Ferroanel pode começar a sair do papel

De acordo com reportagem publicada pelo Diário do Grande ABC, o trecho norte do Ferroanel deve ter seus estudos finalizados em setembro e licença prévia ambiental em dezembro.  Este trecho terá 52,75 km e ligará as estações Engenheiro Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, e Perus, em São Paulo. Porém, o custo de R$ 4 bilhões para bancar a obra não apareceu.

 

O trecho sul, ligará Ouro Fino Paulista, em Ribeirão Pires, à Estação Evangelista de Souza, em Parelheiros, não tem nem projeto em andamento.

 

Com o Ferroanel Norte, espera-se a retirada de  4.200 caminhões das rodvias que cobrem a área.

 

A ideia inicial era que tanto os trechos norte e sul fossem feitos em conjunto com as obras do Rodoanel Sul e Norte para economia de gastos. O trecho sul do Rodoanel Mário Covas já foi entregue e o trecho norte deve ser finalizado no próximo ano.

 

Fonte: Diário do Grande ABC


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

15 Comentários deste post

  1. País sem projetos e sem politicas de Estados, se fossem construidos paralelamente com as obras do Rodoanel os custos ficariam em torno de bilhões mais barato, mais dinheiro do povo indo para o ralo da incompetência do Governo Federal.

    Felix / Responder
    • Por que fazer uma obra se você pode fazer duas para superfaturar, né?

      Alex / (em resposta a Felix) Responder
      • Pois é o que dá a entender.

        Felix / (em resposta a Alex) Responder
        • Geralmente parte dos lucros do superfaturamento vai para defensores de quem superfatura, alimentando redes de trolls e comunicadores na internet. Aécio e sua irmã faziam isso direto. Tenho minhas desconfianças sobre sua presença, Alckmin e o PSDB paulista. Quem sabe uma hora veremos em um site de notícias por aí? :v

          Anonimato / (em resposta a Felix) Responder
  2. Passam-se anos e a mesma coisa, sempre…………..
    Projeto com a profundidade técnica de um Powerpoint, pouco embasamento, etc…
    O pior é que, tecnicamente, fazer ao lado do Rodoanel faz todo o sentido, mas perderam o timing, deveria ter sido feito JUNTO com as obras do Rodoanel, os custos seriam menores.
    Mais triste é ver que, de novo, não tem previsão de verba para a obra.
    Brasil-sil-sil

    Ivo / Responder
  3. Não sei se vai tirar, mas mais importante que tirar caminhões,seria tirar os cargueiros da malha da CPTM, pois assim daria pra diminuir os intervalos e se o GESP tivesse competência transformaria toda a malha da CPTM praticamente em metrô de superficie, mas não se faz nada em prazo certo e como ja comentaram, perderam a oportunidade de se fazer junto ao rodoanel.

    Mauri / Responder
  4. Lembrando que para essa obra teve uma briga política / requerimentos : o governo do estado queria o tal “tramo norte” e o governo federal queria o “tramo sul”.

    AGNALDO SOUZA / Responder
    • O Tramo Sul o Governo de São Paulo queria em 2007 quando o José Serra ia construir o Rodoanel Sul, tentou negociar a construção, obras juntos, não conseguiu, Em 2014 o Gocerno de São Paulo tambem tentou fazer as duas obras juntas, foi prometida pelo Governo Federal, empacou depois das eleições.

  5. espero que os dormentes sejam de concreto

    haroldo / Responder
  6. dizer que esse projeto vai tirar caminhões das rodovias é dificil… pq ele apenas interliga trechos ferroviários (não sei se haverá pátios de transbordo de carga intermodais no trecho… então ele pode ser uma nova “norte-sul” os trilhos tão lá, falta estrutura pra carregar/descarregar os trens).
    Tem de ver a origem e destino das cargas da regiao e principalmente: se a origem/destino são cobertos por malha ferroviária (ativa). Ainda servirá pra retirar os trens de carga do trecho central da malha da cptm (oque ajuda muito o transporte de passageiros), mas enquanto não tivermos malha ferroviária de tamanho decente e com operação decente, vai ficar subutilizado.

    Thiago / Responder
  7. Só acredito vendo

    Fabiano / Responder
  8. Tecnicamente é inviavel construir a ferrovia ao lado do Rodoanel pelos seguintes motivos: perfil geométrico incompatível entre rodovia e ferrovia, pontos de interesse distantes da ferrovia em relação ao rodoanel e o impacto ambiental dessa obra.

    O projeto ideal do ferroanel segrega totalmente o tráfego de carga do de passageiros enquanto que as propostas de alguns aqui estrangulam a linha 7 entre Jundiaí e Perus.

    Ivo Suares / Responder
    • Depende, meu Xará.
      O perfil geométrico, no caso de curvas, pode ser inimizado, a ferrovia não vai ficar “do ladinho” do Rodoanel.
      A licença ambiental pode, sim, ser aproveitada, porque o impacto é medido na área afetada, resumindo muito você só está alargando um pouco a área total de construção.
      Mais importante, sempre se discutiu que o trecho norte do Rodoanel traria riscos, pois é uma das últimas áreas verdes da cidade de São Paulo, junto com Marsilac no extremo sul.
      Uma ferrovia sem paradas, já que é para composições de carga, não impactaria tanto em termos de custo, pois o próprio Rodoanel seria usado para transporte de material durante a construção, minimizando desmatamento extra no entorno da obra.
      Você deve estar lembrado do projeto do Mergulhão, um túnel cortando todo o Centro de São Paulo para desviar os trens; muito boa a idéia de fazer uma reta, o caminho mais simples e rápido entre dois pontos, mas sairia muito caro e, com a “velocidade” de nossas obras, ficaria pronto em 2050.

      • A idéia é o projeto de túnel que vc chama de mergulhão, ou seja, passagem da Lapa até o Ipiranga por Túnel, sobre o Túnel uma Avenida com Boulevard ajardinamento, com essa AVenida poderia derrubar o Elevado Costa e Silva, Minhocão, já que haveria a ligação Leste x Oeste paralela a já existente.Dessa forma duas regiões seriam revuperadas arquetonicamente, regiao Brás /Luz e Região São João /Major Olimpio da Silveira. Com a saída dos Trens de Carga o Projeto é viável.

        Felix / (em resposta a Ivo) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*