Audiência Pública sobre combustíveis limpos acontece no próximo sábado, 16

Acontece neste sábado, 16 de setembro, das 10h no Salão Nobre / 8° andar – da Câmara dos Vereadores de São Paulo a audiência pública sobre os três projetos de lei que visam equacionar o não cumprimento, por parte das empresas de ônibus, do artigo 50 da Política Municipal de Mudança do Clima, segundo o qual a cidade deveria ter 100% de sua frota de transporte público municipal movida a combustíveis limpos no ano que vem.

 

Além de uma nova data para o fim do uso do diesel no transporte público de São Paulo, os projetos dos vereadores Milton Leite (presidente da Câmara), Gilberto Natalini e Caio Miranda incluem outros pontos.

 

Resumidamente:

  • A proposta de Milton Leite, presidente da Câmara dos Vereadores, não dá prazo para o fim do uso do diesel como combustível dos ônibus, porém retoma a necessidade de inspeção para todos os veículos usados pelo poder público municipal, caminhões utilizados no CEAGESP, ônibus intermunicipais e fretados.
  • A proposta de Gilberto Natalini dá prazo de 20 anos para o fim do uso do diesel no transporte público de São Paulo.
  • A proposta de Caio Miranda reduz esse prazo para 10 anos, mas não define sanções para quem não cumprir a lei, apesar do fato de que o projeto visa justamente equacionar o cumprimento de uma lei já existente.

 

Neste link você pode acessar uma tabela comparativa mais detalhada.

 

POR QUE ISSO É IMPORTANTE

 

  • A poluição mata duas vezes mais que o trânsito em São Paulo.
  • Mais de 3 mil mortes serão causadas neste ano por problemas de saúde agravados especificamente pelas emissões de poluentes da frota de ônibus a diesel.
  • Somente o diesel, combustível usado em praticamente toda a frota de ônibus da cidade, será responsável por 178 mil mortes em 30 anos, com um custo de R$ 54 bilhões apenas em internações. Quase 13 mil mortes até 2050 podem ser evitadas se os ônibus municipais passarem a usar combustíveis renováveis.
  • Ficar parado no trânsito de São Paulo por duas horas equivale a fumar um cigarro.
  • A poluição do ar é, comprovadamente, a causa do câncer de pulmão (o mais letal dos tumores) e de bexiga, como também é responsável por doenças cardio e cerebrovasculares, tais como arritmia, infarto do coração e derrame cerebral, e está relacionada à metade dos casos de pneumonia em crianças.
  • Segundo a OMS, a poluição do ar no mundo causou 8 milhões de mortes precoces em 2015 e, atualmente, é a principal causa de morte por complicações cardiorrespiratórias relacionadas ao meio ambiente.
  • A ecofrota da capital, que já teve 1.846 veículos em 2013, tem hoje apenas 212 carros movidos por algum tipo de energia limpa – menos de 1,5% do total de 14.511 ônibus da frota municipal veículos.

Fonte: Assessoria de Imprensa  AVIV


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

10 Comentários deste post

  1. Antes de atender uma agenda Global vinda de OEA, ONU ou ONS temos que esperar que países que ditam tais regras sejam exemplos.

    Felix / Responder
    • Infelizmente é assim que a maioria das coisas funcionam (quando funcionam) aqui…

      O.Juliano / (em resposta a Felix) Responder
    • Vira e mexe aparece um comentário do Felix que eu, incrivelmente, concordo em gênero, número e grau. Este foi um exemplo.

      Gapre / (em resposta a Felix) Responder
    • Complica esperar tais países se adequarem para se mexer, que pega bem mal esse faça o que digo não o que faço pega, mas se for nessa linha é difícil sair algo por aqui.

      Alexandre i / (em resposta a Felix) Responder
      • Na Europa a maioria dosveiculos são movidos a Diesel e aqui a gasolina com 27%de etanol,e carros a etanol, menos poluente.O Brasil já faz sua parte a muito tempo.Acreditamos que essa é uma prioridade da Europa e não dos países que nem o problema de Saneamento Básico foi resolvido.Podemos avançar devagar, mas não é nossa prioridade.

        Felix / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • Que existem outras prioridades com toda certeza, quanto ao uso do diesel em automóveis pessoais na Europa é uma discussão talvez até recente até pouco tempo atrás tomaram um “golpe” da vw alterando os números de emissão de poluentes, talvez tudo vire passado com os híbridos para automóveis pessoais, Mas convenhamos que não faz sentido botar uma frota sem ver esse ponto, logico que não precisa ser um ônibus 100% elétrico, mas tem que ser avaliado as opções com o que tem no mercado considerando a emissão de poluentes.

          Alexandre i / (em resposta a Felix) Responder
          • Concordo, aos poucos ir substituindo e gastar maior energia nas prioridades, transportes sobre trilho, onibus elétricos, trolebus em pequenas distâncias, bairro estações de Metro/CPM, VLTs, Saneamento, Segurança e Creches Escolas com bons professores para que crianças sejam bem preparadas para quando chegar na adolescência possam concorrer nas melhores Universidades.

            Felix / (em resposta a Alexandre i)
  2. Isso tem que ser decidido com quem entende os dois lados, se o mundo prova que menos poluente e bom, e porque e, chega de facilitar pra empresas e seu monopólio.

    Rodrigo Santos / Responder
  3. E Enquanto a Saga Vivida Pela E. A. O. PSM (Penha São Miguel) Hoje VIP Itaim Paulista da Primeira Vez Com Nome Fantasia Para Viação Itaim Paulista (VIP), Também E. O. V. SJ (São José) Hoje VIP A. E. Carvalho “Unidade Jd. Cotinha” e LO (Viação Leste-Oeste) Depois ET (Expresso Talgo) Hoje VIP A. E. Carvalho “Unidade Imperador”?

    Michell / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*