Corredores de ônibus registram pior velocidade média em 4 anos em 2017

A velocidade média nos corredores de ônibus de São Paulo em 2017 foi a menor registrada nos últimos quatro anos, segundo dados da própria SPTrans, a empresa municipal de transporte.

Em 2017, a velocidade dos coletivos nas pistas segregadas para o transporte público foi de 22,43 km/h em média. Em 2016, esse número era de 23,38 km/h.

Nos anos de 2014 e 2015, a média nos corredores havia sido de 23,42 km/h e 24,02 km/h, respectivamente.

Os dados foram obtidos pela GloboNews por meio da Lei de Acesso à Informação.

O presidente da SPTrans, José Carlos Martinelli, creditou a redução da velocidade às obras de manutenção do asfalto e ao aumento do tempo de travessia dos pedestres em diferentes vias.

“Nós melhoramos muito a manutenção do piso, e essas intervenções causam uma piora temporária [na velocidade]”, afirmou à GloboNews.

Para Martinelli, a queda no desempenho em relação a 2016 é “pequena”.

“De uma maneira geral, nas condições que os nossos corredores operam, essa velocidade em torno de 20 km/h de média é uma velocidade comercial boa, porque é uma velocidade que leva em conta todas as paradas que o ônibus faz para que os passageiros acessem e desçam do veículo”, disse à GloboNews.

Táxis

Questionado sobre a permissão concedida aos táxis de usarem as vias segregadas, regulamentada ainda na gestão Haddad (PT), o presidente da SPTrans acredita que não é possível ter certeza de que a medida contribuiu para a redução da velocidade média.

“Na nossa avaliação, os táxis, ao longo da história dos corredores de São Paulo, já estiveram presentes e saíram várias vezes” disse Martinelli. “Não dá pra gente ter uma assertiva de que são os táxis o principal problema.”

Procurado, o ex-secretário de Transportes de Fernando Haddad, Jilmar Tatto, disse que “estudos realizados mostraram que o impacto não era significativo na velocidade média dos coletivos”.

“Além disso, seriam feitas avaliações todos os anos seguintes para verificar a continuidade dessa liberação”, afirmou Tatto à GloboNews, por telefone.

Até 2016, a Prefeitura de São Paulo havia estipulado atingir uma velocidade média de 25 km/h nos corredores, segundo o Plano de Metas.

Fonte: G1


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

20 Comentários deste post

  1. Tirem os taxis dos corredores de ônibus urgentemente! O que é que eles tem que fazer em corredores de ônibus??????????

    Gapre /
    • Concordo. Não tem nada a ver táxi em corredor de ônibus. Mas creio que o que falta é racionalizar melhor as linhas. É uma bagunça total esses corredores. E o pior é que a prefeitura parece que se esqueceu que transporte público precisa de alguma atenção.

      • Isso foi coisa do Haddad, ele foi muito frouxo, ficou aceitando pressão dos taxistas. Penso que se tivéssemos um prefeito com a garra do Dória, mas com as ideias do Haddad, a cidade decolaria. O problema é que o Haddad só ficava no papo e o Dória só age pro que não presta. Aí fica difícil!

        • Fato, mas não é a primeira vez que os taxis são liberados nos corredores. Se não me engano, na gestão do Kassab, tb liberou, depois não sei o que houve que proibiu de novo.

          O problema do Dória é a mania de querer agradar a gregos e troianos. Não da para melhorar o transporte publico sem atrapalhar o carro. Tem que tirar espaço do carro mesmo, como fizeram as cidades de Santiago, Bogotá, Buenos aires, NY, Paris e outras.

          • Renato, pro Dória é assim: se for pra agradar o “mercado”, os empresários, fortalecer o Lide e beneficiar quem tiver mais poder aquisitivo, ele defende feito uma fera. Se for pra ajudar os mais necessitados, fazer algo em prol do coletivo e da mobilidade urbana e outras “frescuras” (segundo a cabeça de vento dele), ele rejeita solenemente, Sabe quando o Dória e o partido dele vão se preocupar com quem anda no corredor de ônibus ou em melhorar a vida de quem usa transporte público? Nunca!

            Gapre / (em resposta a Renato)
      • PS: vc é engraçado, Josh, muda de humor como quem muda de meia. Deve ter problemas psiquiátricos gravíssimos, rs

  2. O fechamento de cruzamentos é corredores é cada vez mais comum também, aquela história de câmera nos ônibus demorou demais para passar a valer

    Alexandre i /
  3. A tendência é melhorar, esse ano o orçamento é a que o Doria/Câmara aprovaram em sua Gestão, em 2017 Doria trabalhou com orçamento feito na outra gestão /Camara anterior.

    Felix /
    • Muito errado. O orçamento de 2017 foi feito em conjunto pela gestão Haddad e a equipe da gestão Dória. Dória inclusive, teve a opção de alterar inúmeras coisas. Basta fazer uma busca rápida no google.

  4. Penso que a ideia de táxi em corredor de ônibus, não é de todo ruim. O problema mais claro no momento, é a falta de fiscalização, porque eles só podem circular com passageiros e é bastante recorrente ver automóveis vazios. Importante lembrar que as pessoas que pegam táxis são aquelas que optam por não sair com seus carros e tb não querem ir de ônibus. Se o táxi não for rápido, ele tira o carro da garagem.

    Jose Rocha /
  5. Aí o ônibus sofre um acidente e a globo já quer saber logo do tacógrafo. Afinal o ônibus tem que ser rápido ou lento? Se aumenta a velocidade: cadê o tacógrafo; se diminui a velocidade: insinua má gestão. Manera né globo!

    Andre /
  6. Ué, agora deu um nó no cérebro, a maioria dos comentaristas defendiam a redução da velocidade para segurança, agora defendem aumentar a velocidade? O problema está na mudança da Gestão ou na mudança do ponto de vista?

    Felix /
  7. problema de taxis em corredor em SP chama-se: Vereador, tem um naõ lembro o nome dele que é o mandão em tudo, o que ele pede a prefeitura faz, inclusive gestão de multas, ele interfere no cancelamento de muitas levadas por taxistas.

  8. A responsabilidade com um busão biarticulado lotado é muito maior que um veículo pequeno com na media 3 passageiros.É incomparável a relação.

    Felix /

Deixe uma resposta