Metroviários de SP aprovam greve para o dia 28/4

O sindicato dos metroviários de São Paulo aprovou nesta quarta, 12, paralisar suas atividades no próximo dia 28. Veja a nota abaixo divulgada pelo sindicato:

 

“Os metroviários vão parar no dia 28/4, dia em que será realizada uma Greve Geral no País. A decisão foi aprovada na assembleia de 11/4 (terça-feira). A luta é contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, a terceirização e privatização.

O 15/3 mostrou que é possível realizar uma Greve Geral no Brasil. Agora, chegou o momento de parar e mostrar ao governo Temer que não aceitamos perder a aposentadoria, os direitos trabalhistas e sermos submetidos à terceirização.

Os trabalhadores estão conscientes de que agora é o momento de realizar uma grande manifestação. As Centrais Sindicais, sindicatos e os movimentos sociais estão unidos para a Greve Geral. Todos à assembleia do dia 27/4. Vamos parar o Brasil!”


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

11 Comentários deste post

  1. Se acham no direito de atrapalhar a vida de milhares de brasileiros, tem mais é que privatizar tudo mesmo!

    Bruno / Responder
    • Se você prefere trabalhar 49 anos para se aposentar e ter menos direitos trabalhistas, o azar é seu….

      Na Argentina e Venezuela, fizeram greve geral e pararam tudo…..só assim o governo trabalha

      Tiago / (em resposta a Bruno) Responder
      • E essas paralisações não resolveram nada. Foi só perda de tempo. Até quando veremos esses sindicalistas acéfalos realizando esses protestos sem sentido?

        Protestos devem ter pauta de reivindicações, propostas/contra propostas, devem buscar a negociação sempre. Deixar a previdência como está é pedir para ela quebrar daqui alguns anos. Ao invés de perderem tempo num protesto inútil, eles não poderiam elaborar uma proposta melhor para se contrapor à do governo?

        Mas não, os sindicalistas querem que tudo fique como está, pois assim ganham mais.

        E os metroviários estão lutando contra a sociedade para garantir a manutenção de um metrô ineficiente, inchado (quase 10 mil funcionários para 78 km onde faltam funcionários em algumas áreas e sobram em outras) e incapaz de realizar suas tarefas. Faz tempo que a empresa perdeu o timming para se renovar, modernizar administrativamente.

        Agora a tendência é do estado conceder as linhas. O sindicato é o principal culpado desse processo ao perder tempo “tentando derrubar os tucanos” ao invés de se preocupar com o presente e o futuro da empresa. Os metroviários achavam que o estado iria sustentar suas mordomias, que iria tolerar suas traquinagens (como a banalização do direito de greve), que o dinheiro público era infinito e que não haveria amanhã. A conta por essa conduta irresponsável de anos chegou. O metrô que tinha tudo para ser uma RATP está caminhando para um fim melancólico feito a FEPASA, RFFSA, Correios (onde o sindicato assumiu o fundo de pensão e o quebrou após comprar ações das empresas de Eike) e outras estatais consumidas pelas vaidades sindicais, corrupção e ineficiência.

        Ivo Suares / (em resposta a Tiago) Responder
        • Apesar de ser contra sua tese sobre a previdência (seria interessante – caso ainda não conheça – conhecer o artigo 195 da constituição que trata das diversas fontes de financiamento da previdência e o artigo 165 que permite o uso de fundos provenientes da previdência para outras atividades – conforme definido na “reforma” de 1998),
          Concordo com suas considerações sobre os sindicatos. Esta instituição falhou quanto a seu objetivo. Hoje ja não deveríamos ter a realidade do funcionário analfabeto/analfabeto funcional que precisa de um “tutor” pra lhe dizer oque são seus direitos. Hoje ja existem meios de se fazer conhecer a Lei a todos. Acredito que a melhor forma de organização é aquele que emerge naturalmente do corpo de funcionários e não uma “coisa” que ja existe ao qual os novos devem se curvar (se “filiar”) e que joga na sua cara os méritos do passado com o objetivo de garantir sua perpetuação a qualquer custo.

          Thiago / (em resposta a Ivo Suares) Responder
        • Eles poderiam….mas tu acha que o governo iria aceitar? Never!

          Então, larga de ser ingênuo….governo não aceita nada, ainda mais esse ai com menos de 10% de aprovação….

          Tiago / (em resposta a Ivo Suares) Responder
      • Vai ler as propostas, vai estudar rapaz! Fica só repetindo o que os outros dizem, nossas leis trabalhistas são antigas e totalmente antiquadas para nosso século, esses pelegos do sindicado dos metroviários fazem o que querem, ferram com a vida da população trabalhadora do setor privado que financia inclusive sua aposentadoria integral. Torço muito, muito mesmo para que acabe a contribuição sindical obrigatória (fascistóide, um absurdo), para acabar com o dinheiro fácil desses pelegos, sem tirar o traseiro da cadeira tem milhões a sua disposição. Torço muito pra privatizarem o máximo que conseguirem!!!!!

        Bruno / (em resposta a Tiago) Responder
  2. Alguém acha que realmente estes protestos são por aposentadoria ou terceirização? Nada. A pauta que está dentro da reforma trabalhista é o fim do imposto sindical compulsório, que faria reduzir drasticamente o nº de sindicatos, onde somos praticamente recordistas mundiais, com mais de 15 mil sindicatos.

    Bruno Massolini / Responder
  3. senhores se preparem para usar outros transportes em maio e junho, pelo jeito vão fazer várias greves, é mês de decidio, e o negocio não vai ser fácil não.
    então preparem-se, seus carros , suas baicks e etc.

    antonio carlos / Responder
    • A bike já é um dos meus meios de transporte mais usado, ainda mais agora com os mais de 450km de ciclovias na cidade, seguido do ônibus…

      Então tanto faz se fizerem greve não….não sou mais refém desse transporte mequetrefe do Pilanckimin. Mas em 2018 descontarei nas urnas mais uma vez com o maior prazer…xD

      Agora que a Lava Jato chegou no PSDB, quero só ver como vão sair dessa….

      Renato / (em resposta a antonio carlos) Responder
  4. Estava faltando isso ne, piada, sempre pensando neles mesmos, pago taxa pra sustentar esses sindicatos malditos.

    Rodrigo Santos / Responder
  5. A maioria está fora da realidade ou vive no país das maravilhas??? QUEREM ACEITAR ESSE ABSURDO DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA AOS 65 ANO??? Quando faltar dinheiro para suas necessidades mínimas, pois você consegue emprego decente depois dos 50 anos e nem consegue se aposentar mas sua vida continua. Pensem pelo menos em si. Não sejam desinformados e acomodados. Não adianta reclamar no boteco ou brigar com a esposa..

    ROBERTO / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*