Alckmin diz que trem entre SP e Campinas depende apenas da União

O governardor de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta terça, 7, que a viabilidade da licitação de um trem de passageiros entre São Paulo e Campinas depende da liberação, pelo governo federal, da “faixa de domínio” da ferrovia de carga que já liga as duas cidades.  Com esta liberação, segundo Alckmin, a oferta de PPP desta linha jám poderia ser apresentada ao mercado.

 

“É um projeto extremamente importante. E sua viabilidade depende do terreno”, disse Alckmin ao jornal O Estado.

 

“O estudo que nós fizemos mostra que cabe mais uma linha do trem de carga, dá para dobrar a capacidade, além das duas linhas do trem de média velocidade, na mesma faixa de domínio”, comentou o governador, que confirmado ter entregado a proposta do projeto nas mãos do presidente Michel Temer no mês passado. “Só estamos aguardando o governo federal dar um ok, que ele concorda.”

 

“Estamos otimistas. O grande problema hoje é o custo do terreno. É muito cara a desapropriação. Se temos a faixa de domínio, já viabiliza o projeto”, disse.

 

O projeto tem sido assessorado pelo Banco Mundial.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

28 Comentários deste post

  1. Acredito que com o novo Governo Federal vai sair as Linhas intercidades e o Ferroanel Norte e Sul.

    Felix / Responder
    • “Novo”

      • Sim, esse Governo Federal e sua equipe econômica começaram em 01/09/2016.

        Felix / (em resposta a Lucas) Responder
        • Na verdade este Governo Federal começou em 01/01/2015, pois parte dos membros atuais vieram desta época, pois pelo que eu sei e a lei definiu, foram eleitos todos os dois nomes desta gestão executiva atual . No entanto, a troca de equipes veio nesta data citada por você.

          Anonimato / (em resposta a Felix) Responder
        • Não Felix, o governo federal que está aí começou com a eleição da Dilmanta, ou se esqueceu que a base do governo PTista sempre foi o PMDB?

          Cris / (em resposta a Felix) Responder
    • Ah tá… Se não tá saindo nem os corredores da cidade de SP, imagina se vai sair essa linha de trem em menos de 2 anos.

      O.Juliano / (em resposta a Felix) Responder
      • Só uma resposta lógica: os corredores não sairam por causa do TCU (imagino). A não ser que alguém tenha provas que o Haddad tinha desvios de dinheiro óbvios nos projetos que foram enviados ao TCU…

        Anonimato / (em resposta a O.Juliano) Responder
      • Não falaram de prazos, somente que a fase de pré licitação está dependendo do governo federal. Essa obra depois de licitada vai levar de 3 a 5 anos para ficar pronta.

        Yago / (em resposta a O.Juliano) Responder
        • Yago, eu comentei a frase do Felix que disse que, agora, com o governo Temer essas obras sairão, como se o problema fosse a equipe anterior (qual o arual governo já fazia parte). Acho muito difícil que saia no governo Temer, talvez no próximo, talvez não. Mas a simplicidade de dizer que agora tudo mudou é uma ilusão, pouca coisa realmente mudou.

          O.Juliano / (em resposta a Yago) Responder
    • Desde que Temer assumiu, o PIB assumiu tendência de queda, mostrando que o mercado acredita menos nele, que acreditava em Dilma. Logo, beeeem difícil.

      Jose Rocha / (em resposta a Felix) Responder
      • Esse tendência de queda venho das políticas econômicas ruins e da falta de reformas na administração de Dilma Rousseff. Atualmente o índice de confiança do mercado no governo é o mais alto em anos. Os índices econômicos para esse ano são muito melhores quando comparado com os anos anteriores.

        Yago / (em resposta a Jose Rocha) Responder
        • Não não. Até o impeachment, existia por meses uma tendência de alta, resultado da política autruista do governo Dilma.

          Os índices de confiança, se dão especialmente pelos projetos de mudança nas leis trabalhistas e programas de privatização.

          José Rocha / (em resposta a Yago) Responder
  2. que deus nos dê paciência para esperar.

    Leonardo Gleison / Responder
  3. Malckimim só mentiras…

    FORA PSDB!!

