Primeira ferrovia paulista completa 150 anos

Neste dia 16 de fevereiro a primeira ferrovia do estado de São Paulo completa 150 anos anos de existência: a estrada de ferro Santos-Jundiaí, que tinha como principal objetivo o escoamento a produção cafeeira. Foi financiada através dos produtores de café, sendo um projeto do barão de Mauá, que foi buscar recursos na Inglaterra para construção. Em dado momento, a administração da ferrovia vai parar na mão dos ingleses.

A Santos – Jundiaí alavancou o desenvolvimento do estado de São Paulo, não só pelo transporte de passageiros e cargas, mas por toda a estrutura que obra exigiu. Após a transposição da Serra do Mar, foi possível a instalação de outras estradas de ferro, que interligaram o interior de São Paulo, e levaram progresso para demais regiões.

Decida da Serra do Mar em 1978

Decida da Serra do Mar em 1978

Transporte de passageiros

A ferrovia transportava passageiros oriundos do interior rumo ao porto de Santos. A conexão entre o planalto e o mar perdurou até meados de 1995, pouco antes da privatização das linhas. Ou seja, em dado tempo era possível acessar o litoral paulista por meio desta ferrovia.

Atualmente o trecho operacional para passageiros se concentra entre Rio Grande da Serra e Jundiaí, unindo as linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM, com exceção do trecho entre Brás e Luz, que é coberto pela linha 11-Coral. Existe também um serviço turístico até Paranapiacaba.

Série 2100 da CPTM na Extinta estação Campo Grande, quando trem metropolitano atendia a Vila de Paranapiacaba

Série 2100 da CPTM na Extinta estação Campo Grande, quando trem metropolitano atendia a Vila de Paranapiacaba

Depois de décadas de desativação, o Governo Paulista tem planos para levar o transporte sobre trilhos entre a capital e a baixada santista, mas eu um traçado diferente da antiga Santos-Jundiaí.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

8 Comentários deste post

  1. Renato tem alguma informação a respeito deste traçado alternativo? Já ouvi algo a respeito de “esticar” o linha 9 ou via Parelheiros.

    Nivaldo Fernandes / Responder
  2. Anonimo. Agradeço pela dica.

    Nivaldo Fernandes / Responder
  3. Fico imaginando, se tivesse vontade política, poderia ir de SP a Santos, e quem quisesse ir no fim de semana na praia, seria tranquilo sem ter nem carro, triste.

    Rodrigo Santos / Responder
  4. Se tivéssemos trens de passageiros para Santos…

    Fabiano / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*