Função de cobrador deve acabar até 2020, diz Doria

O prefeito de São Paulo, João Doria, concedeu entrevista a Folha de São Paulo nesta segunda-feira, 10. Vários temas foram abordados como aprovação recorde no período para um prefeito na cidade, zeladoria e doações empresariais.

 

No âmbito de mobilidade urbana, Doria foi questionado se pretende aumentar a tarifa do ônibus acima da inflação em 2018 e comentou sobre a função de cobradores de ônibus. A nova licitação para o transporte na cidade deve durar 10 anos.

 

“Não. Estamos preparados para fazer o que estamos fazendo: estudando e analisando com cuidado, compartilhando com as empresas, levando em conta que a cidade tem uma grande concessão para ser renovada.
Já determinei inclusive que ela será de dez anos, a metade do período atual. Vinte anos é um tempo demasiadamente grande para oferecer um serviço desse tipo. Entre outras medidas, isso não é polêmico porque há uma equação que está sendo feita, para gradualmente reduzir cobradores dentro dos ônibus.
Não faz sentido no século 21 preservar cobradores em ônibus. Nenhuma cidade civilizada do mundo tem cobrador dentro de ônibus e isso representa um custo altíssimo [R$ 800 mi/ano]. Nosso entendimento é que isso vai ser feito ao longo desses quatro anos, gradualmente. Nenhum cobrador será desempregado. Os cobradores, treinados, poderão ser motoristas ou atuar no plano administrativo.
O Bilhete Único representa 92% de toda utilização do serviço. Só 8% das pessoas pagam em dinheiro na catraca. Não faz sentido gastar R$ 800 milhões por 8% de um serviço que pode ser 0%.”

 

Doria também disse novamente que deve rever as gratuidades.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

12 Comentários deste post

  1. E os postos para compra de bilhete, estarão acessíveis a quem não mora na cidade?

    O mais bizarro é ele dizer que nenhum cobrador vai ficar desempregado, quero realmente ver o que vão inventar.

    Gabriel Rezende / Responder
    • Talvez inventem alguma nova crise, uma demissão voluntária, não sei, mas tbm acho difícil não demitirem uma vez que a intenção maior do setor empresarial é reduzir custos.

      O.Juliano / (em resposta a Gabriel Rezende) Responder
  2. O tiro foi dado em 2004 quando foi implantado o BU. De lá pra cá a profissão passou a ter uma sobreviva respirando por aparelhos. Desde então é sabido que alguém vai praticar a eutanásia.

    Narciso de Queiroz / Responder
  3. O que mais me preocupo com o fim do serviço de cobradores é a falta de alguém para monitorar o embarque e problemas, além de auxiliar o motorista. Poderia ser criada funções de fiscal de circulação, monitorando o transporte.

    Anonimato / Responder
    • poderiam colocar cameras nas portas, pra monitorar o desembarque, os ônibus da Metra tem, isso ajuda o motorista, principalmente, no horario de pico, onde os ônibus ficam lotados, e evitam acidentes e etc.

      jildinei / (em resposta a Anonimato) Responder
      • Os novos ônibus tipo BRT em SP já têm essas câmeras, isso me faz acreditar que a tecnologia pode ser implantada em toda nova frota, mas se nem câmbio automático alguns novos ônibus estão vindo, imagina câmeras…

        O.Juliano / (em resposta a jildinei) Responder
        • verdade amigo, mas, acho que pra empresa, ela vai ver que vale mais comprar cameras e etc, do que pagar indenização de passageiro preso em porta, arrastado e etc. e aqui em SP, com os onibus com motor dianteiro, sem cambio automatico, e chato mesmo, principalmente pros motoristas, que evitariam ficar trocando marcha o dia inteiro. deveria ser obrigado a ter, eu acho.

          jildinei / (em resposta a O.Juliano) Responder
      • Gente, é monitoria para evitar abusos. Não é só para evitar “gente presa na porta”.

        Anonimato / (em resposta a jildinei) Responder
        • Abusos? como assim?

          jildinei / (em resposta a Anonimato) Responder
        • Também não entendi, qual tipo de abusos? Assédio sexual ou pessoas que abusam do sistema?

          Apenas citei que hoje muitos dos ônibus novos, pelo menos os do tipo BRT em SP (Millenium BRT articulado), já possuem essa tecnologia de câmeras nas portas com monitor no painel do motorista, estritamente com relação à questão do motorista não te visão das portas.

          O.Juliano / (em resposta a Anonimato) Responder
  4. Isso e inevitável, demissões infelizmente terão, igual foi com as cooperativas.

    Rodrigo Santos / Responder
  5. O que me preocupa é se por ventura eu ficar sem créditos no meu bilhete e só descobrir isso dentro do ônibus ou se na localização onde eu estiver não tiver como carregar, e ai, como que faz?

    Se tiver como carregar o bilhete em locais 24 horas, supermercados, drogarias, hospitais, borracharias, bombonieres, lanchonetes, baladas e etc, ai beleza. Agora se for que nem hoje vai ser um Inferno, teremos de andar vários quilômetros a pé pra carregar o bilhete dependendo da situação e horário.

    Moises / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*