Aeroporto de Campina Grande comemora 54 anos

O Aeroporto de Campina Grande/Presidente João Suassuna (PB) comemorou 54 anos de operações nesta segunda-feira (30/10). Localizado no agreste paraibano, distante a apenas seis quilômetros do centro da cidade, o terminal opera diariamente voos regionais e nacionais, movimentando uma média de 11,5 mil passageiros por mês.

Atualmente, o aeroporto conta com três voos diários, sendo dois da empresa de linhas aéreas Gol e uma da Azul, que interligam o aeroporto às cidades de São Paulo (SP), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), João Pessoa (PB) e Petrolina (PE). Em 2016, cerca de 128 mil usuários passaram pelo terminal, que tem capacidade para receber até 900 mil passageiros/ano. Até setembro deste ano, foram mais de 100 mil viajantes, entre operações de embarques e desembarques.

O superintendente do Aeroporto Presidente João Suassuna, Marcelo de Castro Costa, destaca que o terminal é um portal de entrada de estudantes, professores, empresários e turistas e tem na época do São João sua maior movimentação. “Campina Grande é pujante na educação e na indústria, com duas universidades públicas, diversas faculdades privadas e escolas técnicas, de ensino médio e fundamental de excelência, bem como um parque fabril com importantes indústrias nacionais. Durante o mês de junho, também se realiza o Maior São João do Mundo, quando costumamos receber um maior número de turistas”, lembra.

O sítio aeroportuário ocupa área de 821 mil m², com uma pista de pouso e decolagens de 1.600 metros de comprimento. O terminal de passageiros conta com serviços de lanchonetes, agências de turismo e locadoras de veículos, além de oferecer aos usuários um estacionamento de veículos com 200 vagas.

Criado pela Lei nº 3.795 de 1960, o aeroporto foi inaugurado em 1963, passando a fazer parte da Rede Infraero no ano de 1980. Sua denominação é uma homenagem ao ex-governador da Paraíba, João Suassuna.

Em 1º de abril deste ano, o aeroporto passou a funcionar 24h para atender a possíveis demandas da aviação civil, sejam de aeronaves da aviação regular ou de operações da aviação geral.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*