BRT com ônibus não poluente é aprovado em Curitiba

Após um processo de PMI – Proposição de Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada, a prefeitura de Curitiba aprovou o projeto que contempla a construção de corredores de ônibus do modelo Bus Rapid Transit (BRT), porem com veículos não poluentes.

Posteriormente devem ser abertas licitações de uma nova malha de cinco corredores que somam 106 quilômetros: Aeroporto/Centro Cívico; Tamandaré/Cabral; Linha Verde; Araucária / Boqueirão; e Norte/Sul.

Serão aproximadamente 300 novas estações de embarque e desembarque, com wi-fi, painéis com informações sobre os horários e as linhas, além de ar-condicionado. Algumas delas serão subterrâneas.

O aspecto que nos atraiu foi a tecnologia proposta pela Volvo para esse tipo de projeto. O CIVI [City Vehicle Interconnect] é um modelo que não tem paralelo no mundo, além de atender as normas da Euro 6 de restrição à poluição, com ônibus híbridos, incorpora conectividade, permitindo prever com exatidão o horário de chegada do ônibus” – explicou o presidente do Conselho de Administração da Cesbe, Carlos de Loyola e Silva.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

13 Comentários deste post

  1. “O aspecto que nos atraiu foi a tecnologia proposta pela Volvo para esse tipo de projeto. O CIVI [City Vehicle Interconnect] é um modelo que não tem paralelo no mundo…”

    Parabéns Curitiba, entrando numa bela duma barca furada

    rafael oliveira / Responder
  2. Dá vontade de nem ler a matéria… não existe ônibus não poluente… seja lá ao que ele é movido… MENOS poluentes deixaria a matéria mais honesta.

    fabio / Responder
  3. Veremos o que vai dar, acho arriscado.

    Rodrigo Santos / Responder
  4. Que coisa. O mundo investe em trilhos e Curitiba se volta a um modelo já ultrapassado. Vai entender.

    Jean / Responder
    • é só dar uma olhada em quem são os proprietários das empresas de ônibus e você entender tudo… o que sai na imprensa é uma coisa… a realidade é outra…

      Rodrigo / (em resposta a Jean) Responder
  5. Aposta muito bem feita. Vai dar uma boa respirada no sistema pioneiro, sem perder sua história. E melhor, custando um valor aceitável para a atual situação econômica, em curto prazo de implantação.
    O projeto poderia ser melhor? Poderia, com racionalização de Estações, extinção de Cobradores. Inclusão de Eixo Leste-Oeste.Os Biarticulados devem ser uma inclusão obrigatória no projeto.

    Thiago / Responder
    • Pois é,sempre a mesma “istória”, é mais barato e mais rápido de fazer,as soluções paliativas,imediatistas e temporárias para atender interesses políticos,serão sempre de curta duração e se tornarão muito mais caras ao longo do tempo.É difícil de pensar a mobilidade a médio e longo prazo….muito difícil.

      Salvador Sobre Trilhos / (em resposta a Thiago) Responder
  6. Seria mais inteligente um VLT ou metrô mas o prefeito de Curitiba revelou ser um paga pau das empresas de ônibus….

    Fabiano / Responder
  7. Ué? Vai ter linhas subterrâneas, será que serão para as toupeiras usarem?

    MC / Responder
  8. E Que Para Curitiba Venha Também o VLT e o BRT

    Michell / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*