Gestão Doria gasta o dobro do previsto em subsídio em janeiro

A prefeitura de São Paulo gastou R$ 305 milhões em subsídios para as empresas de ônibus no mês de janeiro, o dobro do que era previsto. Com isso, já foram utilizados 17% dos recursos reservados no ano para este fim.

Além disso, a gestão João Doria já tinha, até esta quarta-feira, 15, uma dívida de R$ 237 milhões com as empresas de transportes, segundo dados do sistema de execução orçamentária da Prefeitura e da transparência da SPTrans.

Com a promessa de não aumentar a tarifa unitária e com o bloqueio da Justiça de suspender os reajustes das integrações, a situação se agravou.

Se continuar neste ritmo, os recursos resevardos para subsídios termina em junho. A Prefeitura afirma ser possível levar as contas até setembro — depois, seria preciso retirar recursos de outras dotações para manter a frota operando.

A gestão municipal, em janeiro de 2016, gastou 9,75% dos recursos para aquele ano. Em 2015, 8,9%. No ano de 2013, onde o ex-prefeito Fernando Haddad congelou as tarifas devido aos protestos, o gasto foi de 15%.

Em nota ao jornal Estado de São Paulo, a gestão Doria reconhece os desafios. “É preciso lembrar que, em 2016, o subsídio atingiu volumosos R$ 2,9 bilhões, frente a um orçamento aprovado de R$ 1,7 bilhões (diferença de R$ 1,2 bilhões)”, diz o texto. “Para 2017, o orçamento prevê R$ 1,8 bilhão, o que sugere que o déficit de 2016 deve se repetir”.

“Para fazer frente ao déficit previsto para 2017, a nova administração vem adotando uma série de medidas de austeridade e eficiência, para ao mesmo tempo atender às prioridades e manter o orçamento equilibrado”, continua a nota da Prefeitura. “No curto prazo, vamos renegociar contratos, redefinir critério de compras, congelar gastos não prioritários e rever programas ineficientes. Do lado da receita, vamos aprofundar o combate à sonegação e intensificar a cobrança aos devedores do município. Ao mesmo tempo, vamos fazer parcerias e privatizações para cortar custos e gerar receitas alternativas”, afirma a Prefeitura.

“Paralelamente, a SPTrans vem desenvolvendo esforços para redução dos custos do sistema e esforços para combater as fraudes no sistema do bilhete único”, conclui a nota.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

37 Comentários deste post

  1. Parece que alguém fez contas erradas…

    O.Juliano / Responder
    • O orçamento desse ano foi feito na administração Haddad. A cima de tudo deve ser lembrado que a prefeitura foi impedida de aumentar a tarifa de integração, o que fez necessário o aumento do subsídios.

      Yago / (em resposta a O.Juliano) Responder
      • A nova gestão, teve completa liberdade para alterar o orçamento, porém Dória pediu para que não fosse. Isso é fato público e conhecido. O orçamento esperava o aumento da passagem. A demagogia de Dória começa a mostrar “resultados”.

        Jose Rocha / (em resposta a Yago) Responder
      • José Rocha, isso mesmo.

        Yago, só complementando que o impedimento do aumento da integração foi com relação ao Governo do Estado de SP e não à Prefeitura.

        O.Juliano / (em resposta a Yago) Responder
  2. Caramba, deixa o cara trabalhar! Vcs só postam notícias atacando o cara e nenhuma falando de algum plano ou projeto dele! Ta assim desde as eleições! Até agr não vi nenhuma notícia falando do “bike stops”, uma idéia ótima q ele quer implementar na cidade toda. Tbm não vi nenhuma notícia falando da dívida q o Haddad deixou pra essa gestão e as obras não concluídas dos corredores de ônibus, operação água esprairada, BRT da zona leste…

    R / Responder
    • Trabalhar ele está sendo deixado… de lado. :p

      Bike Stop por enquanto só tenho visto como promessa de campanha. Na verdade, dentro da gestão Haddad já tinha a ideia de bike stops, mas ia fechar parceria privada.

      E não é culpa do Haddad a não conclusão das obras nos corredores, é do TCM.

      Anonimato / (em resposta a R) Responder
    • Deixaram tanto trabalha, que o PSDB enraizou em SP a 20 ano,s e não vejo melhora alguma no geral na cidade, só vou falar algo bom que ele fez, se fizer algo na Radial Leste para o transporte publico, já que o Haddad tinha planos de um corredor, do centro a Artur Alvim, só que o TCM barrou , e o TCU não liberou verba, aguardemos.

    • Dívida?? O caixa da prefeitura no final da gestão Haddad foi de 6 bilhões positivos.

      Jose Rocha / (em resposta a R) Responder
  3. E apenas meia dúzia de ônibus com ar condicionado. Difícil.

