Prefeitura deve receber R$ 1 bi de empresas de ônibus

O Tribunal de Contas do Município (TCM) de São Paulo condenou nesta quarta-feira, 29, que 2 consórcios de ônibus devolvam R$ 1 bi aos cofres públicos por irregularidades cometidas.

 

Os consórcios em questão são a Unisul (que atende a Zona Sul) e a Plus (que atende a Zona Leste). As principais irregularidades apontadas para as 2 empresas são: não realização de investimentos previstos, remuneração de forma diversa da estabelecida, uso de veículos com mais de dez anos de fabricação e não disponibilização de pelo menos um ônibus adaptado por linha para acesso de pessoas portadoras de deficiência. As auditorias que municiaram as decisões do TCM foram realizadas entre setembro e dezembro de 2006.

 

A Unisul mantinha à época 185 ônibus com mais de 10 anos de idade, o que é proibido por contrato com a Prefeitura.

 

Cabe recurso por parte dos consórcios.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.