Ecorodovias leva Rodoanel Norte

A Ecorodovias venceu nesta quarta-feira (10) a disputa pelo Trecho Norte do Rodoanel de São Paulo, ao oferecer R$ 883 milhões de outorga fixa pela concessão, ágio de 90,97% em relação ao valor mínimo fixado para a operação, de R$ 462,4 milhões. A companhia disputava o leilão com a Autostrade, controlada do grupo italiano Atlantia, que ofereceu R$ 517,8 milhões pelo trecho, ágio de 12%. As duas companhias foram as únicas a entregar propostas.

O presidente da Ecorodovias, Marcelino Rafart de Seras, disse que a proposta feita para o Trecho Norte do Rodoanel vai permitir à empresa continuar com o crescimento qualificado.

Segundo Seras, a Ecorodovias trabalhara meses no projeto. “Isso nos permitiu ter uma proposta competitiva, séria e que, temos certeza, vai nos permitir continuar com crescimento qualificado, que é o destino da Ecorodovias como empresa de capital aberto”, afirmou.

Com a vitória, a Ecorodovias encerra um jejum de leilões. É o primeiro ativo que arremata desde a licitação da ponte Rio-Niterói, em 2015. A companhia disputou, sem sucesso, as outras duas licitações de rodovias paulistas, a Centro-Oeste e a dos Calçados, em 2017.

Após o leilão, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) destacou em discurso que o certame, o primeiro de 2018, demonstra confiança no Estado de São Paulo e disposição da iniciativa privada para investir.

“Estamos fechando o Rodoanel, ligando a rodovia Bandeirantes com a Dutra, com uma interligação com o Aeroporto de Cumbica. Tivemos concorrência internacional e um grande ágio”, disse o tucano.

“Estamos dando um passo para reforma, iniciada no Estado de São Paulo, em que governo não deve ser o provedor de tudo”, disse.

Fonte: Valor Econômico


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

5 Comentários deste post

  1. Boa notícia.

    Felix /
  2. Dinheirão em caixa para fazer alguma coisa no ano eleitoral vai bem !!!!

    Jurandir /
  3. Melhor privatizar do que aquelas estradas das mortes dos anos 90 administradas pelo DERSA né ? Aquelas pertenciam ao estado e não existia pedágios. Mas também chegar vivo ao seu destino era uma loteria.

    Rodrigo Salome /

Deixe uma resposta