França testa ônibus elétrico da Volvo

A cidade de Marselha, na França, está iniciando um projeto piloto com um ônibus elétrico híbrido da Volvo.  O piloto terá duração de quatro semanas e será conduzido pela RTM (Régie des Transports Metropolitains).

 

A cidade é a primeira do país a testar o ônibus elétrico híbrido da Volvo, com o conceito de recarga rápida da bateria do motor elétrico nos pontos de embarque e desembarque e o uso de biocombustível (HVO). Os testes estão sendo realizados em uma operação real, na linha 82 em frente ao Museu Etnográfico “Le MUCEM”, em parceria com a Volvo e a ABB.

 

O Volvo Elétrico Híbrido opera silenciosamente e livre de emissões, no modo 100% elétrico, por cerca de 8 km. A bateria do motor elétrico é abastecida nas estações de recarga rápida, instaladas nos pontos finais dos ônibus em cooperação com a ABB,  levando de 3 a 6 minutos . O sistema é baseado na interface de carga aberta OppCharge.

 

Em comparação com um ônibus diesel convencional equivalente, o Volvo Elétrico Híbrido consome 60% menos energia. O motor a diesel do veículo é abastecido com o biocombustível renovável HVO (óleo vegetal hidrogenado),  reduzindo drasticamente as emissões quando o ônibus opera no modo híbrido, com os motores elétrico e a diesel operando de forma paralela.

 

Recentemente, a Volvo vendeu 90 ônibus elétrico híbridos para a Bélgica. A empresa também tem pedidos dos Luxemburgo, Alemanha e Suécia. No total, a Volvo já vendeu mais 3.600 de ônibus eletrificados em todo mundo.

 

Fonte: Assessoria Volvo


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

6 Comentários deste post

  1. Países que não tem máfia de de montadora, e encarroçadora fica muito mais fácil fazer teste e adquirir, no Brasil tudo e errado, tudo tem monopólio, triste.

    Rodrigo Santos / Responder
    • Não é uma questão de máfia (que só existe na cabeça de alguns) mas sim de custo/eficiência. A tração elétrica é cara, sem resolver a questão financeira, não adianta esbravejar.

      Ivo Suares / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
      • Você ganha quanto pra defender o PSDB?

        • O mesmo que você ganha.

          Pensei que você tivesse algo para acrescentar, porém vejo que só vem aqui para se portar como uma fanático capaz de partidarizar qualquer coisa que exista na face da terra.

          Ivo Suares / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
          • Você respondeu exatamente nos dois comentários que são ligados ao PSDB pra defender, não posso fazer nada amigo.

          • Respondo sobre a questão técnica nesse post. Você preferiu fugir para o partidarismo. O fato é: ônibus elétrico hoje não é viável no Brasil. E a discussão deveria ser sobre como mudar esse panorama para viabilizar o ônibus elétrico.

            Mas você nunca se mostra interessado em discutir nada, só em partidarizar e radicalizar tudo. A diferença entre você e o Felix está na cor do partido.

            Ivo Suares / (em resposta a Ivo Suares)

Deixe uma resposta para Rodrigo Santos Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*