Aéreas poderão ter 100% de capital estrangeiro

O Governo Federal deve emitir uma Medida Provisória nesta terça, 11, permitindo que a porcentagem de capital estrangeirs em companhias aéreas suba de 20% para 100%.

 

“Para atender a demanda de um país com dimensões continentais e dinamizar o setor aéreo, o governo brasileiro adotará medidas que permitirão a abertura do capital de companhias aéreas nacionais e a entrada de empresas 100% estrangeiras no Brasil”, diz comunicado do Ministério do Turismo.

 

“O objetivo é aumentar a competitividade, o número de voos e de turistas viajando dentro do país, além de ampliar a malha aérea regional para possibilitar o deslocamento de mais visitantes nacionais e internacionais”, afirma o texto.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

4 Comentários deste post

  1. Liberdade, ainda que tardia!

    Felipe / Responder
  2. Que ótima notícia!!! Aqui no Brasil já estão instaladas as subsidiárias de 584 empresas multinacionais – a maior plataforma do gênero em todo o planeta dos emergentes. A indústria do transporte aéreo está mudando mundialmente a velocidade Mach, queiramos nós ou não. A atividade aérea já nasceu globalizada e dentro de padrão mundial reconhecido e invejado pelas outras áreas de atividade, tão globalizada que a única moeda é o dólar. A liberalização global de empresas aéreas é essencial e inevitável. Tende a ser mais uma atividade onde o capital trabalhará no âmbito local, nacional e mundial, efetuando também alianças e associações por todos os continentes com empresas de todos os portes. Será a era de mega-transportadoras com forte presença local de trabalhadores e investimentos. Parabéns! Saudações,

    Claudio Lemes Louzada / Responder
  3. Com a agência regulando bem, não vejo mal e muitos benefícios. Acredito que o problema seja como o da Uber, alguém tem que regular, fiscalizar e impedir abusos.

    O.Juliano / Responder
  4. Será que a Ryanair vem para o Brasil ainda?

    Leandro Costa / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*