatro elevadores, oito escadas rolantes, cinco escadas fixas, além de dois bloqueios especiais. O acesso também será facilitado para quem utiliza bicicleta, com a construção de dois bicicletários, sendo que um ficará ao lado da ciclovia da Marginal Pinheiros e o outro no acesso principal, na avenida das Nações Unidas.

 

A Morumbi será a última estação do trecho prioritário da Linha 17-Ouro, que terá 7,7 km de extensão e oito estações, entre Congonhas e Morumbi (CPTM), além de conexão com a Linhas 5-Lilás, na estação Campo Belo. Atualmente, cerca de 1.200 pessoas trabalham nas obras de implantação da Linha 17 e no pátio de manutenção. A expectativa é de concluir o trecho no segundo semestre de 2019, atendendo a 185 mil usuários por dia.

Concessão

No último dia 19/01, o Consórcio Via Mobilidade, composto pelas empresas CCR S.A. e RuasInvest Participações S.A., venceu a licitação internacional de concessão das linhas 5-Lilás e 17-Ouro do Metrô ao oferecer outorga fixa de R$ 553,8 milhões, o que representa ágio de 185% sobre o valor mínimo atualizado de R$ 194,3 milhões, conforme definido no edital. O Consórcio Via Mobilidade será responsável pela operação comercial das duas linhas pelo período de 20 anos. O investimento inicial previsto do parceiro privado é de R$ 88,5 milhões para melhorias de infraestrutura na estação Santo Amaro. Ao longo de todo o prazo da permissão, a expectativa é de R$ 3 bilhões de investimentos e reinvestimentos.  É importante destacar que o ativo investido na construção das linhas e na aquisição de trens não está incluso na concessão, uma vez que não se trata de privatização.

 

Croqui Morumbi2


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.