SP deve ter 60 ônibus elétricos ainda este ano

A cidade de São Paulo deve ter ainda este ano, em sua frota, 60 ônibus elétricos, abastecidos com energia solar, que farão linhas com percursos na zona leste e no centro.

 

Cada ônibus consegue rodar 300km com uma carga de duas horas. Fazem mais de 60km com um litro de combustível.

 

“Estivemos com um dos operadores de Shenzhen, que tem 5 mil ônibus e 100% da frota com ônibus elétricos”, disse o secretário municipal de Transportes, Sergio Avelleda. “Estamos sendo desafiados a montar a equação financeira para a paulatina substituição dos ônibus em São Paulo por veículos mais eficientes”, disse. “Nós queremos que, nos próximos contratos, os operadores tenham por meta, anualmente, reduzir a emissão de gases que provocam doenças respiratórias e efeitos no clima global”, afirmou.

 

As negociações estão entre a fabricante BYD e a viação Ambiental. A Ambiental opera 200 trolebus na cidade e mais 60 ônibus movidos a diesel.

 

A nova licitação não fará exigência de combustível limpo mas terá metas de redução de emissão de poluentes.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

13 Comentários deste post

  1. Veremos que isso ira se concretizar.

    Rodrigo Santos / Responder
  2. Tomara que se concretize.

    Arthur Lira / Responder
  3. ônibus solar, 300km com 2 horas de recarga e 60km com 1 litro de combustível… confuso, muito confuso! hahaha

    Tem alguma empresa européia/americana que tenha uma frota nesses moldes?

    Raul / Responder
  4. Não vai citar a “gestão Dória” assim como noticiam esse termo em notícias ruins??

    R / Responder
    • a do corte de investimentos nos transportes pelo subsídio tambem não citou deve ser reeditado?

      Alexandre i / (em resposta a R) Responder
    • Quando o prefeito anterior tava implantando esses ônibus na rede da SPTrans também não citavam “gestão Haddad”

      Gapre / (em resposta a R) Responder
  5. Rapaz, esse prefeito está a todo vapor.Cada dia uma noticia melhor que a outra.

    Felix / Responder
    • sua percepcao de velocidade e meio copo cheio(somente quando se fala em psdb) é de outro mundo

      Alexandre i / (em resposta a Felix) Responder
  6. O que precisamos é que a concessão saia logo, para reorganizar os transportes e colocar metas realizáveis às empresas para que as frotas sejam renovadas e enquadradas na meta de redução de poluentes. Além dos BYD elétricos, a médio prazo as empresas poderiam investir na conversão dos Diesel para Híbridos, ao menos para os corredores de tráfego pesado. Tecnologia aqui no Brasil há pra isso. Falta é boa vontade.

    Renato / Responder
    • O interessante é ver como a BYD pegou rapidamente o mercado. Não há outra concorrente exposta (a Eletra não se põe como possibilidade :( e não há concorrentes de outros países).

      Mas você está totalmente certo: concessão urgente, reorganização de transporte e metas para renovação de frota o quanto antes.

      Anonimato / (em resposta a Renato) Responder
      • E conseguiram equacionar o problema com as encarroçadoras, a BYD faz o chassi e as outras encarroçam.

        Mauri / (em resposta a Anonimato) Responder
        • Sinceramente não gostei muito disto. Não sei como é em outros países, mas queria ver mesmo mais “monoblocos” ou “visuais diferentes” por aqui. Bem, aí é gosto pessoal.

          O visual do BYD original acho interessante: meio que um “cubo de pontas redondas”. Lembra-me os ônibus europeus e o O-371, que acho um dos mais bacanas. O encarroçamento acaba botando os ônibus em um visual já “padronizado” – a “caixa de cabeça redonda”. O visual do Caio é bonito, mas cansa rápido. Não me pergunte porque.

          Outro ponto é que com isso a BYD meio que “se rendeu” ao já famigerado sistema brasileiro. Lembrando quem são os donos atuais da Caio, claro.

          Anonimato / (em resposta a Mauri) Responder
          • É verdade, se viessem o monoblocos teria mais opção e diferentes ônibus, mas é difícil(ao que parece ,já que até a mercedes largou os monoblocos),então menos mal que pelo menos os chassis vieram.

            Mauri / (em resposta a Anonimato)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*