Entrega da Linha 17 tem novo adiamento

Uma obra que era para ter ficado pronta para a Copa de 2014 não ficará pronto nem para a Copa da Rússia, em 2018. Nesta quinta-feira, 30, o Governo do Estado anunciou que, o primeiro trecho, de 7,7km, da linha 17 – ouro, do MetRrô,entre o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi, da linha 9 – Esmeralda, da CPTM, vai ser entregue somente em julho de 2019.

 

“A obra está indo bem, estamos hoje com quase mil trabalhadores e devemos dobrar até o fim do ano, mas ninguém desconhece que o Brasil vive a mais grave crise dos últimos 100 anos. As empresas também sofrem e não conseguem executar a obra. Nossa parte está em dia, a obra foi retomada”, justificou o governador Geraldo Alckmin.

 

O anúncio foi feito no mesmo dia que o Governo do Estado lançou o edital para concessão desta linha junto com a linha 5 – lilás (veja aqui).

No evento, Alckmin também anunciou edital para a construção da estação Morumbi da Linha 17-Ouro do monotrilho. Questionado sobre a decisão de leiloar juntas as linhas 5 e 17, já que o monotrilho ainda nem existe, o governador negou medo de afugentar interessados na licitação.

“A linha 17 está toda contratada. Um consórcio que teve problemas já foi substituído. A obra foi acelerada”, disse. “É a mesma concessão. Quem ganhar a 5, ganha a 17″, afirmou.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

21 Comentários deste post

  1. Algo está dizendo que esse sistema de transporte não atenderá a expectativa prevista e que não será feito mais expansões futuras.Acho que o Estado tem que continuar só com expansões de Linhas de Metrô, até agora essas duas Linhas de Monotrilho só tem dado dor de cabeça.

    Felix / Responder
  2. Se entregar rápido e bem feito ta ótimo, mas tenho que concordar que a crise tá feia.

    Arthur Lira / Responder
  3. Excelente decisão do governador Geraldo Alckmin em privatizar as linhas do Metrô, CPTM e Monotrilho. A iniciativa privada, até pela legislação, por não ficar limitada como uma empresa pública, pode fazer a gestão de maneira mais ágil, eficiente e econômica. Um bom exemplo disso, é a Linha 4 Amarela do Metrô. É assim que uma gestão moderna e eficiente faz.

    Welbi Maia Brito / Responder
    • desculpa #05 babação # padrão

      Alexandre i / (em resposta a Welbi Maia Brito) Responder
    • Claro, excelente gestor. Quase 10 anos para entregar uma obra que deveria ter sido entregue no fim de 2013. O governo estadual deveria indenizar os moradores da região que hoje sofre com a violência decorrente do abandono das obras.

      Pura incompetência.

  4. Se essa linha não chegar ao Jabaquara de um lado e até a linha 4 do outro, passando pelo Morumbi, 5vai ser o dinheiro mais mal aproveitado da história do Metro. Se fosse para cobrir apenas extensão da Av. Jornalista Roberto Marinho, que fizesse um corredor de ônibus ou BRT, mais rápido, bem mais barato e com a mesma eficiência.

    Abel / Responder
  5. Será que o trecho até o São Paulo – Morumbi e o Jabaquara e a possível extensão pra Diadema fica pra este milênio?

    Lucas / Responder
  6. Vergonha, não e novidade, mas E PSDB né, povo zzzzz

    Rodrigo Santos / Responder
  7. Nestas notícias o Jurandir se esconde…

    Gapre / Responder
  8. Continuem votando nesse psdb!! Em 2018, os lambe-botas desse partidinho, ainda serão capazes de acreditar nesse dória, com d minúsculo mesmo. A gente se alegra ate com aquele que diz que vai transformar uma subida em descida.

    Joel / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*