Prefeitura de SP recorre da decisão sobre velocidade nas Marginais

A Prefeitura de São Paulo recorre nesta tarde de segunda, 23, da decisão liminar da Justiça que impede que as velocidades das marginais Pinheiros e Tietê subam no próximo dia 25. relembre aqui

O prefeito João Doria criticou a atitude dos cicloativistas que entraram com a ação. “Os cicloativistas pensam que a gente está brincando. A gente não está brincando de fazer prefeitura. O estudo foi apresentado para a Promotoria”, disse.

A liminar foi acatada pelo motivo de não haver um estudo que mostre a segurança em aumentar as velocidades.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

60 Comentários deste post

  1. Prefeitura está certa. Tem que endurecer mesmo com esses grupelhos que acham que mandam na cidade. Ou o prefeito mostra que está trabalhando e não está pra essas brincadeiras infantis desses cicloativistas ou a cidade vai ser tomada por eles, como aconteceu com a gestão do haddad. São uns corporativistas, sempre recorrendo à polêmica para impor suas vontades. Cambada de mimados! Devem ser um bando de esquerdistas riquinhos e desocupados!

    Josh / Responder
    • É isso aí! Se acontecer de morrer mais gente* mesmo lá pra frente a gente vê o que faz.

      *Obs.: que não seja eu e nenhum conhecido, claro, pois neste caso eu irei dizer (ou não estarei para dizer) que o prefeito foi inconsequente e colaborou potencializando acidentes fatais.

      O.Juliano / (em resposta a Josh) Responder
      • Viúva do Haddad detectada.

        Josh / (em resposta a O.Juliano) Responder
        • Ser a favor da vida é ser “viúva do Haddad”? (aliás, que é uma expressão bem boba desses de buteco ou de escola para ofender o moral das outras pessoas haha)

          O.Juliano / (em resposta a Josh) Responder
          • Cara, petista é facilmente detectável. Tem cheiro. Assuma.

            Josh / (em resposta a O.Juliano)
          • Não sei, nunca parei pra ficar procurando cheiro de petista. Mas se vc está falando…

            O.Juliano / (em resposta a O.Juliano)
    • cambada de mimados e egoístas, fechem a Paulista pra eu voltar a sair de carro no domingo.

      Alexandre i / (em resposta a Josh) Responder
    • Há algum estudo que comprove que pode aumentar a velocidade sem aumentar o risco de morte dos usuários das vias expressas?

      Pelo que sei, não há.

      Alex / (em resposta a Josh) Responder
    • A prefeitura estará certa, quando tornar público tal estudo – que é cobrado desde os tempos da eleição – e comprovar por A + B, que ela tem base para o que está dizendo.

      Eu levo 10 minutos para achar dezenas de estudos, mundo afora de como a velocidade reduzida diminui acidentes e como aumento de velocidade ( com casos de “sucesso” ), aumentam acidentes.

      No mais, comentário bastante raso o seu. Cheio de preconceito e desinformação.

      Jose Rocha / (em resposta a Josh) Responder
      • Se andar a 10 km h nas estradas e vias expressas também diminuirão. Sou a favor que todos os veículos saiam de fábricas com velocidade máxima de 10 km, assim todos problemas de acidentes com veículos estariam resolvidos.Os motoristas não teriam necessidade de se preocuparem com regras de trânsito.

        • Então somos 2…

          Colocado sua infantilidade argumentativa de lado, a diminuição de velocidade como forma de redução de acidentes, é explicável pela física, por estudos técnicos, por órgãos de trânsito de diversos países e a matemática demonstra que esses 10 km/h a menos, equivalem a pouquíssimo tempo a mais – caso a via esteja totalmente vazia – portanto não há motivo, não há absolutamente nada, que explique esse desejo estúpido de voltar a velocidade ao que estava.

          Jose Rocha / (em resposta a Felix) Responder
  2. As mortes que virao, vamos botar na conta do prefeito e do Josh. Justo.

    Jean / Responder
    • Se o motorista faz merda, a culpa será dele, e não do prefeito. Não viaja, cara.

      Josh / (em resposta a Jean) Responder
      • Não, Josh.

        A culpa também é do gestor. Afinal, se ele fala “amigo, você pode pisar fundo e acelerar até 90 km/h” numa situação em que o limite razoável é de 70 km/h, ELE É CULPADO também.

        Alex / (em resposta a Josh) Responder
        • Especialmente se esse aumento, é seguido de uma campanha de marketing que envolve o Fittipaldi… Ai a culpa será muito da gestão.

