Desabamento em obra de metrô no sul da China deixa mortos

Um desabamento no local de construção de uma nova linha de metrô em Foshan, cidade da província de Guangdong, no sul da China, deixou oito mortos e três desaparecidos, informou a secretaria de Transportes do município nesta quinta-feira (8).

Outras nove pessoas foram hospitalizadas sem risco de morte depois que a construção desmoronou na noite de quarta-feira, informou a secretaria, segundo a mídia estatal chinesa.

Um trecho da rua e da calçada afundou, deixando um ponto de ônibus próximo à beira da cratera, de acordo com fotos e vídeos da mídia estatal. O local era parte da construção da segunda linha de metrô de Foshan.

Esforços de resgate e uma investigação sobre a causa do desabamento estão em andamento, disse o escritório de transporte.

Acidentes no local de trabalho são relativamente comuns na China, que sofre com a deficiência de supervisão e cumprimento dos padrões de saúde e segurança.

Várias cidades do país estão instalando sistemas de metrô subterrâneo em ritmo acelerado, parte de um esforço nacional de modernização do transporte urbano.

Fonte: G1


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

6 Comentários deste post

  1. Quero ver os comentários daqueles que elogiavam as construtoras chinesas e criticavam qualquer acidente em obras do Governo de São Paulo.

    Felix /
  2. Em SP uma obra de poucos quilômetros de metrô demora anos ou décadas mas pelo menos aqui não tem essas coisas de desabamento… não, pera… “desabamento do canteiro de obras da Linha 4-Amarela do Metrô” (http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL665-5605,00.html)

    Importante, antes de tomar conclusões precipitadas e formar discursos cheios de nada, entender realmente o que houve para acontecer o desabamento. Pode ter sido erro humano, neglicência, falta de cuidado ou até mesmo algum fator imponderável, qual sempre existe o risco para este tipo de obra.

    O.Juliano /
  3. Normal, a China tem um histórico enorme de acidentes causado por n’ fatores.
    Google está ai para isso, se for puxar o histórico de acidentes por lá, ocupará essa página inteira com links.

    Ditadura e comunismo, que passam por cima de tudo e de todos….o que vai esperar?

    Renato /
  4. Só lembrando que:

    Se considerarmos o volume de obras entregues vs. o número de acidentes, São Paulo ainda tem um índice de segurança pior rs

    Não só na questão de obras, mas em termos de tecnologia e sistemas de informação e interação com o usuário os sistemas de metrô asiáticos estão anos luz à frente da linha amarela de SP (imagine do resto do sistema). Sistemas instalados mesmo nos trens mais antigos informam não só a próxima estação e as conexões possíveis, como também localização das saídas em relação àquele vagão específico, tipo de acesso (escada rolante ou elevador), entre outras informações em 4 idiomas geralmente (em Tóquio, por exemplo, em Japonês, inglês, chinês e coreano). As catracas são preditivas e ficam abertas, podendo operar nas duas direções o q significa uma capacidade muito maior de passageiros por minuto, e elas se fecham em caso de não pagamento ou pagamento errado a tempo de deter algum espertinho, td graças à tecnologia. Isso sem contar os números de eficiência e segurança, em que pese o incomparavelmente maior número de passageiros transportados. Então dá pra ver q comparar com o metrô de SP nem rola né… =/

    Giuliano /
  5. Acho que e possível em qualquer país, corrupção e obre demorada e outra historia.

Deixe uma resposta