SP tem maior malha cicloviária da America Latina

Notícia da coluna de Monica Bergamo, do jornal “Folha de São Paulo” da conta de que a capital paulista se tornou a cidade com maior quilometragem de ciclovias na America Latina. A capital paulista possui 468 km, mais do que os 467 km de Bogotá (Colômbia), os 450 km do Rio de Janeiro e os 411 km de Brasília.

Os últimos trechos entregues pela gestão de Fernando Haddad foram na zona leste e sul (relembre aqui), que totalizaram os 400 km prometido pelo ex prefeito.

Sobre futuras expansões, existem incertezas. Em campanha eleitoral, o novo prefeito João Doria chegou a cogitar a retirada de espaços ociosos, no entanto, a medida iria na contramão de se construir uma malha consolidada, e por consequência, atrais novos adeptos ao meio de transporte não poluente.

Em seguida, após o resultado das urnas, Doria pedalou com cicloativistas, demonstrando estar aberto ao dialogo e chegou a falar em redesenho na malha. Seu secretário da pasta Transportes e Mobilidade, Sergio Avelleda, é ciclista e teve papel importante na intermodalidade em trens e metrô, com as bicicletas podendo acessar inicialmente o sistema sobre trilhos aos fins de semanas e feriados e posteriormente, todos nos dias úteis após 20h30.

Enquanto isso, a capital paulista viu o número de mortes de ciclistas reduzir em 34% em 2015, após a ampliação da rede de ciclovias. Já o número de pessoas que usam o meio de transporte, cresceu. Só na Avenida Paulista, após a instalação do espaço, o volume de bicicletas cresceu quase 10 vezes.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

40 Comentários deste post

  1. Vamos Doria e Avelleda!
    As ciclovias precisam crescer e não retroceder.
    Como o mandato está no começo, os gestores merecem um voto de confiança.
    Que a rede seja toda conectada nos próximos anos, e os acertos do Haddad ajudem o Doria a acertar e não retroceder por birra política.

    Fabio / Responder
    • Exato! Temos que continuar ampliando e melhorando a malha cicloviária da cidade.

      Josh / (em resposta a Fabio) Responder
    • Sim, e também acertar onde a administração do Haddad errou (como em planejamentos, por exemplo; para não fazermos vistas grossas)

      O correto seria isso, sem birra política analisando os erros e acertos para melhorar, e não retroceder.

      O.Juliano / (em resposta a Fabio) Responder
  2. Acho que a cor ideal deveria ser Verde ou Azul, são mais suaves e acalma o bicicletista.

    Felix / Responder
  3. Se essa gestão concluir os projetos de ligação (principalmente aquelas que transpõem os rios), já será de grande valia para os ciclistas.

    Alex / Responder
  4. Não tenho orgulho ou qualquer sentimento de satisfação com esse título, pois custaram muito caro a cidade. Pela incapacidade da Gestão anterior em cumprir a lei da acessibilidade, fizeram acordos com MP para pintar e não construir ciclovias em contrapartida pelo não cumprimento da referida lei. Para construir essas gambiarras aproveitaram recursos de outras áreas, fazendo uma administração sofrível. Não sou contra a ciclovia, mas a cidade tem outras prioridades. Ex. Velório e Cemitério da Vila Nova Cachoeirinha uma vergonha aos cidadãos que pagam seus tributos não dá para escrever… . Desrespeito, descaso etc… Enquanto isso, gastam dinheiro com Marketing da Tinta e a cidade que terá outro Título “Cidade das Crateras”.

    ROBERTO / Responder
    • Tem tanta coisa que gasta bem mais na cidade e você não se preocupou, né? E não dá para fazer o resto ao menos tirem dinheiro das ciclofaixas, ok? Baita mistureba de coisas!