          Jose Rocha / (em resposta a Alex) Responder
        • Engraçado que antes do Haddad colocar a velocidade menor eu não via ninguém, absolutamente ninguém, nesse e em outros fóruns, ou na internet, defendendo a velocidade mais baixa com tanta energia. Curioso que só foi o haddad baixar o decreto que os papagaios lambedores do ex-prefeito começaram a reproduzir o discurso do professor, como verdadeiros doutores e “defensores da vida”. Impressionante! Agora falam com autoridade de quem sabe de tudo, com uma prepotência sem limite. Vejam, os dados de redução de acidentes nunca, mas nunca foram publicados de forma bruta para serem contestados por estatísticos de verdade. Só dizer que caiu é muito complicado. Tem que ver o que aconteceu em outras vias, cidades, regiões e confrontar com uma série de dados para evitar autocorrelações, efeitos espúrios e variáveis omitidas. Se supostamente faltam estudos para justificar o aumento, também faltam informações sérias que embasem a redução. Nunca vi os dados e nunca os acessei (e olha que procurei). E quando digo dados, não digo o relatório da CET, digo as informações brutas mesmo, sem tratamento estatístico.

          Josh / (em resposta a Alex) Responder
          • Sim, naquele momento não tínhamos tanta noção como temos hoje após vários estudos e análises revelarem essa correlação. Ninguém nasce sabendo, vamos aprendendo e progredindo ao decorrer da vida. Ou regredindo dependendo do líder que nomeamos.

            Ok q vc não teve acesso aos dados, mas os estudos mundo afora estão aí, para quem quiser ver.

            O.Juliano / (em resposta a Josh)
          • Juliano, os estudos precisam ser aplicados a SP, e não de outras cidades. Vc está repetindo apenas o que leu em algum blog e não agindo racionalmente. Veja, existem indícios para outras cidades, e isso já vi. Mas cada cidade tem sua particularidade, e o estudo tem que ser aplicado à nossa cidade. Isso a prefeitura nunca abriu. Deveria ser transparente e abrir os dados, todas os detalhes dos acidentes, a metodologia, os níveis dos intervalos de confiança, etc. O que ela colocou foi que reduziram em determinado percentual os acidentes. Mas redução similar no período é retratada em outras cidades que não tiveram mudança na velocidade. Entende? Cara, a estatística é uma ciência fantástica para extrair conclusões, mas sem os dados e sem uma metodologia esclarecida, é difícil saber até que ponto não é tendencioso. É esse o problema.

            Josh / (em resposta a Josh)
          • Josh, dispenso sua prepotência em achar que eu estou só repetindo o que li em algum blog.

            Também acredito que deve ter esse estudo em SP, por isso sempre estou dizendo que tem que haver um estudo detalhado dessa questão. Antes de uma nova mudança, se faz estudos e depois dos dados extraídos, e aberto à sociedade, é feita uma análise e definido qual será as ações a tomar. Eu não tenho partido, diferente do que você possa imaginar, tão pouco sou cego por alguma pessoa. Eu apenas esto dizendo o óbvio. Que agora é a mesma coisa que vc disse: “os estudos precisam ser aplicados a SP”

            O.Juliano / (em resposta a Josh)
          • Amigo Josh, é VOCÊ que está colocando o Haddad na conversa.

            Isso aqui não é uma discussão política. É uma discussão técnica. É uma mera questão de física. Corpos em alta velocidade tem maior chance de sofrerem maiores danos num choque. Só que estamos lidando com vidas.

            Além disso, você diz que faltam estudos para justificar a REDUÇÃO. Cara, tem um caminhão de dados e estudos feitos aqui e no exterior explicando a relação das altas velocidades no trânsito e mortes fatais.

            Você diz também que aplicaram a redução baseado em modelos de outras cidades. Sim, até pode ser dito isso quando você está tratando sobre a CULTURA DE TRÂNSITO (o cara que dirige bêbado e as leis que não conseguem controlar isso, por exemplo). No entanto, aqui estamos falando de REGRAS DA FÍSICA que são universais.

            Alex / (em resposta a Josh)
        • Pelo seu principio, a morte que ocorreu na madrugada de sábado, capotamento, na Marginal Pinheirom a culpa é do ex prefeito? Foi na administração dele que foi definida a velocidade atual, ou não?

          Felix / (em resposta a Alex) Responder
        • Quando a velocidade máxima é 50 KM/H os nó cegos trafegam a 40 KM/H mantém distâncias enormes do carro a sua frente. Parece o carro está parado. A maioria que é contra a volta da mesma anterior é ciclista e pessoas que não podem ter carro ou são mão de vaca. A diminuição dos acidentes foi proveniente das pegadinhas dos radares do Maldade.

          Roberto / (em resposta a Alex) Responder
      • E digo mais.

