Terminal Lapa terá novidades a partir da próxima quarta, 5

O terminal de ônibus Lapa, localizado na região oeste de São Paulo, terá algumas novidades a partir da próxima quarta-feira, 5.

 

Logo na entrada, com catracas novas, o usuário terá que validar seu bilhete único. Esse procedimento, segundo a SPTrans, não vai gerar desconto e nem reduzir o tempo do cartão.

 

Além disso, o terminal ganhará espaço para carregar bateria de celular, sanitários reformados e fraldário em espaço unissex.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

43 Comentários deste post

  1. Mais uma boa idéia.

    Felix / Responder
  2. ótimo, que se repita nos outros e aliás n sei pq tiraram o lance das catracas antecipando o pagamento nos terminais

    Alexandre i / Responder
    • O problema é que é difícil fiscalizar, além de criar margem para o pessoal burlar entrando por acessos externos de alguma forma, ou criar uma fila na hora do acesso também.

      Depende também do formato do terminal. O da Lapa permite cobrança antecipada pois só tem dois acessos de passageiros e dois de ônibus. Outros terminais tem muitos outros acessos, o que dificulta bastante. O paliativo é fazer uma área fechada de cobrança na plataforma – comum em terminais como o do Campo Limpo e Santo Amaro (os que conheço).

      Anonimato / (em resposta a Alexandre i) Responder
      • sei que sempre terá gente tentando burlar, ou pular o acesso, mas até onde o sistema todo tem que arcar com isso, tem que haver fiscalização e punição de forna que os infratores repensei seus atos.

        Alexandre i / (em resposta a Anonimato) Responder
        • Se fosse fácil, beleza. Mas não é. Depende muito da condição social do lugar e do aceite disto. Dizem que em Curitiba há muitos problemas com as estações-tubo, com muita gente pulando catraca.

          Anonimato / (em resposta a Alexandre i) Responder
  3. Não vejo vantagem de cobrança antecipada apenas nos terminais se nas demais paradas a cobrança permanecer a tradicional. A maioria dos ônibus permanecem paradas mais tempo do que o necessário para embarque dos passageiros.

    Marcelo Pádua / Responder
    • eu concordo e discordo rs. tem de haver cobrança antecipada fora dos terminais se possível também. porém a demora no embarque no terminal enfileira ônibus de outras linhas e para vários corredores as vezes também. terminais super dimensionados podem não sofrer disso mas o padrão que é o espaço de duas vias uma de embarque e desembarque e a outra via de circulação, quanto mais demora mais vai travando tudo.

      Alexandre i / (em resposta a Marcelo Pádua) Responder
    • tem muitas vantagens cara, do exemplo do terminal sao mateus que fica perto da minha casa, junto com o metro itaquera, no são mateus eu posso fazer a transferencia gratuita para outro onibus quando o tempo do meu cartão acaba. ou seja se não fosse por isso eu teria que pagar outra passagem. e no terminal não,

  4. Poxa, mas é muito melhor ter fila no acesso do terminal do que no veículo ao embarcar. Sei que filas são ruins, porém no ônibus impacta muito mais a qualidade do transporte.

    Cicero Junior / Responder
  5. Acho legal porque todo o Terminal vira um espaço de pré-embarque ao invés de apenas algumas linhas (geralmente, as mais movimentadas). Com a concessão dos terminais para a iniciativa privada, acho que esses serviços vão melhorar bastante – espero um dia entrar num banheiro de terminal que tenha sabonete E papel para secar as mãos.

    Alex / Responder
  6. Pelo que eu vi na SPTrans, o uso do Bilhete Único será apenas para permitir o acesso ao Terminal. Não será um pré-embarque.

    Por que isso? :/

    Alex / Responder
    • se for um pré embarque que terá que passar pela catraca os benefícios beiram a nada

      Alexandre i / (em resposta a Alex) Responder
    • Acho que é para ter um controle de acesso, e do número de usuários do terminal. Em uma futura privatização dos terminais, o número de usuários é uma informação importante para os interessados.

