Alckmin entrega Terminal Metropolitano de Americana

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), finalizou as obras do Terminal Metropolitano Americana, empreendimento que integra o trecho Nova Odessa/Americana/Santa Bárbara D´Oeste do Corredor Metropolitano Vereador Biléo Soares. O investimento total foi de R$ 23,2 milhões.
A conclusão dos serviços e a inauguração neste sábado (16/12), com a presença do governador Geraldo Alckmin, permite aos usuários utilizarem a infraestrutura completa do terminal, que inclui escada rolante, bilheteria, bicicletário, seis sanitários e espaço para lojas e lanchonetes. O novo equipamento também dispõe de piso podotátil e sinalizações visual e tátil de ambientes.
Localizado na Avenida Antonio Lobo, s/n (ao lado da histórica Estação Ferroviária), em uma área com 10.800 m², o térreo do terminal encontra-se em operação desde maio de 2016, beneficiando diariamente mais de 35 mil usuários da Região Metropolitana de Campinas. São quatro plataformas por onde circulam 32 linhas intermunicipais que ligam a cidade de Americana à Santa Barbara D’Oeste, Nova Odessa e Sumaré, além de 36 linhas municipais.
O piso térreo é composto por bilheteria, bicicletário com 62 vagas, dois sanitários (um feminino e outro masculino) destinados a pessoas com deficiência e área para embarque e desembarque de passageiros.
O piso superior, inaugurado agora, dispõe de quatro sanitários, sendo dois acessíveis, e setor administrativo, além de espaços reservados a lojas e lanchonetes. Está em andamento um processo de licitação para uso comercial da área, que terá a abertura de proposta aos interessados em 20/12/2017.
Entregas de obras previstas para 2018
• Viário das avenidas São Paulo (Sta. Barbara) e Europa (Americana) com sinalização vertical, horizontal e semafórica, e pontos de parada;
• paradas Mônaco e Juruema na av. Europa;
• paradas Limeira, Algodão e Alfredo Contato, em Santa Bárbara d’Oeste;
• estações de transferência São Paulo e Amizade, em Santa Barbara;
• viário das avenidas da Fazenda e faixas exclusivas na Laura Santos, em Sta. Barbara – inclusive com ciclovia, pontos de parada, serviços de infraestrutura hidráulica, drenagem e sinalização viária;
• adequação do sistema viário nas avenidas Perola Byington, Floriano Peixoto e Tiradentes (Sta. Barbara);
• Estação de Transferência Ribeirão dos Toledos (Sta. Barbara);
• paradas Prefeito Isaias, Tivoli e mais quatro pontos de parada entre a Estação de Transferência Ribeirão dos Toledos e o Rodoterminal de Sta. Barbara;
• ponte sobre o Ribeirão dos Toledos;
• viaduto João Nicolini (Nova Odessa);
• drenagem da rua João Bassora (Nova Odessa);
• pontos de parada av. Dom Pedro e S. Jerônimo (Americana).
Fonte: Assessoria EMTU

Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

17 Comentários deste post

  1. É São Paulo rumo ao futuro, sempre colhendo coisas boas .

    Felix /
  2. E foi ao fim o último capítulo dessa novela.
    A ineficiente EMTU botou pra funcionar um terminal que era previsto para ser inaugurado em 2014.
    Até onde eu sei, a EMTU é uma empresa controlada pelo estado e planeja, fiscaliza e gerencia o transporte de baixa e média capacidade(rodoviário ou ferroviário) nas regiões metropolitanas do estado de SP.
    Mas, na prática, aqui na RMC virou uma empresa que “abre as pernas” para o monopólio de 2 ou 3 empresas que dominam o transporte público rodoviário há anos.
    Não há novidades, projetos novos, apenas soluções paliativas que visam manter os privilégios do tal monopólio.

    Gustavo /
    • Infelizmente o sistema de ônibus sempre foi dominado por máfias, essas máfias financiam as campanhas eleitorais e como “troca” tem seus interesses preservados. Por isso esses projetos simples, como BRT da RMC e RMBS demoram tanto.
      É uma pena

      rafael oliveira / (em resposta a Gustavo)
  3. melhor entregar atraso do que nao entregar nada

    Jurandir /
    • Sim, tipo as prefeituras tukanas na capital paulista que não entregam nem terminais nem corredores de ônibus

    • Melhor entregar no prazo prometido, sempre. A população não pode mais esperar e qualquer atraso aumenta o custo das obras. É dinheiro saindo pelo ladrão, literalmente.

      Você ficaria feliz se pedisse uma pizza de camarão com borda de catupiry no prazo de 30 minutos, mas recebesse depois de 6 horas uma de muçarela?

  4. Entregou hoje a Fonte da Praça Ramos de Azevedo novinha em folha até com carregador de celulares, está convidado a visitar.Toos os monumentos históricos e pracas estão sendo restauradas.Estavam abandonadas.

    Felix /

Deixe uma resposta