        Por culpa dessa cultura idiota de “vida moderna” (a gente precisa de tempo, para isso a gente corre mais para ter mais tempo para gastar), a gente avança o sinal para ganhar tempo (e mata um monte de pedestres), motociclistas se jogam debaixo de caminhões e ônibus (porque precisam correr para ganhar o sustento ou são demitidos por não cumprirem as metas),…

        Enfim…

        Alex / (em resposta a Josh) Responder
        • Se for assim, coloca a 10 km/h tudo, inclusive rodovias, que jamais teremos acidentes fatais. Se for colocar mesmo à risca esse argumento, nem teremos mais rodovias, pois inúmeros acidentes ocorrem todos os anos e supostamente caem no argumento de excesso de velocidade. A pergunta é: vc, individualmente, aceitaria reduzir a velocidade de todas as rodovias do Brasil para 70 km/h, como forma de supostamente reduzir de forma drástica os acidentes? Você abriria mão de sua comodidade? Você pagaria mais caro por um produto por causa do deslocamento comprometido pela velocidade menor? Pagaria? Ou é melhor deixar doer nos outros? Vamos seguir esse raciocínio então, cara!

          Josh / (em resposta a Alex) Responder
          • Que comparação boba, estradas ficam em um ambiente totalmente diferente de vias expressas que cortam uma cidade. Até eu que sou leigo no assunto mobilidade e urbanismo sei que há essa diferença.

            Essa comparação foi feita apenas para criar-se uma falácia e nada mais.

            O.Juliano / (em resposta a Josh)
          • Nada a ver viu. A comparação faz todo sentido. Se for pra poupar vidas, não vale a pena reduzir na rodovia também??? Ora, se os estudos embasam a redução de acidentes, com certeza deveriamos reduzir tudo. Assim, acabariam os acidentes. Pq vc ficou revoltado? Ignorar essa lógica é ir totalmente contra o seu próprio argumento. Ou seja, tem que baixar onde sua opinião permite que baixe. Aí não né!

            Josh / (em resposta a Josh)
          • Não fiquei revoltado de modo nenhum, apenas disse que achei uma comparação boba, e continuo achando. Mas se vc quer insistir nesse argumento bobo, ok. Permaneça.

            O.Juliano / (em resposta a Josh)
    • Se andar a 10 km h nas estradas e vias expressas também diminuirão. Sou a favor que todos os veículos saiam de fábricas com velocidade máxima de 10 km, assim todos problemas de acidentes com veículos estariam resolvidos.Os motoristas não teriam necessidade de se preocuparem com regras de trânsito.

      • Parece um robô fazendo SPAM.
        Acho q comentários duplicados deveriam ser apagados (inclusive esse meu tbm por conta de ser da “árvore”)

        O.Juliano / (em resposta a Felix) Responder
        • Juliano, Qual a diferença da Rodovia Presidente Dutra com as marginais? A Dutra de São Paulo até o Rio de Janeiro atravessam N cidades, começando com São Paulo e Guarulhos.

          • Aconselho você mesmo olhar essa diferença no Google Maps. Veja quão parecido é o entorno da Dutra com a Marginal.

            O.Juliano / (em resposta a Felix)
          • Em geral, as rodovias são trechos de estrada isolados. Por isso elas podem ter velocidades mais altas de tráfego.

            No entanto, quando uma rodovia entra dentro de um PERÍMETRO URBANO, as velocidades precisam ser menores para reduzir as chances de acidentes com as pessoas que circulam por lá. Ela perde a característica de rodovia e passa para uma via de trânsito rápido, como uma avenida.

            Alex / (em resposta a Felix)
    • É a morte por capotamento com morte na madrugada de sábado passado na Marginal Pinheiros, põe na sua conta , já que a velocidade atual é do ex prefeito?Já cansei de repetir aqui, não é o que está indicando na placa que provoca acidentes e sim o motorista/motociclista.

  3. Só rindo desses comentários!
    Se a prefeitura tivesse argumentos já tinha apresentando, tem que deixar como está mesmo.

    marco radice / Responder
  4. Se o Doria tem mesmo um estudo que comprova que aumentar a velocidade das marginais não vai aumentar mortes porque não divulga logo isso no site da prefeitura para todos terem conhecimento?

    Diminuição das velocidades é uma recomendação da ONU que dezenas de países estão adotando, seria interessante a prefeitura apresentar um documento que demonstre o contrário para debater esse assunto.

    Ronald / Responder
    • Olha, pelo que eu vi, até hoje, foi que a prefeitura alega que as vias foram projetadas para essas velocidades (90~70), ou seja, está se agarrando ao projeto original. Não sei se há outra coisa nos “argumentos” da prefeitura.

      O.Juliano / (em resposta a Ronald) Responder
      • Se for só esse argumento, acredito que não se sustenta. A marginal foi criada em 1957 e ampliada em 2010 (segundo o Wikipédia), desse ano até os dias atuais muitas construções foram feitas nas proximidades, como shoppings e prédios comerciais, logo, precisa de um estudo atual.