      Anderson / (em resposta a Alex) Responder
  7. A entrada de todos os terminais era tarifada. E o embarque era pela porta traseira.

    Narciso de Queiroz / Responder
  8. E quem não tiver o cartão e vaí pagar em dinheiro, como fica?

    Jair / Responder
    • a princípio a ideia é que as pessoas tenham e façam uso do b. u. uma hora tem que entrar no sistema.

      Alexandre i / (em resposta a Jair) Responder
      • Alexandre, embora na ideia isso é muito bonito, a questão é na prática, sobre qual foi o projeto adotado pela SPTrans para contemplar essas pessoas que ainda não têm Bilhete Único? Ao meu ver, não está sendo formado projeto nenhum, apenas medidas e “depois vemos como fazemos” Tanto com o ônibus sem cobrador quanto agora a essa medida do Terminal Lapa.

        Na minha opinião, estão sendo ações excludentes e não progressistas.

        O.Juliano / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • Bingo! Forçar todo mundo a usar o BU ignora que há turistas e viajantes. Ou pessoas que não tem tempo para comprar o passe, ou esquecem em casa. Tá difícil isso.

          Anonimato / (em resposta a O.Juliano) Responder
          • nunca fui ao exterior mas se vc quer um passe ou mesmo ter vantagens em integrações busca saber como funciona e se adequa, é ruim para os casos de exceção como perda e esquecimento? sim é ruim, mas qual a diferença do bilhete único com uma catraca do metro ou cptm?

            Alexandre i / (em resposta a Anonimato)
          • Alexandre, desculpe a intromissão aqui na sua resposta para o Anonimato, mas acho que a comparação com o Metrô e CPTM não é a melhor. No Metrô e CPTM existe um sistema de vendas de bilhete (e não cartões) onde qualquer pessoa pode se dirigir ao guichê (em qualquer estação) e comprar uma unidade. Este bilhete é inserido nas catracas que antecedem as plataformas, porém nem sempre antecedem o acesso à estação.

            Pelo que entendi, neste plano, o Bilhete Único será o controle do terminal em si. Não será possível entrar no Terminal sem um BU. Se fosse igual ao Metrô e CPTM, eu estaria de total acordo, com guichês em todos os terminais vendendo “bilhetes avulsos”, quem possui BU usufruiria de uma facilidade que é a de não enfrentar filas para comprar o bilhete avulso.

            A questão é que eles não estão preparando o cidadão, mas sim tentando empurrar os bois para o caminho que eles querem e imaginando que, mesmo batendo cabeça, uma hora vai ser impossível não seguir aquele caminho. A desculpa que vem servindo de mantra agora é que apenas 6% utilizam dinheiro no pagamento, mas esses 6% ainda merecem sim atenção, oras.

            Minha ideia seria: quer se fazer essa adequação? Ok, porém com um plano especial para que cadastrassem gratuitamente os usuários que acessarem o terminal sem Bilhete Único e logo em seguida ele pudesse retirá-lo no guichê do Terminal. Ou que isso fosse feito no próprio guichê. Contanto que o cidadão pudesse retirar sua primeira via de BU gratuita (seu direito) e isso não o impedisse de acessar o Terminal.

            O.Juliano / (em resposta a Anonimato)
          • juliano não é nenhuma intromissão acho esse uma boa discussão e eu já disse em outro comentário tem sim que ser adequado, as bilheterias já existem conversei com um amigo que nunca tinha usado bilhete único e conseguiu retirar normalmente sem stress, imaginei que ainda estava em falta os cartões. mas como quase td é feito dessa forma primeiro bloqueia e depois pensa..

            Alexandre i / (em resposta a Anonimato)
          • Alexandre, sim, infelizmente as coisas são feitas assim… Ainda nós, por estarmos mais ligado nas notícias, blogs e tecnologia em torno da mobilidade, passamos por esses problemas mais facilmente, fico pensando em pessoas que realmente tem sérias dificuldades ao acessar informação ou até mesmo entendê-las, muitas quais são parte desses tais 6%. Nesses 6% aí tem muita coisa bem específica que eles generalizam como se fossem apenas “6% que ainda não retiraram seus BU” quando na verdade deveria ser entendido POR QUE esses 6% ainda não possuem BU.

