Prefeitura de SP assina novo contrato emergencial para ônibus

A Prefeitura de São Paulo assinou um novo contrato emergencial com as empresas de ônibus que atuam na cidade para que elas continuam operando. Uma nova licitação para o transporte público está parada desde o primeiro ano da gestão Haddad.

O novo secretário municipal dos transportes e Mobilidade, Sérgio Avelleda, lamentou mais um contrato emergencial mas disse que não havia outra escolha.

“O sistema atual está mantido. Eu tenho três dias de gestão. Se eu não assino esses contratos, não tinha ônibus na cidade. Não gosto de fazer contrato emergencial. Na minha vida como administrador público nunca na minha vida assinei um contrato emergencial, mas não tinha opção ante à inexistência de licitação, mas vamos lutar para não ter mais nenhum emergencial e ter uma licitação o quanto antes”, afirmou.

O secretário não sabe quando uma nova licitação será lançada e nem se poderá utilizar o edital que a última gestão deixou. “Vamos fazer uma revisão. Temos pressa, mas com muito cuidado. Estamos definindo o futuro da cidade e vamos fazer com muito cuidado essa revisão do edital que foi lançado.”


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

21 Comentários deste post

  1. Começou bem esse dória. E o mesmo papo de todos esses prefeitinho e secretariozinhos. Até quando vamos ter de ouvir isso?

    Joel / Responder
    • Vc leu e entendeu?A licitação deveria ter sido feita desde o ptimeiro mandato do prefeito anterior, para quem conhece um mínimo sobre Licitação, sabe que em três dias é impossível fazer.

      Felix / (em resposta a Joel) Responder
  2. essa máfia do ônibus tem gente muita grande no meio…. ninguém tem coragem de mexer nisso ai…. pelo jeito o Doria já se beneficiou também…. PROBLEMA.

    fabio / Responder
  3. não teve tempo hábil pra avaliar, espero que avalie e faça algo decente, o outro tinha todo o MP e afins contra, esse terá caminho livre espero que não sente na nova licitação

    Alexandre i / Responder
  4. Esse papinho mimimi de “nunca fiz isso na vida”… Em qualquer empresa do mundo acredito já ter ocorrido situações emergenciais. Discurso feio ficar fingindo que se fosse ele tudo seria perfeito.

    O.Juliano / Responder
    • Sergio Avelleda trabalhou no Metrô e CPTM se quer saber. E que eu me lembre, realmente não há notícias de contratos emergenciais na época dele. A propósito, foi na época dele que se fez bastante licitações para obras e novos serviços. (Pena que teve o problema dos cartéis, mas aí não o culpo… até agora não vi provas concretas sobre).

      Anonimato / (em resposta a O.Juliano) Responder
      • Acho que estamos jogando xadrez com pombos.

        Felix / (em resposta a Anonimato) Responder
      • Com relação ESTRITAMENTE sobre contratos emergenciais a transportes públicos também não sei do histórico de ocorrências, eu quis me referir à essa frase dele “Na minha vida como administrador público nunca na minha vida assinei um contrato emergencial” dá a entender que em toda sua vida ele nunca teve uma situação emergencial em qualquer âmbito justamente por ser um gestor perfeito, o que duvido muito um gestor nunca ter tido uma situação que tivesse que agir de maneira emergencial (um contrato, um empréstimo, um acordo, etc.)

        O.Juliano / (em resposta a Anonimato) Responder
        • Eu não duvido. Se realmente ele tivesse assinado um contrato emergencial ou algo similar, ao menos algum jornal já tinha jogado na cara isso. Para isso temos o Aos Fatos, o próprio Via Trólebus e vários outros. Hoje é fácil desmentir alguém. Só usar o Google.

          Anonimato / (em resposta a O.Juliano) Responder
        • Eu não disse que ele era perfeito. Eu disse que não há nenhuma prova ao contrário do que ele disse e exposto. Você que está querendo se mostrar perfeito…

          Anonimato / (em resposta a O.Juliano) Responder
  5. Enquanto não sair a licitação, isso não vai mudar, só espero que não seja refeita do zero, se não vai demorar de novo.

    Rodrigo Santos / Responder
  6. Haddad teve 4 anos para fazer a licitação e infelizmente não deu, agora vc quer que o Dória faça em apenas 3 dias?

    Amaury / Responder
    • Haddad só prefeitou nos dois primeiros anos do Serra, depois que ganhou a eleição, passou 4 anos trabalhando na construção de seu partido PSD e o Haddad tambe, nos 4 anoz dele também não fez.

      Felix / (em resposta a Amaury) Responder
      • Que estranho…

        – Haddad é PT, não PSD. Quem era DEM e depois virou PSD (isso durante a gestão na prefeitura) foi o Kassab.
        – Haddad fez bastante coisa em relação ao Kassab, comparando em questão de ao menos atuar e mostrar o que ocorre na cidade. Não me lembro do Kassab fazer muita coisa, fora discutir com o pessoal. :p

        Anonimato / (em resposta a Felix) Responder
    • O problema maior é que a licitação deveria ter saído em 2013.

      Não saiu por causa da pressão das manifestações de junho desse ano. Depois, veio aquele trabalho da consultoria para analisar os contratos atuais (que não deu em nada, não havia lucros exorbitantes das empresas do setor) que se esticou até o fim de 2014. Em 2015, começaram a elaborar a proposta de licitação que saiu meses depois, mas veio o TCM é travou tudo até o início de 2016. Não daria para licitar por conta da possibilidade de entrar uma nova gestão e desfazer tudo.

      Agora, é torcer para que saia em 2017.

      Alex / (em resposta a Amaury) Responder
    • O problema do Haddad, foi as manifestações de 2013, com isso ouve atraso,

  7. A opção de não efetivar o contrato com as empresas de Ônibus foi do Prefeito anterior, alegando que seria um decisao que influenciaria outras administracoes no futuro e estaria no final de sua gestão. Nao há como tecer qualquer comentário sobre uma Governo com menos de 10 dias de atuação, somente por indivíduos com opção pela oposição.

    Roberto / Responder
  8. E como sempre quem paga conta, seja na gestão dos coxinhas, seja na gestão dos mortadelas !!!

    Rafael / Responder
  9. Quando o Assunto é Trólebus Para o Consórcio Plus: 3 3xxx – Expresso Talgo (Hoje VIP Imperador) & 3 9xxx – Expandir>VIP Brás

    Michell / Responder

Deixe uma resposta para Roberto Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*