        Ronald / (em resposta a O.Juliano) Responder
        • Exatamente. As marginais foram concebidas como pistas expressas. No entanto, com o passar do tempo, muita coisa mudou. Hoje, não dá para tratar essas pistas como expressas/rodoviárias. Não só pelo adensamento populacional com a chegada dos edifícios comerciais e residenciais, mas pelo fato que há uma Região Metropolitana enorme que gera e recebe a influência das Marginais.

          O que esse prefeito está tentando fazer está na contramão do bom senso e dos estudos técnico-científicos do mundo inteiro.

          Alex / (em resposta a Ronald) Responder
          • Engraçado. Não sei vcs, mas eu confesso ser leigo do assunto comparado aos que estudam ou estudaram urbanismo, mobilidade.. Mas isso que estamos falando parece ser de um bom senso tão claro, que me faz duvidar da inteligência urbana (com relação à gestão da cidade) de um autodenominado gestor, como o Dória.

            O.Juliano / (em resposta a Alex)
          • Os benefícios da redução da velocidade em vias urbanas realmente já estão comprovados por estudos, tem até uma tabela de probabilidade de colisões a determinadas velocidades. Não sei por que alguns reclamam tanto por conta de 4 minutos de diferença.

            Além da redução no número de acidentes, houve também a redução no congestionamento da via, que é outro benefício aos motoristas (que até foi noticiado aqui no site).

            Allef / (em resposta a Alex)
  5. Parabéns ao Prefeito Doria.Chega de incoerências, inúmeras avenidas de bairros com mão dupla e carros estacionados dos dois lados têm velocidades de 50 kmh ainda com lombada eletrônica de 50kmh, como pode uma pista com 3 faixas de rolamento sentido único ser a mesma velocidade? Querem Exemplos? Av Joaquina Ramalho. na Vila Guilherme e Av Guarita na Vila Nível. Existem inúmeros outros exemplos como as pontes e viadutos .

    Felix / Responder
  6. Corrigindo, Av.Guapira, Vila Nívi.

    Felix / Responder
  7. Independente da velocidade, bicicletas deveriam ser proibidas nas marginais, pegando exemplo que aqui as pessoas gostam, cidades dá Europa, que proíbem bikes em certos tipos de vias.

    Mauri / Responder
  8. Pergunta que não quer calar: vcs aumentariam a velocidade das marginais, mesmo com todos os recursos de sinalização, etc, sabendo que o número de acidentes fatais subirá inegavelmente?

    Jean / Responder
    • acha mesmo que vão dar as caras e dizer a verdade?

      Alexandre i / (em resposta a Jean) Responder
    • Quando a velocidade máxima é 50 KM/H os nó cegos trafegam a 40 KM/H mantém distâncias enormes do carro a sua frente. Parece o carro está parado. A maioria que é contra a volta da mesma anterior é ciclista e pessoas que não podem ter carro ou são mão de vaca. A diminuição dos acidentes foi proveniente das pegadinhas dos radares do Maldade.

      Roberto / (em resposta a Jean) Responder
      • Trafegando a 40km/h e mantendo distâncias enormes do carro a frente, diminui-se mais ainda o risco de colisões (que atrapalham a fluidez do tráfego) e, consequentemente, acidentes com vítimas.

      • Ou não utilizam o carro para seu trabalho diário, inúmeras pessoas como vendedores, professores, Médicos, Enfermeiros, pedreiros, carpinteiros, dentistas etc… utilizam para suas profissões e para transportar suas ferramentas de trabalho.

        Felix / (em resposta a Roberto) Responder
      • Vamos brincar com a imaginação: se fosse possível, hipoteticamente, reduzir as mortes no trânsito a ZERO, mas para isso você teria que andar a 30 km/h em qualquer via de SP, você toparia?

        Alex / (em resposta a Roberto) Responder
        • Alex, quando era criança, as ruas do bairro onde moro eram de terra e mesmo assim uma criança foi atropelada e morta, o motorista andava mais ou menos 30 por hora.

          Felix / (em resposta a Alex) Responder
  9. sou contra bicicleta das marginais, qualquer faixa,

    la muerte / Responder
  10. Já temos limitadores de velocidade os buracos deixados pela administração Petista. Os acidentes diminuíram pela buraqueira, falta de pintura de sinalização, placas, radares nas faixas de ônibus, semáforos e velocidade. Além do aumento das multas como ultimos atos Dellmona antes de sair. Essas as razões para a diminuição dos acidentes.

    Roberto / Responder
  11. O cara não tem nem um mês, e diz ter estudo ? Kkkkkkkkkkkkkk, por isso esse país só regride, a população, e o reflexo dos políticos.

    Rodrigo Santos / Responder
  12. Mas tem ciclista que usa a marginal ???? Tem faixa de pedestre na via expressa? Nossa … se formos ouvir tudo que é dito a gente chora…

    Jurandir / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*