    • não sou contra ciclovias…. Sei. rs

      Alexandre i / (em resposta a ROBERTO) Responder
      • Apenas um exemplo acima. Temos tantos outros. A incompetência gera atos que parecem cheios de virtude, mas a cidade continua a maltratar os deficientes, com isso um Prefeito viajante traz experiências bem sucedidas em paises com diferenças enormes de cultura, vivência de guerra, fome e luta contra o clima para produzirem. Sem adaptação a nossa realidade pela ocupação desordenada do solo. Soluções pífias dos imediatistas. Todos querem morar nos grandes centros. Centralização das melhores ofertas de emprego. Essa é nossa guerra. Coitados dos nossos cidadãos trabalhadores e sem contrapartida do Poder Público. As ciclovias mudaram a vida de milhares de pessoas???Agora a moda é privilegiar a minoria que se manifesta e que se dane a maioria. Aprenderam com as organizações dos movimentos sociais da minoria (Favelados). Os trouxas que pagam taxas, servicos, IPTU…

        Roberto / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • vc nem é um velho conhecido daqui, fala logo que não gosta e pronto para com essa historinha de não tenho nada contra, … nao tenho nada contra, mas antes disso tinha que ter investimento em hospital, em educação, em calçadas, no atendimento dos idosos, na organização de filas, na discussão do sexo dos anjos, ….. após somente resolvido tudo isso apoio a s ciclovias, contanto que não tenha nenhuma pintada em meu caminho costumeiro ou que retire qualquer vaga onde vá utilizar eventualmente qualquer dia….
          se acha mesmo que as pessoas que possuem as isenções recebem tantos benefícios assim convido a inverter sua posição jogue tudo pro ar e vá ser um sem teto, vai receber os auxílios, vai lá andar de bike nas faixas que só recebe quem faz xilique. achar que o próximo ganhando um benefício ou um incentivo é deixar de levar vantagem resulta nessa porcaria que estamos vivenciando, todo mundo querendo levar vantagem. acha mesmo que precisaria de ciclovias e afins se não houvesse esse posicionamento de se eu não levo vantagem não deveria ser investido? o uso do solo de São Paulo é uma porcaria, mas talvez não tenhamos a mesma ótica, por exemplo pra mim acho um péssimo uso uma faixa de ônibus temporal na domingos de Morais, durante o horário x é faixa de ônibus, fora desse horário os carros estacionam… é pedir pra ter um caos e os ônibus não funcionarem. os trilhos sob são Paulo estão com crescimento pífio há décadas, outro desperdício do uso do solo. e por aí vai… mas o foco de outros é aquele 1 metro de tinta suvinil… que desperdício e bla bla….. só entra pra falar quando é referente a ciclovia, redução de velocidade, etc td que envolva o Deus carro, no metrô pouco importa pois este não interfere no todo poderoso, ….

          Alexandre i / (em resposta a Roberto) Responder
          • As ciclovias da Paulista, Monotrilho, Marginal podem ser elogiadas, aquelas quebra galho com buracos e quando chovem viram poças enormes, construidas em subidas ou/e declives um absurdo. Ciclovia é ótimo em cidades litorâneas e planas o resto é quebra galho. Deveriam nos prédios disponibilizarem vagas para bicicletas e vestiário com chuveiro. Tem empregador que retira o beneficio do VT de quem se utiliza de bicicletas e ameaça com demissão por se utilizar de bicicleta (acidente).

            Roberto / (em resposta a Alexandre i)
          • Infelizmente o metrô e uma obra caríssima ede longo prazo para o nosso país. As obras são a passo de tartaruga, Além dessas construtoras pífias que são beneficiadas pela lei de Limitações. Recorrem de tudo, transtorno imenso.

            Roberto / (em resposta a Alexandre i)
      • Pergunto ao risadinha, os ciclistas das calcadas no centro fazem o que ??? Tomam os celulares dos distraídos. Qual a solução???
        Rssssss. Quando o médico no hospital da Prefeitura afirmar esse remédio não tem na fármacia do hospital, por opção do gestor.
        No dos outros é bom e no seu…

        Roberto / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • Vai fundo generalize que vai pelo caminho certo… vc é um dos que mais consegue ter comentários excluídos, só perde para o são Paulo entrando nos trilhos. e no final não agrega nada ao site. volto a repetir… tem vários irmãos gêmeos lá no g1, comentaristas com o mesmo nível que vc e de pensamento idem