            Eu mandei Twitter para a SPTrans perguntando qual era a ação deles para essas pessoas e depois de enrolar umas 3 mensagens informando que o cadastro é feito pela internet para depois a pessoa retirar bla bla bla, eles informaram que essas pessoas “serão orientadas por profissionais do terminal” e só. Deu curiosidade de passar lá amanhã pra saber se as oientações serão eficazes ou não.

            O.Juliano / (em resposta a Anonimato)
        • e aliás pra td isso dar certo tem que ter as condições mínimas, hoje existe recarga via app, loteria, caixa, bancas, postos de recarga, etc… mas os mesmos devem estar com uma disponibilidade melhor do que a atual.

          Alexandre i / (em resposta a O.Juliano) Responder
          • Sim, exatamente!

            E eu já falei em outro tópico e vou ser insistente: na minha opinião, na proposta de só ser aceito BU nos ônibus, o motorista deveria fazer o papel de cobrador recebendo em dinheiro daquele que não conseguiu adquirir um BU, do turista perdido, da pessoa que esqueceu o BU em casa, da pessoa que acabou de perder seu BU, que foi assaltada, etc. etc. e etc…. Afinal, se hoje são 6%, a tendência é isso virar 5%, 4% até que se torne algo como 0,1%, onde o trabalho do motorista-cobrador será mínimo, mas sempre vai existir essa demanda.

            O.Juliano / (em resposta a Alexandre i)
  9. A pergunta que não quer calar é onde está o GRAPE pra pagar um pau pro PSDB ?? :)-

    Jurandir / Responder
  10. No Terminal de Foz de Iguaçu funciona muito bem.Fui como turista, embarquei e desembarquei normalmente, há cabines de vendas na entrada do Terminal.

    Felix / Responder
  11. Em Buenos Aires, por exemplo, você adquire o cartão de transporte e recarrega em qualquer banca de jornal e lojinha de conveniência. Não vejo tanta facilidade assim aqui em São Paulo.

    Alex / Responder
    • Alex várias bancas de jornal carregam, a maioria das estações de metro e trem também carregam por meio físico ou pagando no débito. facilidade tem só não tem tanta confiança em disponibilidade, terão que melhorar o sistema

      Alexandre i / (em resposta a Alex) Responder
  12. Eu vi a reportagem no Bom Dia SP e a SP Trans justificou como uma medida para impedir que pessoas pratiquem o vandalismo nos banheiros novos. O que é uma medida ridícula, pois o vândalo pode muito bem ter o BU ou pegar um ônibus e descer dentro do Terminal.

    Alex / Responder
    • Se for realmente isso, muito triste esse pensamento retrógrado. Politica elitista simplesmente

      O.Juliano / (em resposta a Alex) Responder
    • Cara, já vi banheiro de shopping vandalizado. Não discordo que é uma medida relevante para controlar acesso e evitar abusos. Mas inútil se não vinda de educação e consideração quanto a área.

      Anonimato / (em resposta a Alex) Responder
    • pq n por a catraca só no banheiro então?

      Alexandre i / (em resposta a Alex) Responder
      • Não é uma má ideia, mas lembremos que é um espaço público também. É um dilema.

        Ei, poderia ser feito isso em banheiros como o da Barra Funda. Mas lembremos também de um detalhe: proibiram a cobrança de banheiros. Tem essa também.

        Anonimato / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • se o foco do controle é pra não estragar o banheiro, faça o acesso por lá, n precisa necessariamente cobrar, apesar de que a cobrança pagaria alguém cuidando de lá.

          Alexandre i / (em resposta a Anonimato) Responder
          • Eis o dilema: você colocar uma limitação no acesso dos banheiros gera um problema. Como falei, salvo engano, existe uma lei que proíbe que se cobre o acesso aos banheiros em SP (salvo exceções). Subentende que o banheiro é um serviço acessório do lugar onde está.

            Anonimato / (em resposta a Alexandre i)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*