Integração de VLT e ônibus de Santos começa em 45 dias

O governador Geraldo Alckmin assinou neste sábado, 29, um convênio que prevê a integração tarifária entre os ônibus de Santos e o VLT que passa pela cidade.

 

A viabilização da medida permitirá uma economia de R$ 3,50 por viagem para os usuários que utilizam os dois tipos de transporte público. Hoje, eles são obrigados a desembolsar R$ 7,90 e passarão a gastar R$ 4,40. A integração deve começar a valer em 45 dias.

 

Hoje, somente os ônibus intermunicipais tem o benefício.

 

É importante que o usuário fique atento, porque apenas dez linhas municipais serão integradas ao modal sobre trilhos: 7, 13, 20, 30, 40, 53, 77, 153, 154 e 155.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

28 Comentários deste post

  1. É São Paulo dando mais um passo rumo ao futuro.

    Felix / Responder
  2. É São Paulo dando mais um passo rumo ao futuro.

    Felix / Responder
  3. Se voltasse os trilhos até Santos, poderia ser um passo extra.

    Bruno Massolini / Responder
  4. Fui lá pra Santos no mês passado e já fazia pelo menos uns 9 meses que não circulavam trólebus na linha 20 pelas obras do VLT. O VLT está pronto e continua sem trólebus. Alguém sabe quando e se vão voltar a circular os Trólebus da Linha 20?

    Rafael de Souza / Responder
  5. que bom que tá sem trolebus … trolebus só serve para gerar poluição visual com um monte de cabos sujos,

    Jurandir / Responder
    • Discordo se as catenarias forem bem feitas
      Aí seria bom

      Fabiano / (em resposta a Jurandir) Responder
    • Sr. Jurandir, por favor guarde o mimimi mimimi de cabos sujos de catenária de trólebus para o senhor. Eu estou aqui perguntando se alguém tem alguma informação sobre os trólebus da linha 20. Se o senhor é contra rede de alimentação por rede aérea de cabos por poluição visual e prefere transporte urbano que queima óleo diesel creio que está visitando o site errado. Ah só pra lembrar, o VLT de Santos usa rede aérea também. Abraços.

      Rafael de Souza / (em resposta a Jurandir) Responder
  6. Fui conhecer o VLT e é um modal que deveria ser seriamente considerado em relação ao monotrilho. Silencioso e moderno!

    Ed / Responder
    • monotrilho já tem projeto pronto e td mais, se fosse em substituição ao expresso Tiradentes talvez

      Alexandre i / (em resposta a Ed) Responder
      • Acho que o Ed quer dizer em relação a futuros projetos, como o famigerado “linha ABC”.

        O Tiradentes sempre foi para criar um modal exclusivo. Não me lembro se em reportagens que li, havia alguma possibilidade de fazer um VLT, mas que eu me lembre, sempre foi um BRT ou VLP que era para ser o modal principal do Ex Tiradentes.

        Anonimato / (em resposta a Alexandre i) Responder
    • Mas não é tão veloz. Monotrilho é bom pra distâncias médias na minha opinião. VLT serve bem pra essa linha de Santos a São Vicente, por exemplo, mas não pra uma linha 17 ou 18 de SP. Já pra linha 15, a meu ver, nem o monotrilho dará conta, deveria ser CPTM ou metrô logo de uma vez.

      Gapre / (em resposta a Ed) Responder
      • Errata: VLT é bom pra distâncias médias na minha opinião

        Gapre / (em resposta a Gapre) Responder
      • Só que o Monotrilho tem tecnologias e manutenção mais complexas. Como tu falou, para certas linhas já deveria ser trilho de alta capacidade. No entanto, de um VLT, é possível migrar mais rápido para um sistema de alta. Basta que o projeto do VLT preveja “upgrade”, ou seja, a instalação do VLT permita que em pouco tempo o sistema possa ser atualizado para usar um trem de alta no lugar.

        Acho que até para distâncias longas daria razoavelmente certo. Imagine se o VLT fosse até Peruíbe? :)

        Anonimato / (em resposta a Gapre) Responder
        • Anonimato até que dá para fazer uma upgrade em monotrilhos mas se formos analisar as linhas 15 e 17 as estações não foram projetadas para isso

          Fabiano / (em resposta a Anonimato) Responder
          • Não entendo tanto de monotirlhos, mas imagino que o sistema é bem mas estagnado que um VLT ou BRT/BRS no quesito “upgrade”. Falo de criar formas de aumentar capacidade ou trocar o modal. É possível pegar uma via BRT/BRS e transforma-la em VLT. Dependendo do espaço deixado, é possível também transformar em trilho de alta.

            Monotrilho só ou faz upgrade para monotrilhos diferentes, ou tira-se o trilho e usa-se as estacas para fazer o suporte das novas vias férreas.

            Anonimato / (em resposta a Fabiano)
    • Se tratando de Sao paulo todas as linhas de monotrilho deviam ser de metrô pois passam em locais de alta demanda

      Fabiano / (em resposta a Ed) Responder
    • Depende de onde você vai implantar o modal

      Fabiano / (em resposta a Ed) Responder
  7. Ia ser bem mais vantajosa essa integração, pra não ficar “liso”.

    Arthur Lira / Responder
  8. Fico feliz de ver que há integração tarifária de modais na região. Que se amplie e ajude a população da baixada a diminuir o uso do automóvel :)

    Outra coisa que torço é a volta dos trólebus. E uma coisa que queria ver é se lá tá funcionando o bonde ainda. Faz um bom tempo que não visito a região, e acho que eu deveria ir lá visitar :)

    Anonimato / Responder
    • na baixada vi há algum tempo em São Vicente um fluxo muito grande de ciclistas havia uma ciclovia e o fluxo nunca cessava de ciclistas, veio a nova gestão e acabou com a ciclovia. enquanto a gestão for pensando apenas no modal que interessa a cidade perde demais.

      Alexandre i / (em resposta a Anonimato) Responder
      • Concordo. É um problema ´serio que deve ser arrumado. Só que infelizmente parte da política e da cultura popular ainda vê a bicicleta com maus olhos. 😐

        Anonimato / (em resposta a Alexandre i) Responder
      • De São Vicente à Santos foi feita uma Ciclovia segura que corre paralela ao VLT, será que não foi esse motivo de ter excluido outra que faz praticamente o mesmo percurso?

        Felix / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • Só quem está lá pode dizer melhor.

          Anonimato / (em resposta a Felix) Responder
        • Faz muito tempo que não desço pra São Vicente, quando passei os VLT’s ficavam lá estáticos como estatuas, devia ser muito no começo com operação em horarios muito restritos. Seria o trecho entre as estações José Monteiro e Itararé. A rua 11 de junho é a continuação da ciclovia principal da orla.

          alexandre i / (em resposta a Felix) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*