    Jean / Responder
    • Isso ocorre porque muitas empresas compraram muitos carros antes dessa lei do ar-condicionado, e ela tem carros “novos” de 2012 ate 2014. e com esse impasse da licitação, Ficam de mão atadas, não sabem se vão continuar ou etc. e ficam empurrando, Exemplo, A Viação Campo Belo tem muitos carros já com ar-condicionado, assim como outras, e outras como a Tupi, e etc, não tem nenhum.

      jildinei / (em resposta a Jean) Responder
      • A Tupi é um ponto fora da curva. Pra mim, é de longe a pior viação de São Paulo. Espero que ela logo seja extinta

        Gapre / (em resposta a jildinei) Responder
        • Concordo, fico triste pois cresci andando nos onibus dela, eram conservados. na epoca do kassab, pra ca, a qualidade caiu muuuuuito.

          jildinei / (em resposta a Gapre) Responder
      • Na verdade, eu acho que foi uma questão de oportunismo para algumas empresas, pois não há lei de ar-condicionado nem wifi, mas será obrigatório APÓS a licitação aprovada. O que vi foi muitas empresas comprando carros rapidamente antes da licitação para não precisarem atender a ar-condicionado e wifi. Acontece que a licitação está demorando mais que o previsto então não sei se adiantou muito fazerem isso.

        O.Juliano / (em resposta a jildinei) Responder
    • A via sul também é outra que anda com mais da metade frota de onibus com mais 10 anos .

      Claudio / (em resposta a Jean) Responder
  4. o título deveria ser:
    GESTÃO HADDAD FALHA EM PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA E PREJUDICA SUCESSOR.

    Vítor P. Gabriel / Responder
    • Tsc tsc tsc, esses comentários políticos que não geram uma discussão saudável só atrapalham o site

      Gapre / (em resposta a Vítor P. Gabriel) Responder
    • Repetindo meu comentário:

      A nova gestão, teve completa liberdade para alterar o orçamento, porém Dória pediu para que não fosse. Isso é fato público e conhecido. O orçamento esperava o aumento da passagem. A demagogia de Dória começa a mostrar “resultados”.

      Jose Rocha / (em resposta a Vítor P. Gabriel) Responder
  5. acho q o Dória vai ter q aumentar, não tem jeito não.

    la muerte / Responder
  6. Uê ele perdeu a oportunidade de aumentar a tarifa, então vai pagar mais subsídio mesmo!

    Jurandir / Responder
  7. Quem vai se fuder no final…
    Vc que pega o busão todo dia pra trampa.

    Matheus / Responder
  8. O Doria vai descobrir que adm. pública é bem diferente da privada. Nesta basta uma reunião com o conselho para se tomar as decisões e partir pra cima dos escravos. Já na vida pública, tem vereador, tem imprensa, tem Ong’s e coletivos, interesses de várias frentes, e ainda a Justiça que as vezes ajuda ou atrapalha. Vai ter que aprender na marra a dialogar, sua imagem de gestor eficiente vai cair por terra rapidinho.

    Marcelo Pádua / Responder
  9. retirar recursos de outras dotações nada…corta este subsidio logo e cada um paga o que gasta !!!

    Leonel / Responder
  10. Ainda não entendo, porque não aumentou, não vejo sentido em congelar.

    Rodrigo Santos / Responder
    • ele quis ser populista que nem os políticos de esquerda. No final, quem vai pagar é toda a sociedade. Não deveria é existir subsídio.

      Jurandir / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
      • O Haddad foi populista? Onde? Ah esse Felix fã da direita que só faz propaganda política nos comentários….

        Gapre / (em resposta a Jurandir) Responder
        • Gapre não me esquece, dorme pensando no Felix e sonha como contraria-lo. Aliás é um nome sugeneres, na Petrobras do Rio de Janeiro também tem uma sigla da Companhia como Gapre, Gabinete da Presidência. Tá vendo Gapre como seu pseudônimo é importante.

          Felix / (em resposta a Gapre) Responder
          • Tá bom Jurandir, depois de repetir mil vezes meu nick vc aprendeu a escrever. Parabéns, meu caro baba-ovo de tukanos!

            Gapre / (em resposta a Felix)
          • Tá bom Jurandir, depois de repetir mil vezes meu nick vc aprendeu a escrever. Parabéns, meu caro baba-ovo de tukanos!

            Gapre / (em resposta a Felix)
  11. a maioria dos onibus não tem wi-fi esses cara são mentirosos, ou melhor nenhum onibus tem wifi se tenta conectar e nunca consegue kkkkk
    esses caras são mentirosos

    wagner / Responder
    • Em 2015 eu conseguia conectar a todos os terminais e ônibus com wifi, do ultimo ano pra cá não consigo conectar mais em NENHUM ônibus e desde o começo de fevereiro também não consigo mais conectar em terminais…

      O.Juliano / (em resposta a wagner) Responder
    • Na ZL nenhum tem WiFi, pois tiraram alguns que tinham, Na ZS tem em várias linhas de cooperativas, enquanto não obrigar, não ira voltar, ou só apos a licitação mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*