          Alexandre i / (em resposta a Roberto) Responder
          • O melhor é saber que meus comentários são lidos por você. Não tenho menos de trinta anos como você, a vida é um aprendizado, nao sou contra ajuda e benefícios, mas devem ser proporcionados aos que precisam, miseráveis , não aos pobres espertinhos, ou seja, mentem para obter facilidade. Ex. Auxílio desemprego para empregado, leve leite para pessoas que podem comprar leite, Auxilio saúde para pessoas saudáveis, pagar menos com cartão clonado, Renda Minima para pessoas que não procuram emprego, bolsas da vida, invadir prédio publico e particular. Não precisa jogar nada fora dos seus bens, basta ser cara de madeira que agora é moda. O errado está certo e o certo é errado.

            Roberto / (em resposta a Alexandre i)
          • continua jogando no escuro e julgando que tá acertando tudo, adoro roubar carteiras por aí, tenho menos de 30, invadi um prédio alheio esses dias, estou roubando merenda nesse momento, usando a Internet de um celular que peruquinha ali no centro de um engravatado que estava vacilando na calçada. e comendo churros gourmet com dinheiro do bolsa família.
            daqui a pouco chega a hora de declarar o imposto de renda não se esqueça das falcatruas pra pagar menos, aproveita e ensina o neto a como falsificar o rg pra entrar na balada sem ter a idade, compra aquele CD pirata lá ou baixa aquele MP3 legal pq tá muito caro ou transferir os pontos da carteira pra outro pra n estourar… quer mais algum exemplo certão? antes de apontar o dedo na cara dos outros comece por você e assuma de vez, se uma pessoa inventa uma fila de prioridade monstruosa e colo a um item por último, convenhamos que ela não quer isto. segundo os recurso da ciclovia não tem nada haver com o que vc inventou que poderiam ser utilizados se o prefeito anterior mijasse pra fora da tampa o MP já estaria aplicando uma multa ou impedindo que reutilizar se o banheiro.

            Alexandre i / (em resposta a Alexandre i)
          • O que agrega? Seria concordar com tudo? Como dizia Nelson Rodrigues, “Toda unanimidade, é burra”.

            Felix / (em resposta a Alexandre i)
          • o que agrega? não precisa concordar e seguir o mesmo ponto de vista mas colocar coisas úteis, só vir aqui e dizer parabéns são Paulo, podia investir de a a z antes de investir nisso que não gosto, cadê os bicicletas tas, coxinhas! mortadela, nada disso agrega. dizer que não se orgulha ok, é o ponto dele, mas ser hipócrita a ponto de dizer que não tem nada contra MAS…. é contra e pronto. igual vc e o welbi só vem aqui para colocar pérolas do partido as obras estão em ritmo acelerado, é culpa de x, y, z, …. etc… a discussão é sob o tema, tirar dúvidas de alguém, levantar dúvidas sob o tema… ate mesmo sua insistência em mudar de cor a ciclovia agrega mais, pq se alguém desconhece do padrão internacional de cores para uso em ciclovias pode vir aqui e ficar sabendo, etc.

            Alexandre i / (em resposta a Alexandre i)
    • Só está faltando o principal, os bicicletistas?As faixas continuam vazias.

      Felix / (em resposta a ROBERTO) Responder
      • Vazias só no seu mundo cor de rosa., pq no meu de usuário frequente,vejo vários!
        Antes de vir vomitar asneiras, va pedalar e conheça a realidade do dia a dia de quem REALMENTE USA!!!!!!!

        Renato / (em resposta a Felix) Responder
    • Você é bastante desinformado, né Roberto?

      Eu participei (reuniões, fóruns, leitura de estudos sobre o assunto, etc) desde o início (ainda na era Kassab) sobre a questão das ciclovias de SP. Vou te falar: houve planejamento, não foram caras (200 mil por km é bastante razoável em comparação com sistemas implantados nas maiores capitais do mundo) e muito menos houve acordo com o MP para implantar as ciclofaixas (muito pelo contrário, a gestão Haddad sofreu muito com o pessoal do MP, TCM e OAB sobre o assunto – e tudo foi exaustivamente explicado aos órgãos responsáveis).