    Renato / Responder
    • A faixa ferroviária pertence ao governo federal, certo?
      Para licitar a obra depende do governo federal, certo?

      Onde está a mentira?

      Yago / (em resposta a Renato) Responder
      • O problema é que o tal “trem intercidades” já faz uns 10 anos que é prometido, sob diferentes nomes e projetos. Por isso o estado ofensivo do japonês reclamão.

        Anonimato / (em resposta a Yago) Responder
    • Você já defendeu o governador em outras publicações…
      Desculpe, mas você se contradiz muito…
      Não da para levar a sério a sua opinião!!!

      Renato / (em resposta a Renato) Responder
  4. Se tivesse possibilidade de executar já o teria feito. Então temos que esperar que com Temer possa evoluir os entendimentos. Infelizmente com Dilma não foi possivel, nem o ferroanel de respnsabiidade do gov federal (mesmo tendo sido aprovado e divulgado, não foi feito) o que beneficiaria o fluxo dos trens da CPTM, nem os espaços para os trens Intercidades.

    Jair / Responder
  5. Lei 696969 de 69 de 69 de 16969 da “política de marketing político para políticos politiqueiros”

    Art. 171: A oferta de novos serviços, de anúncio de projetos em estudos e/ou da conclusão de serviços prometidos sempre será feita pela seguinte equação:

    AnoDaNovaObra = ANO(ATUAL())+1

    Ou seja:

    O Ano da instalação da Nova Obra será sempre o ano presente mais o ano seguinte.

    Esta equação pode ser modificada nas seguintes condições:

    AnoDoFimDaObra = ANO(ATUAL=ELEITORAL(VERBA))-1/2
    ou
    AnoDoFimDaObra = ANO(ATUAL(REPORTAGEMDENUNCIABOMBASTICAQUESAIANAGRANDEMIDIA))-1

    Anonimato / Responder
  6. A babação de ovo pra isentar o Santo por parte de alguns aqui não para.

    Gapre / Responder
  7. Tem mais uma boa noticia, a Dersa com a ANTT também estão fazendo o projeto para o Ferroanel Norte que sairá de Caieiras até Manoel Feio em Itaquaquecetuba.O prohetodevera ser apresentado em Julho de 2017.

    Felix / Responder
    • Projeto nao qier dizer nada. A quantidade de projetos feitos pelos governos para enganar eleitor é absurda. Basta lembrar dos lrojetos eleitoreiros do Alckmin pafa novas linhas em SP, todos caíram no esquecimento após as eleições (serão resgatados nas próximas, garanto)

      Cris / (em resposta a Felix) Responder
  8. Eita papelzinho danado!
    Aguenta tanta promessa e às vezes a maioria nem sai dele…

    Arthur Lira / Responder
  9. Só quero ver onde isso vai dar.

    Rodrigo Santos / Responder
  10. Com esse nosso governo estadual e federal, ficaremos até 2018 estagnados, nada anda, nada muda, teremos que ter paciência, e parar de votar em administradores de obras paradas.

    Pedro / Responder
  11. Esse Trem Regional Vai Ter Como Trechos Todos Com Partida em São Paulo/SP e Extensão em Cidades Como: Jundiaí e Campinas (Trecho Amarelo), Santos (Trecho Azul), Itu e Sorocaba (Trecho Verde) e São José dos Campos (Trecho Vermelho)

    MICHELL / Responder
  12. Já o Próximo Passo Vai Ser o Governo Estender os Trechos dos Trens Regionais: Amarelo Com Passagens Por Ribeirão Preto, Franca e Barretos Além da Ligação Por Piracicaba, Rio Claro, São Carlos, Araraquara, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul e Ilha Solteira, Azul Até o Porto de Santos, na Baixada Santista, Verde Até Itapetininga, Avaré, Ourinhos, Assis e Presidentes: Prudente, Venceslau e Epitácio Além de Bauru, Marília, Tupã, Adamantina e Dracena e Vermelho Até Cruzeiro Passando Por Taubaté e Também Pela Basílica de Aparecida Sem Esquecer de Guaratinguetá e Lorena

    Michell / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*