Prefeitura de SP deve trocar cartões do Bilhete Único para evitar fraudes

A prefeitura de São Paulo quer trocar os mais de 15 milhões de cartões de bilhete único ativos, por uma tecnologia mais nova, para coibir fraudes.

A informação foi dada pelo Secretário dos Transportes e Mobilidade, Sergio Avelleda, durante reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, ocorrida nesta semana.

O atual sistema teve seu código quebrado, dando a possibilidade de recargas clandestinas, e por consequência o comercio irregular, que por sua vez contribui para evasão de recursos do sistema de transporte.

“Toda a plataforma tecnológica será trocada por outra. O que a gente pode assegurar é que não haverá uma troca no curto prazo a ponto de gerar filas intermináveis e causar transtorno à população. Isso será ao longo do tempo. A estratégia vai ser elaborada mais para a frente. O software só chega em maio e provavelmente vai ter um período de testes longo”, disse Avelleda.

O anúncio vem ao mesmo tempo em que o prefeito João Doria visita Doha, capital do Qatar. A comitiva foi buscar investidores para futuras privatizações e concessões. Na ocasião, Doria disse que o Bilhete Único de São Paulo possui um valor inestimável.

“O banco de dados tem um atrativo muito grande para qualquer instituição financeira, seguradora, rede de varejo. É valiosíssimo”, afirmou o prefeito.

Existe também a possibilidade das novas concessionárias em assumir a administração dos cartões. A prefeitura trabalha atualmente na nova licitação dos transportes. Se assinarmos o contrato de concessão, a responsabilidade da troca dos cartões será da concessionária”, disse o secretário.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

15 Comentários deste post

  1. Esse prefeito vende a mãe e não entrega

    Gabriel Rezende / Responder
  2. Mano, faz tudo virar cartão BOM e já era…

    Raphael Freire Zanardo / Responder
  3. Se fosse tudo o cartão bom, seria perfeito. não sei para que tanto bilhete. bilhete único que não é único, bom, bem, e uma penca de outros.

    Leonardo Gleison / Responder
    • A grande questão desses bilhetes nao serem unicos é que são de cidades diferentes. Pensando nisso, seria interessante a unificação dos sistemas e a criação de um bilhete Grande SP, que poderia ser utilizado tanto na capital quanto nas cidades pertencentes a Grande SP, o ponto em questão é: os governantes aceitariam tal idéia?

      Nicolas Ferreira / (em resposta a Leonardo Gleison) Responder
      • Nicolas, eu já pensei bastante sobre isso! Já que a tecnologia é a mesma para todos (Mifare), pelo menos por enquanto a prefeitura não anuncia se utilização tecnologia diferente, poderia haver um cartão único para a Grande SP, o Estado de SP ou até mesmo para o Brasil todo (num plano de expansão micro->macro) Os créditos poderiam ser colocados em terminais, site, pontos de venda ou por app e valeriam para qualquer ônibus que aceitasse esse cartão unificado. Enfim, ideias…

        O.Juliano / (em resposta a Nicolas Ferreira) Responder
    • Realmente,tem algumas cidades que já usam o Bom nos seus ônibus municipais, portanto dá pra fazer,mas tem que convencer e quebrar interesses.

      Mauri / (em resposta a Leonardo Gleison) Responder
      • Nessas cidades isso ocorre pois a operadora municipal também faz as linhas intermunicipais, como a viação Pirajuçara em Taboão da Serra.

        Eduardo Alves / (em resposta a Mauri) Responder
  4. interessante, a prefeitura arca com a troca de todos os cartões depois vende o serviço dizendo que dá prejuízo…

    rafael oliveira / Responder
  5. Deveria de ser utilizado as impressões digitais para combater as fraudes.

    Felix / Responder
  6. Interessante… te obrigam a dar informações pessoais pra prefeitura. ai oque a prefeitura faz???? vende o banco de dados pra quem pagar mais!!!!

    Thiago / Responder
  7. E a questão da privacidade dos dados pessoais? Quero usar o meu BU, mas não quero que as empresas saibam o que faço no dia-a-dia.

    Alex / Responder
  8. Piada hein, no caso dos dados, veremos.

    Rodrigo Santos / Responder
  9. Isso que não gosto no modo Dória de pensar, TUDO é negócio. Até as informações pessoais dos cidadãos. Quer colocar iniciativa privada no BU? Ok. Quer fazer novos cartões? Ok, contanto q não saia do nosso bolso. Agora vender os dados de um programa de transporte público básico municipal? Ridículo.

    O.Juliano / Responder
  10. Não devia ter bilhete isso sim, aceita cartão de crédito/débito e pronto.
    E quem tem “vale transporte” que receba isso no salário.

    fabio / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*