      As “gambiarras” (como você diz) foram aprovadas por um estudo técnico feito no ano passado por um conceituado grupo da área de mobilidade, apontando apenas falhas em alguns trechos que poderiam ser resolvidos, por exemplo, com um simples recapeamento ou melhor sinalização.

      O fato é que as “gambiarras” (como você diz) garantiram uma redução enorme nos acidentes fatais de ciclistas e motivaram o aumento do número de pessoas que passaram a usar a bicicleta como meio de transporte na cidade.

      O dinheiro das ciclovias não foi retirado de nenhuma outra área. Era um dinheiro reservado para tal finalidade. Não foi um deslocamento de verba do serviço funerário para as ciclofaixas, como você acusou em seu comentário. A administração passada apenas aplicou para garantir o cumprimento da lei que OBRIGA os municípios a investir em mobilidade ativa.

      Alex / (em resposta a ROBERTO) Responder
  5. Ciclovia não é rota de passeio, é uma estrutura de transporte e como tal, merece investimentos constantes. Aguardamos bicicletários públicos, conectados com toda a rede de terminais e estações de metrô como evolução do q já foi feito.

    Jean / Responder
    • A qual custo: vidas por falta de recursos, educação, prevenção de moléstias, destruição da história da cidade, cultura, reciclagem, saúde mental, piscinões, combate a enchentes, preservação das vias, combate a epidemias, conservação de parques, faixa exclusiva para motos e principalmente Investimentos, Apenas esses itens como prioridade antes das ciclovias.

      Roberto / (em resposta a Jean) Responder
    • A qual custo: vidas por falta de recursos, educação, prevenção de moléstias, destruição da história da cidade, cultura, reciclagem, saúde mental, piscinões, combate a enchentes, preservação das vias, combate a epidemias, conservação de parques, faixa exclusiva para motos e principalmente Investimentos, Apenas esses itens como prioridade antes das ciclovias.

      Roberto / (em resposta a Jean) Responder
      • Falta de recursos? A administração Haddad renegociou a dívida. A cidade agora pode receber recursos graças ao antigo prefeito. Sem mencionar que foi a administração que mais investiu em combate às enchentes (piscinões e estruturas como na região do M’Boi Mirim e lá perto da Arena Palmeiras), em transporte público (500 km de faixas e corredores de ônibus, diminuindo o tempo das viagens), novos parques, reciclagem (o Haddad entrou uma central de reciclagem, a coleta seletiva, etc), fomentou os FabLabs e o cinema na cidade (cine Belas Artes, SP Cine, etc)…

        Para de falar bobagem, Roberto. O Haddad não fez somente ciclovias.

        Alex / (em resposta a Roberto) Responder
  6. Acho que a França, Suíça, Itália e outros também desconhecem o uso de cores em ciclovias?Na Suíça unica faixa em vermelho nas ciclovias, são as entradas de vias secundárias ou cruzamentos.

    Felix / Responder
    • Foi alterada as cores de sinalização anterior de 1986, e implantada em 2008 pelo governo do PT, o Haddad seguiu a legislação criada em 2007 e implantada em 20 08 . Não é o que acontece em outros países.Pelo que li no seu link, outro govermo, através do Contran, pode alterar as cores.

      Felix / (em resposta a Alexandre i) Responder
      • se fosse seguir cada um o seu a ciclovia do Rio pinheiros pela lógica seria azul… por mim seria apenas uma faixa de cor x ao lado da branca e os desenhos de bike no percurso, mas o padrão não é meu é do contran

        Alexandre i / (em resposta a Felix) Responder
  7. eu acho que deveriamos acabar com esse besteira de ciclovia … nao serve pra nada!

    Jurandir / Responder
    • Vá na Avenida Eliseu de Almeida em um domingo ensolarado e veja se os usuários concordam com você.

      Anderson / (em resposta a Jurandir) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*