Expresso Leste da Linha 11-Coral recebe mais 2 trens

Nesta segunda-feira, 04/12, mais dois novos trens, da série 8.500, fabricadas pela CAF, entraram em operação no serviço Expresso Leste (Luz – Guaianases), na Linha 11-Coral, totalizando 26 novos trens em operação (16 trens para a Linha 7-Rubi e 10 para a Linha 11-Coral) do lote de 65 unidades compradas.
Com a entrega de mais duas composições, a CPTM dá continuidade ao processo de padronização da frota de todas as linhas. O objetivo é oferecer trens modernos e com ar condicionado, proporcionando mais conforto aos usuários.
Com salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), os trens possuem monitoramento com câmeras na parte externa e interna e são acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência (contam com sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, mapa dinâmico e áudio, além de espaço para cadeirantes). Também dispõem de monitores digitais internos com informações e interação das principais notícias sobre a prestação de serviços, além de reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria.
Os demais trens serão entregues ao longo dos próximos meses e entrarão em operação, após a realização de testes que são feitos nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização. Dependendo das necessidades de ajustes que surgirem e do tempo de solução por parte do fabricante, os testes podem ser prolongados. As novas composições são incorporadas à frota de acordo com a necessidade operacional de cada linha. ​
Fonte: Assessoria CPTM

 


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

5 Comentários deste post

  1. As notícias boas estão chegando, mais dois bons presentes de Natal.128° é uma boa colheita.

    Felix / Responder
  2. Falando nisso na Luz já estão colocando madeiras abaixo das plataformas, pra diminuírem o vão atual que e muito grande, o que foi dito que fariam a um tempo atrás.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta para Marcelo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*