Temer garante apoio financeiro ao VLT de Cuiabá

O governador de Mato Grosso,  Pedro Taques, se reuniu nesta terça, 21, com o presidente Michel Temer, em Brasília, para discutir o impasse sobre o VLT de Cuiabá que está paralisada por ordem judicial.

 

A comitiva do Governo pediu apoio de Temer para articulação de uma nova linha de crédito junto à Caixa Econômica Federal, em busca de aproximadamente R$ 600 milhões que ainda são necessários para concluir a obra.

 

“Estivemos na Caixa Econômica após várias reuniões de articulação em Brasília e, com o aval do presidente Michel Temer hoje, devemos retomar em breve a obra do VLT por meio de uma nova linha de crédito com a Caixa. Estamos nas tratativas finais de um acordo com o Consórcio responsável e temos uma equipe do Governo focada somente nisso. É uma obra muito importante para Mato Grosso e um compromisso nosso de que daremos continuidade”, disse o governador.

 

De acordo co o secretário das Cidades, Wilson Santos, a obra deve ser retomada nos próximos meses. “O próximo passo agora é comprovarmos capacidade de endividamento do Estado, mas o presidente da Caixa Econômica elogiou o nosso Governo por mantermos em dia o pagamento das dívidas. Tudo nos leva a crer que nas próximas semanas garantiremos os recursos finais para retomarmos a obra e conclui-la sem nenhum risco de insuficiência financeira”, afirmou.

 

“Vamos terminar o VLT, mas não vamos jogar o lixo para debaixo do tapete, como dissemos desde o primeiro dia de Governo. Contratamos, com respaldo judicial, a consultoria da KPMG para nos falar quanto foi gasto, em que foi gasto, quanto ainda precisa e qual o modelo de operação. Conseguimos diminuir o valor que ainda resta para pagamento e precisamos de dinheiro da União para concluir. Temos espaço orçamentário para adquirirmos essa operação e tudo nos leva a crer que em breve daremos início”, garantiu o governador.

 

O VLT de Cuiabá foi prometido para a Copa de 2014. Quando pronto, terá 22km ligando Cuiabá a Várzea Grande.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

7 Comentários deste post

  1. E ao Metrô de São Paulo? Nada,nada?

    Felix / Responder
  2. A mera retomada da obra do VLt não é suficiente para se resolver as seguintes questões:

    – Quem vai operar e manter o VLT, considerando que o mesmo não tem viabilidade sócio-econômica?

    – Como o governo de Mato Grosso vai manter as passagens em preços razoáveis para a população se não tem recursos para subsidiá-la?

    – Um estudo da prefeitura de Cuiabá indica que o VLT vai trazer um excesso de oferta de lugares para a demanda existente, ameaçando a existência da rede de ônibus e da própria linha de VLT. Como o governo de Mato Grosso vai resolver isso?

    Considerando que o VLT de Cuiabá saiu do papel sem estudo de viabilidade e projeto (além do governo anterior de MT ter fraudado outros documentos para obter o financiamento federal das obras), vejo essas questões sem soluções inviabilizando o VLT.

    Ivo Suares / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*