Prefeitura anuncia passarela definitiva em Congonhas

O prefeito de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quarta-feira, 29, a construção da passareal definitive, que passará por cima da Av. Washington Luiz, em frente ao Aeroporto de Congonhas. Há 2 anos existe no local uma passarela provisória. Na época, a gestão municipal disse que ela ficaria ali por 6 meses para que uma outra pudesse ser construída.

 

O custo da obra, estimada entre R$ 4,5 e 5 milhões, será arcado pela iniciativa privada, sem custos aos cofres públicos. Os financiadores são os grupos Iguatemi,  Praias e Accor Hotelaria (há um hotel Ibis quase na frente da passarela). As obras irão começar no início do mês de abril.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

13 Comentários deste post

  1. Só queria entender uma coisa: se o problema existe há tanto tempo e se a rede hoteleira que vai bancar a obra já tinha uma unidade logo ali na cara da passarela, por que somente agora a iniciativa privada se colocou à disposição para ajudar a Prefeitura?

    Nada contra a iniciativa privada fazer esse tipo de coisa, mas eu fico com a pulga atrás da orelha com esse pacotão de bondades logo agora que um empresário se tornou prefeito.

    Alex / Responder
    • Pq o antigo prefeito nunca se interessou em ter um relacionamento com o setor privado.

      Yago / (em resposta a Alex) Responder
      • Que metirinha, e hoje nem é primeiro de abril ainda haha

        As estações para bicicletas são em parceria com o Itaú, por exemplo.

        A diferença é bem clara, o Doria vem do meio empresarial onde existenmuito lobby e uma mão lava a outra, qq politico que vem da própria política dificilmente tem esses contatos.

        Agora se isso é pura bondade ou “esse almoço” terá que ser pago no futuro, só o tempo dirá..

        O.Juliano / (em resposta a Yago) Responder
        • Mas a parceria com o Itau foi feita na gestão Kassab. A mesma coisa o Bradesco com as ciclofaixas.

          Caio Lobo / (em resposta a O.Juliano) Responder
          • Então desculpem-me meu equívoco sobre a parceria Prefeitura-Itaú. Eu realmente achava q tinha sido na gestão Haddad.

            Considerem só o qpensamento sobre a diferença entre político que vem da política e político que vem do meio empresarial.

            O.Juliano / (em resposta a Caio Lobo)
    • A base eleitoral do antigo prefeito é aquele pessoal que acredita que todo o mau do mundo é causado pelo setor privado e, que a salvação desse mau é a intervenção do estado em tudo, de certo modo a planificação do cotidiano/vida.

      Yago / (em resposta a Alex) Responder
      • Então, precisa analisar essa relação das empresas no setor público.

        Assim como a pessoa física, as pessoas jurídicas também pagam impostos (muitos impostos) e são extremamente penalizados por uma burocracia que beira ao ridículo (principalmente hoje, com toda a tecnologia à disposição), por serviços públicos ruins (o quanto uma transportadora não perde por motivos de falta de segurança ou buracos nas ruas?) e por aí vai.

        Claro que há empresas sinceramente preocupadas com o bem-estar da cidade. No entanto, não podemos esquecer que hoje as empresas PRECISAM vender o conceito de responsabilidade social e ambiental para passar uma boa imagem aos seus clientes, além de garantir algumas isenções tributárias decorrentes dessas ações.

        Em relação à passarela, eu estranho o seguinte fato: o hotel que fica ali queria pagar a passarela na época da gestão Haddad. No entanto, o problema não foi por parte da Prefeitura, mas outros órgãos (principalmente o patrimônio histórico) que impediram a construção da passarela nova. E agora, como num passe de mágica, vamos fazer a nova passarela.

        Por essas coisas que eu acho que SEMPRE há um interesse que não é público por trás dessas benevolências das empresas.

        Alex / (em resposta a Yago) Responder
  2. Desde a demolição da antiga passarela, a falta de uma passarela decente e acessível me irrita toda vez que vou em Congonhas.

    Me preocupa essa questão da iniciativa privada estar bancando tudo (qual o objetivo deles?) mas, nesse caso, acredito que o Doria saiba lidar com as famosas permutas da publicidade. Então, não sei se por esperança ou desespero, fico feliz em saber que finalmente será construída uma nova passarela.

    O.Juliano / Responder
  3. Com certeza isso tem algo por trás, não que eu ache errado, porque passei ali esse ano, e ta feio mesmo, mas nada e de graça, o exemplo tivemos com as empreiteiras do país.

    Rodrigo Santos / Responder
  4. O importante é que seja construida, não importa a cor do gato, desde que cace o rato.

    Felix / Responder
  5. A questão é que esse prefeito trabalha não é que nem os outros.

    Jurandir / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*