Ciclovia Rio Pinheiros recebe mais de 470 mil ciclistas em 2017​

As bicicletas estão cada vez mais conquistando espaço no cenário urbano. E, por isso, a cada ano aumenta o número de ciclistas que utilizam a Ciclovia Rio Pinheiros da CPTM. No ano passado, foram 470.299, um aumento de 17% em relação a 2016.
O mês que mais atraiu ciclistas foi o de setembro, com 48.616 entradas. Nessa época, o clima ficou mais ameno em relação ao frio dos meses anteriores e ocorreu o evento Shimano Fest, que contou com a participação de vários apaixonados pela “magrela”.
Desde a inauguração, em fevereiro de 2010, um total de 3.547.673 ciclistas já percorreram a via. Aos finais de semana, são cerca de 2 mil pessoas pedalando, com média mensal de 35 mil bikes.  O funcionamento é diário, das 5h30 às 18h30, inclusive feriados. Durante o horário de verão, o horário é ampliado, das 5h às 19h30.
Localizada entre as margens do rio Pinheiros e a Linha 9-Esmeralda da CPTM, a ciclovia se estende da estação Villa-Lobos-Jaguaré até a av. Miguel Yunes, entre as estações Jurubatuba e Autódromo. Ao todo, são seis acessos: um pela av. Miguel Yunes, nº 620; quatro junto às estações Jurubatuba, Santo Amaro, Vila Olímpia e Cidade Universitária; e o sexto pela ciclopassarela da Prefeitura nas proximidades da ponte Cidade Jardim (Parque do Povo).
A ciclovia tem como diferencial seis pontos de apoio com banheiro, bebedouro e atendimento ao longo do percurso: av. Miguel Yunes, Santo Amaro, Vila Olímpia, Cidade Jardim, Cidade Universitária e Villa-Lobos/Jaguaré. Além disso, há um estacionamento para carros com 45 vagas, no acesso pela av. Miguel Yunes.
Cabe ressaltar que, em razão das obras de implantação da Linha 17-Ouro, a ciclovia está fechada entre as Estações Vila Olímpia e Granja Julieta (ponte João Dias). A alternativa para os usuários é a via aberta provisoriamente pelo Metrô na outra margem do Rio Pinheiros, com transposições nas pontes João Dias e Cidade Jardim.
Bikes nos trens
Outra forma de incentivo ao uso de bicicletas é a permissão do acesso de ciclistas nos trens da CPTM, de segunda a sexta-feira, das 20h30 até o encerramento da operação; aos sábados, a partir das 14h e aos domingos e feriados, durante todo período operacional, das 4h à meia-noite.
Os ciclistas também dispõem de 31 bicicletários ao lado das estações da CPTM, com 7.934 vagas. Desse total, 28 são de responsabilidade da Companhia. O bicicletário de Santo André é administrado pela EMTU, e o de Pinheiros pela Via 4. Todos gratuitos. A única exceção é o bicicletário de Mauá, que é administrado pela associação de ciclistas Askobike, e cobra mensalidade de R$ 25 dos sócios e diária de R$ 3 de eventuais usuários
Fonte: Assessoria CPTM

 


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

3 Comentários deste post

  1. Excelente notícia! Acrescentando mais informações, nos trens e metrô é possível entrar em QUALQUER HORÁRIO com bicicleta dobrável, segue a fonte: http://www.metro.sp.gov.br/sua-viagem/bicicletas/bicicleta-metro.aspx

    Daniel /
  2. Parece que alguns ciclistas,ou sei lá o nome, estão pelas ruas se igualando àqueles que estão nestas motos? Vai bem assim!!

    Joel /
  3. isso é dinheiro jogado fora

    Jurandir /

Deixe uma resposta